Segunda-feira, 15 de outubro de 2018
Ano XXX - Edição 1529
(55) 3535-1033
jsemanal@jsemanal.com.br
diagramacao@jsemanal.com.br

Campanha busca recursos para tratamento de saúde de menino em Três de Maio

23/02/2018 - Por Jornal Semanal
Tweet Compartilhar
Com deficiência visual no olho direito, Pedro Joaquim de Moura, 2 anos e quatro meses, pode perder também a visão no olho esquerdo, se não for feito o tratamento adequado, disponível somente em São Paulo
Aos 2 anos e quatro meses, Pedro Joaquim de Moura é um menino alegre, mas um pouco tímido, que gosta de brincar e ouvir o DVD da Galinha Pintadinha. No seu mundinho, ele deve imaginar mil aventuras, muito além do que seus os olhos podem ver. Isso porque, Pedro tem deficiência visual. No olho direito está cego. No olho esquerdo, a chance de que possa enxergar, ao menos um pouco, acende a luz da esperança para os pais Ellen Maiara dos Santos, 23 anos e Jeferson Frese de Moura, 21 anos.
Os pais lançaram uma campanha em prol do filho, em busca de recursos para o tratamento dele, talvez, a última tentativa para que o menino possa recuperar um pouco da visão do olho esquerdo, já comprometida por um problema detectado depois do nascimento.
A esperança está em um hospital especializado em Olhos, na cidade de São Paulo. Para isso, os pais lançaram uma campanha para ajudar no tratamento do filho, que sofre de 'leucoma na córnea com catarata aplicada'*. 

Ao nascer, mãe percebeu algo errado nos olhos do bebê 
Ellen teve uma gravidez tranquila e Pedro Joaquim, primeiro filho do casal, nasceu de parto cesáreo, no dia 28 de outubro de 2015, no hospital de Três de Maio.
Logo ao primeiro contato com o filho, a mãe percebeu algo estranho em seus olhos. Notou que no olho direito, a menina dos olhos (pupila) estava transparente. Ficou desconfiada e compartilhou com familiares a preocupação. Mas disseram que não havia de ser nada. 
Porém seu instinto materno dizia que algo estava errado. "Pedro ganhou alta do hospital sem fazer o teste do olhinho. Conseguimos fazer o teste, depois de muita insistência, quando ele tinha 15 dias, com médica pediatra".
O teste, revelou que o olho direito não tinha reflexo. Apenas no esquerdo. Pedro foi encaminhado ao médico oftalmologista, que realizou diversos exames, no consultório, porém sem saber precisar um diagnóstico definitivo. 

Médico da Capital chegou a afirmar que  Pedro nunca irá enxergar
 Com menos de 45 dias, a família levou Pedro a especialistas em Porto Alegre. Consultas e exames foram feitos pelo SUS. Os primeiros diagnósticos foram imprecisos: possível deficiência causada por toxoplasmose, alguma infecção e/ou sangramento no olho. Entre idas e vindas à Capital, no Hospital de Clínicas e Banco de Olhos, o diagnóstico era que  Pedro não possuía as duas retinas. 
A mãe conta que na última consulta em Porto Alegre, no ano passado o médico disse para o pais desistir de procurar a cura: "pai, mãe, não gastem o pouco dinheiro que vocês têm. O Pedro nunca vai vir a enxergar. Foi como um 'tapa na cara'", revela a mãe.
Porém, mesmo com diagnóstico, o casal não desanimou, nem tão pouco desistiu de ir atrás de outra opinião médica.
Em dezembro do ano passado, levaram Pedro para uma consulta particular com um médico  oftalmologista em Santa Maria e os exames confirmaram a cegueira  do olho direito, mas para olho esquerdo, ainda há tratamento. Um exame de ecografia, revelou que o menino tem a retina do olho esquerdo, o que foi uma surpresa para os pais, que achavam que o filho não tinha retina nos dois olhos. O oftalmologista aconselhou que o melhor tratamento seria em hospital dos Olhos em São Paulo, com um especialista. 

Ações buscam recursos para custear viagem e tratamento
O valor da consulta em São Paulo é R$ 650, que serão custeados pelo Consulado do Grêmio de Três de Maio. Mas a família terá despesas com passagens do ônibus, deslocamento, alimentação, hospedagem e os exames que devem ser solicitados pelo médico.
Para que isso se torne possível, a família está fazendo a Ação entre Amigos; doações em depósito bancário em qualquer valor e o jantar beneficente. 
Ellen diz que a consulta ainda não foi marcada por receio de chegar a data e não ter o valor. "Quando tivermos o dinheiro na mão, vou marcar".
Para os pais, se Pedro recuperar, parcialmente, a visão, vai conseguir ter uma vida mais independente, o que será fundamental para o desenvolvimento do menino. Atualmente, ele tem acompanhamento e reabilitação com vários profissionais na Escola Helen Keller, Apae de Três de Maio. 
A Ação Entre Amigos, terá 30 prêmios, que foram doados por pessoas e empresários para essa finalidade e cada número  custa R$ 5. O sorteio será realizado no dia 8 de abril. Quem quiser adquirir cautelas, ou cartões para o jantar dançante beneficente, no dia 14 de abril, no salão do Bairro Bela Vista, em Tucunduva, basta entrar em contato pelo fone 55 9990-5601.
Já a conta bancária para doações é: AG 0306 - Sicredi Três de Maio, Conta 903264, em nome de Jeferson Frese de Moura.

Comunidade dá exemplo de solidariedade 
Ellen diz estar surpresa com a solidariedade da comunidade três-maiense, que abraçou a causa de seu filho. "A campanha está repercutindo positivamente. Pessoas, empresários, todo mundo está ajudando. Não tinha noção do quanto as pessoas são solidárias". Ela também agradece ao apoio de comunidades de municípios vizinhos. 
A mãe vai esperar os resultados da campanha para marcar a consulta em São Paulo. "Se tivermos o dinheiro até o dia 4 de abril, marcamos a consulta, mesmo que não estejamos no dia do sorteio ou do jantar. Agora ninguém vai nos parar, vamos ir até onde for preciso pelo nosso filho. É isso que estamos buscando", conclui.

PARA QUE SERVE O TESTE DO OLHINHO 
O teste do olhinho (ou o teste do reflexo vermelho) é um exame que deve ser realizado rotineiramente em bebês na primeira semana de vida, preferencialmente antes da alta da maternidade, e que pode detectar e prevenir diversas patologias oculares, assim como o agravamento dessas alterações, como uma cegueira irreversível.
*Leucoma é uma opacidade corneana, quando a córnea toma aspecto branco em toda sua extensão ou em parte. O leucoma pode ser congênito ou se desenvolver após doenças infecciosas, principalmente herpes ocular ou traumas. Além disso, o leucoma é uma opacidade que pode se localizar centralmente e também provocar alterações na curvatura corneana, diminuindo a visão.

Os pais dizem que não vão desistir de buscar um tratamento adequado para o filho, Pedro Joaquim, 
mesmo que a visão não se recupere completamente

FOTOS: ARQUIVO PESSOAL




Indicar a
um Amigo

Comentários

Deixe a sua opinião

Veja Também

11/10/2018   |
11/10/2018   |
11/10/2018   |
05/10/2018   |
05/10/2018   |
28/09/2018   |




Todos os direitos reservados - Jornal Semanal - Três de Maio - RS