Sexta-feira, 22 de junho de 2018
Ano XXX - Edição 1512
(55) 3535-1033
jsemanal@jsemanal.com.br
diagramacao@jsemanal.com.br

Cetres investe R$ 1,5 milhão em estação de tratamento de efluentes

08/06/2018 - Por Jornal Semanal
Tweet Compartilhar
A Cetres (Centro de Tratamento de Resíduos) entrou em funcionamento na última segunda-feira, 4. Com um investimento de R$ 1,5 milhão, a empresa privada consiste na primeira estação de recebimento e tratamento de resíduos oriundos de fossas sépticas do município de Três de Maio. Empreendimento do casal Grazziela e Marcelo Tomasi, a Cetres, que também atenderá à região, ainda é a única na região com sistema compacto de tratamento de efluentes

A Cetres (Centro de Tratamento de Resíduos) iniciou nessa segunda-feira, 4, sua operação, em Três de Maio. Ela atenderá também à região e o início das atividades foi marcado por uma solenidade, na qual o casal proprietário, Grazziela e Marcelo Tomasi, recebeu funcionários, o prefeito Altair Copatti, secretários municipais, outras autoridades, lideranças e o público em geral, além da equipe técnica responsável pelos projetos.
Resultado de um investimento de R$ 1,5 milhão, a Cetres, localizada na Rua João Schuch, 10, é uma empresa privada e consiste numa estação de recebimento e tratamento de resíduos oriundos de fossas sépticas - é a única na região com sistema compacto de tratamento de efluentes. O responsável técnico é o engenheiro químico Dionísio Junior Casali.
O projeto de licenciamento ambiental, que envolveu todo o estudo da área e do entorno, aspectos físicos e bióticos e estudo hidrológico do corpo receptor, foi desenvolvido pela empresa Geolac Geologia e Meio Ambiente.

Da entrada do processo na Fepam até o início das atividades, foram mais de 500 dias
A Cetres deu entrada na Fepam com o processo de obtenção do licenciamento ambiental em janeiro do ano passado. O pedido era por licenciamento prévio e posterior licença de instalação, com o início das obras tendo sido autorizado pelo órgão no último mês de janeiro.
Em abril, quando as obras já estavam em fase de conclusão, uma resolução do Consema (Conselho Estadual do Meio Ambiente), de nº 372/2018, possibilitou que, no caso de empreendimentos com a finalidade da Cetres e com o porte em que ela se enquadra, a competência sobre a concessão do licenciamento ambiental saísse da alçada da Fepam e se tornasse municipal.
Com isso, 20 dias após o protocolo do pedido de licença de operação, o Serviço Municipal de Vigilância Ambiental (Semuvam) emitiu a licença para a empresa, com o documento tendo validade até junho de 2022.
A supervisão ambiental e a gestão da licença de operação continuarão sendo feitas pelos técnicos da Geolac - geólogos, engenheiros florestais e tecnólogos em saneamento ambiental - e, também, por Marcelo.
"A empresa vai proporcionar inúmeros benefícios ao meio ambiente, à população local e regional e à economia, incluindo nisso a geração de empregos diretos e indiretos", diz Marcelo, que é engenheiro mecânico.
Início das atividades foi marcado por solenidade realizada na última segunda
FOTO: SANDRO RAMBO

ENTREVISTA COM MARCELO TOMASI

Por que a escolha por Três de Maio para a instalação da Cetres?
Nascemos aqui em Três de Maio e por 36 anos moramos em outros municípios, como Porto Alegre, e nos estados de Santa Catarina e Paraná, atuando em ramos e profissões completamente distintos do ramo da Cetres. Durante todo o tempo fora, Três de Maio, berço da família Tomasi, sempre foi a intenção de retorno.

Que benefícios as atividades da estação de recebimento e tratamento podem trazer ao meio ambiente?
A empresa, por meio do tratamento de resíduos de fossas sépticas, lançará no meio ambiente um efluente tratado, com padrão de qualidade aceitável e dentro das normas de lançamento. Assim, os resíduos de fossa que antigamente eram lançados em locais irregulares para isso, como lavouras e rios, poderão receber tratamento adequado.
A disposição irregular em solo ou em rios resulta na proliferação de vetores, doenças, mortandade de peixes, contaminação e poluição do meio ambiente, causando danos irreparáveis à saúde.

