Segunda-feira, 10 de dezembro de 2018
Ano XXX - Edição 1536
(55) 3535-1033
jsemanal@jsemanal.com.br
diagramacao@jsemanal.com.br

Economia para consumo

04/05/2018 - Por João Seno
Tweet Compartilhar
À GUISA DE COMENTÁRIO - UM NOVO TEMPO - O tempo que vivemos envelheceu. Como assim? É só olhar em nossa volta e vamos enxergar nitidamente que precisamos de novos tempos, porque este que aí está é barbudo e velho. Vencido, superado. Há que se ter novas preocupações com a Educação. Precisam ser adotados novos métodos, novas tecnologias. Há que se buscar novos métodos, para superar o desemprego. A convivência dos cidadãos está superada em muitos aspectos. Tudo causado pelo avanço da tecnologia, que torna as pessoas mais versáteis, mas também mais exigentes e acomodadas. Muitos há que gostariam de pagar suas contas em casa e não deslocar-se até o banco. Há os que preferem trabalhar em casa e não sair até a empresa e tudo isso, graças ao avanço da tecnologia se torna possível. São apenas alguns exemplos dos avanços em busca de um novo tempo. 

FALTA PONTUALIDADE - 21%  dos proprietários de veículos esqueceu de quitar o IPVA na data do vencimento, referente ao exercício de 2018.  A omissão irresponsável de alguns milhares de gaúchos deixou de ingressar nos cofres públicos do Estado mais de meio milhão de reais. O prejuízo é dos cofres do Estado e também dos cofres dos municípios que abiscoitam 50% do IPVA. É falta de respeito para com aqueles que são pontuais. Muitos funcionários públicos do Estado recebem seus vencimentos atrasados por causa da falta de responsabilidade destes inadimplentes. 

QUEM ESTÁ PREOCUPADO?- Sim, quem está preocupado com as centenas e centenas de desempregados em nosso município? As nossas autoridades e dirigentes de entidades, bem como representantes do povo deveriam estar atentos a isso. Não se escuta um pio de quem quer que seja sobre providências.E o  assunto precisa de agilidade. Precisamos exigir mais dos nossos legisladores do que usar a tribuna da Câmara e votar projetos. Só fazer agrados não resolve. O assunto desemprego precisa estar na ordem do dia. O que fazer? Sim, o que fazer em prol dos querem  e precisam trabalhar?  Eis a questão. 

ESTACIONAMENTO PAGO - Nada disso! É preciso encontrar outra solução. Mais gente pode ir ao serviço a pé e aí sobra espaço. Vamos pensar maduramente a questão, porque já são tantos os tributos e taxas que dá ânsia de vômito só pensar em novas despesas. 

SONEGAÇÃO - Um recente levantamento constatou que foi sonegado 1 bilhão de reais em ICMS no Estado. O assunto está na Justiça e busca de solução.  Quem paga o ICMS é o cliente, que é incluído no valor da compra. Cabe às empresas recolher o que foi descontado do cliente. Mas não o fazem, sonegam. E há muitos empresários que são desonestos e sonegam. É lamentável isso. Não esquecer nunca, quando faz compras, de colocar na nota o seu CPF. 

FINALMENTE - Os responsáveis deram sinal positivo. Custou para perceber que o assunto era com eles. Não é de bom alvitre buscar tantas evasivas para justificar o não-funcionamento efetivo da Área Industrial II, uma conquista maiúscula para o empresariado e os trabalhadores de Três de Maio. É grande a torcida, para que os assuntos pendentes finalmente sejam equacionados. A Área Industrial II pode ser comparado a um presente para o qual faltava só o empacotamento. Mas parece que está faltando material para fazer o pacote. 




Indicar a
um Amigo

Comentários

Deixe a sua opinião

Veja Também

30/11/2018   |
23/11/2018   |
16/11/2018   |
01/11/2018   |
26/10/2018   |
19/10/2018   |




Todos os direitos reservados - Jornal Semanal - Três de Maio - RS