Segunda-feira, 16 de julho de 2018
Ano XXX - Edição 1516
(55) 3535-1033
jsemanal@jsemanal.com.br
diagramacao@jsemanal.com.br

Economia para consumo

22/06/2018 - Por João Seno
Tweet Compartilhar
À GUISA DE COMENTÁRIO - QUEM PROCURA ACHA - É o que dizem os entendidos. Mas é preciso procurar no lugar e no tempo certo. Não adianta procurar dinheiro perdido em capoeira e nem debaixo d'água. Por exemplo, procurar a felicidade é viável, quando alguém se posiciona de forma exemplar nos diversos momentos da vida. Tudo começa em casa, na família ao lado da esposa e dos filhos. Depois, é preciso posicionar-se corretamente no local de trabalho ao lado dos colegas de trabalho. Na prática de esportes, para quem é desportista, é preciso jogar bem com intensidade, sem cometer penalidades desnecessárias. E quem administra empresas, precisa lidar com competência e retidão e então acha admiração e reconhecimento. O prestígio do cidadão é encontrado na retidão com quem convive, respeitando a todos.  

GENEROSIDADE - Há certos administradores públicos que são acometidos de generosidades desnecessárias. Fazem concessões generosas para servidores públicos, para segmentos da administração e para determinadas áreas comunitárias. Em tempos futuros, faltam recursos para atender os compromissos assumidos no passado. Exemplos disso não faltam em nível de União, Estado e municípios. Infelizmente, muitos não pensam no futuro e nem nas dificuldades que podem advir dessas benesses em troca de prestígio e de votos.  Se fosse do dinheiro deles não fariam concessões. 

ESPERAR PARA VER - É o melhor que se pode fazer no caso de implantação de área industrial ao longo do trajeto asfáltico que liga a cidade a Bela Vista, conforme autoriza lei recentemente aprovada pela Câmara de Vereadores. Dificilmente algum empreendimento virá com recursos polpudos para investir no trajeto, cuja área ficou muito valorizada. 

É PRECISO ENTENDER - O que está acontecendo com nossa economia.   Hoje, a nossa região, berço da soja e grande produtor de milho, sedia a maior bacia leiteira do Estado, com cerca de 1,5 milhão de litros/dia. Tudo graças à diversificação de culturas, o leite se tornou na região, nas pequenas propriedades rurais, o novo modelo econômico, que transformou a economia do município de Três de Maio e outros municípios vizinhos. Não foi, pois, debalde que aqui foi erigida a maior indústria de laticínios da região, atualmente, da francesa Lactalis. O leite, sua industrialização, somado ao crescimento do comércio de vários segmentos está trazendo retorno expressivo em forma de ICMS para os cofres municipais. A semente plantada lá atrás está produzindo seus frutos. Está assim explicada a boa notícia do alentado crescimento do Índice de Participação dos Municípios - IPM - anunciado para 2019, em Três de Maio. 

SÓ 21% DOS TORCEDORES BRASILEIROS ACREDITAM QUE A NOSSA SELEÇÃO POSSA TRAZER O HEXA DA RÚSSIA.

DÁ PARA FAZER MAIS?  - Obviamente, que dá, desde que se use a inteligência e se faça o mesmo com outras matérias-primas aqui produzidas, como soja, milho, entre outras, que sejam aqui industrializadas, como está sendo feito com o leite.  Historicamente, fomos produtores de matéria-prima, sempre exportada in natura. A ideia da diversificação precisa continuar, porque temos muitos tresmaienses desempregados, apesar do crescimento do IPM. 

CRESCIMENTO PUXA CRESCIMENTO. CRESCIMENTO PUXA INVESTIMENTO. O CONTRÁRIO CAUSA A EVASÃO. 




Indicar a
um Amigo

Comentários

Deixe a sua opinião

Veja Também

06/07/2018   |
29/06/2018   |
15/06/2018   |
08/06/2018   |
01/06/2018   |




Todos os direitos reservados - Jornal Semanal - Três de Maio - RS