Quais resíduos e de que locais a empresa poderá receber e, então, fazer o tratamento?
A Cetres tem licença e infraestrutura para receber e tratar resíduos oriundos de esgotamentos sanitários, denominados fossas sépticas (ou poço negro), podendo ser de residências, comércios, condomínios, indústrias, desde que não haja qualquer ligação com estações de tratamento de resíduos de óleos, químicos, etc. A empresa pode atender a toda a região, população em geral, empresas públicas e empresas privadas.

Como será feito o tratamento? Como funciona o processo da estação?
As etapas do processo consistem em recepção, equalização, decantador primário, reator de lodo ativado, decantador secundário, compartimento aeróbico (injeção de oxigênio), desinfecção e descarte.
O efluente líquido tratado será lançado no rio Morangueira, dentro dos padrões de qualidade, ou seja, despoluído. O resíduo sólido seco, espécie de lodo, será armazenado temporariamente em depósito específico e destinado a aterros habilitados, e os gases atmosféricos passarão por filtros de carvão ativado e serão liberados sem prejudicar o meio ambiente.

A Cetres vai realizar a coleta dos resíduos na fonte geradora?
Por enquanto, não há interesse em realizar este tipo de serviço. Este serviço terá de ser executado unicamente por empresas transportadoras especializadas, ou seja, empresas com veículo adequado e com licenciamento da Fepam para a atividade específica denominada Coleta e Transporte de Resíduos de Limpa Fossa (Cod. Ramo. 4.710,12).
Alguns transportadores estão firmando contrato junto com a Cetres para realizar a entrega unicamente neste destino final, pois destinar em qualquer lugar que não seja licenciado é crime ambiental, podendo o gerador e o transportador serem punidos.
Sendo assim, o gerador, quando acionar a coleta, deverá se certificar de que a empresa tem licença ambiental emitida pela Fepam e seja vinculada à Cetres. O coletor vai emitir um Manifesto de Transporte de Resíduos (MTR) e, assim que os resíduos forem recebidos pela Cetres, ela emitirá o Certificado de Destinação Final (CDF).

A Cetres poderá gerar algum tipo de poluição ao meio ambiente?
A Cetres tem uma atividade com potencial poluidor, mas foi construída dentro das normas técnicas e com os mais modernos equipamentos e infraestrutura. Ela tem toda a adequação ambiental e os controles de poluição necessários para operar para não causar transtornos à população, nem mesmo contaminação e poluição ambiental.
Além disso, a empresa seguirá as condições e restrições da licença ambiental e prestará contas periodicamente ao Semuvam, quanto à qualidade do efluente lançado no recurso hídrico receptor (rio Morangueira), planilhas de recebimento dos resíduos para tratamento e comprovantes de destinação final dos próprios resíduos gerados.
O único resíduo oriundo do processo da indústria, o lodo, será recolhido e destinado para empresas licenciadas, além de a empresa implementar o Plano de Educação Ambiental e apresentar relatórios da supervisão e da situação dos controles de poluição implantados. Eles incluem o cortinamento vegetal, sendo de grande importância para a minimização dos impactos da indústria. A empresa passará por auditoria a cada dois anos.

Empresário Marcelo Tomasi
FOTO: SANDRO RAMBO

Empresa está localizada na Rua João Schuch, 10, e o telefone de contato 
é (55) 99981-2111 
FOTO: CETRES/DIVULGAÇÃO

Cetres tem licença e infraestrutura para receber e tratar resíduos oriundos de esgotamentos sanitários, 
denominados fossas sépticas (ou poço negro), da população em geral, de empresas públicas e de 
empresas privadas de Três de Maio e região

FOTO PRINCIPAL: CETRES/DIVULGAÇÃO



Indicar a
um Amigo

Comentários

Deixe a sua opinião

Veja Também

15/06/2018   |
15/06/2018   |
08/06/2018   |
01/06/2018   |
25/05/2018   |




Todos os direitos reservados - Jornal Semanal - Três de Maio - RS