Quinta-feira, 18 de outubro de 2018
Ano XXX - Edição 1529
(55) 3535-1033
jsemanal@jsemanal.com.br
diagramacao@jsemanal.com.br

Aposentado já tem assinaturas necessárias para protocolar projeto de lei

29/01/2016 - Por Jornal Semanal
Tweet Compartilhar

Darci Thesing reuniu 1.100 assinaturas e aguarda retorno de outras 50 listas que estão com voluntários


O aposentado Darci Thesing, 58 anos, morador do Bairro Jardim das Acácias, já reuniu, até agora, em torno de 1.100 assinaturas em sua campanha para reduzir o salário dos vereadores de Três de Maio. Darci pretende protocolar, na Câmara, um projeto de lei de iniciativa popular - que segue a mesma tramitação dos outros -, ação para a qual é necessário reunir assinaturas de 5% do eleitorado do município. Ele quer, com a campanha, que os recursos sejam investidos em saúde e educação.

Iniciado em novembro, o abaixo-assinado tinha, na metade daquele mês, em torno de cem assinaturas. Hoje, Darci já teria o número necessário para protocolar o projeto de lei, mas o aposentado espera recolher mais assinaturas - há quase 30 voluntários, além de seis escolas do município, que têm aproximadamente outras 50 listas, com espaço para 40 assinaturas em cada. Parte destas listas será recolhida por Darci a partir deste fim de semana.

Até o começo da tarde de terça-feira, 26, Três de Maio tinha 19.956 eleitores, sendo necessária a assinatura de 998. Mesmo que o número de eleitores aumente até Darci protocolar o projeto, o que ele deverá fazer no próximo mês, o eleitorado precisaria aumentar de forma substancial para que o número atual de assinaturas não seja suficiente - 1.100 eleitores representam 5% de 22 mil, para se ter uma ideia.


'Estou fazendo pelo povo', diz o aposentado


Dois salários mínimos


Sem contabilizar os descontos, o salário dos vereadores era de R$ 3.724,02. Com a aprovação do projeto de lei nº 001/2016 - a Câmara está em recesso e volta às sessões ordinárias no dia 15, mas teve uma sessão extraordinária no último dia 16 -, de autoria do Executivo, que "autoriza a revisão anual de que trata o inciso X do artigo 37 da Constituição Federal ao prefeito municipal, vice-prefeito e vereadores", o valor teve, a contar de 1º de janeiro, um reajuste de 11,28%, previsto em parágrafo único do artigo 1º do projeto de lei. Com isso, sem os descontos, o salário é de R$ 4.144,09.

A ação idealizada por Darci busca reduzir o valor para dois salários mínimos vigentes, o que resultaria, hoje, num vencimento mensal de R$ 1.760 para cada um dos 11 parlamentares. O aposentado, que atuou profissionalmente como funileiro, serralheiro e na construção civil, diz que quase diariamente, à tarde, está na Praça Henrique Becker Filho ou em frente à agência da Caixa Econômica Federal para coletar assinaturas.

Ele também estudará, com a Defensoria Pública, a viabilidade legal de, no projeto de lei, extinguir ou, no mínimo, reduzir as diárias de vereadores e funcionários da Câmara. "Eu mesmo, com a orientação da Defensoria Pública, vou elaborar um projeto de lei e protocolar com as assinaturas, porque, se deixarmos que os vereadores façam, eles vão fazer à moda deles. Em todos os projetos feitos no nosso país sempre ficam umas brechas, pra isso e aquilo, e queremos fazer um projeto de lei que seja uma coisa segura", enfatiza. Ao mesmo tempo em que relata estar sofrendo críticas "do outro lado", como diz, o aposentado observa que o engajamento à ação superou suas expectativas. "Não tenho nada contra a pessoa de nenhum vereador; eu me considero, inclusive, amigo de todos. Apenas estou fazendo isso pelo povo, utilizando meu dinheiro pra impressão das listas, o meu combustível, sem ser filiado a nenhum partido político. E fico feliz que a população esteja do meu lado. A avaliação até agora é muito positiva, a aceitação do povo está muito boa", conta.

Darci analisa que tomou a iniciativa "pela atual conjuntura do País". "O que mais me motivou foi ver a situação da saúde. Você chega ao posto, tem exames que o médico solicita e você só consegue fazer em 45 dias. Se precisa pra logo, tem que ser particular, daí precisa pagar. E faltam medicamentos à população. Queremos que a maior parte do dinheiro que 'sobrar' seja investida em saúde, e uma parte em educação", argumenta o aposentado.

Caso o projeto de lei seja protocolado, votado e aprovado, a economia em quatro anos, com base no salário mínimo atual - que certamente terá reajustes dentro deste período -, será de quase R$ 1,26 milhão. Para entrar em contato com Darci, seu telefone é (55) 9934-2742.





Indicar a
um Amigo

Comentários

Deixe a sua opinião

Veja Também

11/10/2018   |
11/10/2018   |
11/10/2018   |
05/10/2018   |
05/10/2018   |
28/09/2018   |




Todos os direitos reservados - Jornal Semanal - Três de Maio - RS