Segunda-feira, 16 de julho de 2018
Ano XXX - Edição 1516
(55) 3535-1033
jsemanal@jsemanal.com.br
diagramacao@jsemanal.com.br

Economia para consumo

06/07/2018 - Por João Seno
Tweet Compartilhar
À GUISA DE COMENTÁRIO - ESCREVER - Dizem que escrever é um dom, mas também e, sobretudo, é aprendizagem. Não saberia escrever corretamente uma linha, não fosse a oportunidade da aprendizagem nos tempos áureos de estudante dedicado. Não faltou o estímulo de professores, entre eles, literatos, autores de obras que fizeram sucesso na época. Não faltou, outrossim, o estímulo à leitura de obras literárias. Também houve a oportunidade de publicação de textos em revistas. Então, desde logo se percebe que nada cai do céu. Quem tem aptidão para o esporte, se não treina a inata disposição para o jogo não se desenvolve. Desde a mais tenra idade é preciso batalhar em busca de êxito. Se essa etapa for queimada, não haverá conquista no terreno, seja esportivo, literário ou qualquer outro. Concordam? Portanto, é desculpa barata dizer-se que faltou-me o dom. Isso vale para músico, pintor, enfim.

NO INÍCIO DO MEU MAGISTÉRIO, NA DÉCADA DE 1960, COBRAVA A LEITURA DE UM LIVRO POR SEMANA. E NÃO ESTAVA ERRADO.

REVISÃO PARA BAIXO - Inicialmente, o Banco Central estabeleceu a previsão do ano para o Produto Interno Bruto - PIB - em 2,6%. Mas, agora, recuou a previsão para 1,6%. A razão da queda seriam os prejuízos causados para nossa economia pela paralisação dos caminhoneiros.

PERIGO DE INFLAÇÃO - O aumento de mais de 10% da gasolina recentemente e 40% no período de um ano  e o aumento desmesurado  da cotação do dólar, próximo a R$ 4,00, pode empurrar para cima a inflação de 2018. O leite é um exemplo, que  teve um aumento de 18% nos  últimos  dias para desgosto das crianças pobres.

FIASCO - Os analistas estão concordando que a participação da Seleção da Alemanha na Rússia foi um fiasco daqueles. As razões do fiasco dos campeões da Copa do Mundo realizada no Brasil, quando o 11 germânico tocou 7 x 1 nos brasileiros, ainda não foram divulgadas. Outro fiasco teria sido a Argentina.

OS APOSENTADOS LEVAM A CULPA - Já são 55,4% os inativos do Rio Grande do Sul, ficando para os ativos de 44,6% a missão de tocar as atividades no Rio Grande do Sul. São os aposentados que levam a maior parte da receita do Estado, embora muitas categorias percebam baixos salários, entre eles, o magistério. A  folha  mensal dos servidores gaúchos custa atualmente R$1,5 bilhão. Só são divulgados os déficits, mas não se fala nos tributos que não são recolhidos. Muitos sonegam o ICMS, o IPTU e o IPVA e estes deveriam ser os vilões de nossa difícil situação econômica e não os inativos, os aposentados que fazem jus aos vencimentos, porque colaboraram lá atrás.

SE CONTINUAR DO JEITO QUE ESTÁ, O FUTURO DITADO SERÁ: QUEM NÃO ROUBA, NÃO VENCE.

É HORA DE PELEAR EM BUSCA DO EMPREGO - As nossas instituições locais - ACI, Sindicatos, Secretaria do Trabalho, Câmara de Vereadores, instituições religiosas, entre outras - precisam dar-se as mãos para de uma vez por todas buscar fórmulas em busca de oportunidade de trabalho para tantos desempregados de Três de Maio. Fala-se de tanta coisa, faz-se promoção de tanta coisa, chamando palestrantes de todo lado, mas uma promoção vigorosa na busca da solução do desemprego, pouco ou nada se faz. Ou isso não tem importância? Há muita criança e muito jovem que não tem o que comer. Só fazer campanhas para doação de alimentos, não resolve.

QUE PRESENTÃO - Os jogadores da Seleção Brasileira têm a promessa de 1 milhão de reais de prêmio cada um, se trouxerem o caneco do hexa da Rússia. Enquanto isso, os servidores públicos, que recebem salários atrasados e sem aumentos há mais de 3 anos, têm a promessa de congelamento dos vencimentos em 2019.




Indicar a
um Amigo

Comentários

Deixe a sua opinião

Veja Também

29/06/2018   |
22/06/2018   |
15/06/2018   |
08/06/2018   |
01/06/2018   |




Todos os direitos reservados - Jornal Semanal - Três de Maio - RS