Segunda-feira, 18 de novembro de 2019
Ano XXXI - Edição 1584
(55) 3535-1033
jsemanal@jsemanal.com.br
diagramacao@jsemanal.com.br

Interrupções no abastecimento de água são constantes e causam transtornos à população

11/10/2019 - Por Jornal Semanal
Tweet Compartilhar
Gestor da Corsan explica que é preciso cobrar mais eficiência da concessionária de energia, para evitar este tipo de problema. 'Faltou energia por mais de 9 horas contínuas', informou Miguel Lugoch

Moradores da cidade reclamaram dos transtornos causados pela falta de água nos últimos dias. Em contato com o gestor das unidades local e vinculadas da Corsan, Miguel Lugoch, ele explicou que a interrupção do  abastecimento na sexta, 4, e no sábado, 5, foi ocasionada pela falta de energia na captação de água bruta, no Rio Buricá. 
O motivo é bem conhecido da população local. "Quando acontece interrupção no abastecimento de água à população em virtude de imprevistos, há situações em que os fatores causadores competem à Corsan e outras em que competem à concessionária de energia elétrica. A falta de água nos últimos dias é uma situação que foge ao controle da Corsan, pois está relacionada ao fornecimento de energia na rede que alimenta o sistema de captação e bombeamento no Rio Buricá, na localidade de Lajeado Biriva".  
Conforme Miguel, faltou energia por mais de 9 horas contínuas, por um pequeno problema: desarmou uma chave que liga a rede de energia com o transformador. "Isso resulta em vários transtornos para a Corsan: secam os reservatórios e redes de distribuição; formam bolsas de ar na rede que dificultam a normalização do abastecimento. E, logo nos primeiros dias após ocorrem vários vazamentos", disse, além de lembrar que a situação gera uma série de reclamações dos usuários.
Para o gestor da Corsan, é preciso cobrar mais eficiência da concessionária de energia. "Problemas operacionais da Corsan geram poucas horas de desabastecimento e mais localizados (setores), ocasionados por rompimentos de redes e ramais. Quando falta energia por mais de seis horas, a situação acaba esvaziando os reservatórios, e consequentemente horas e horas sem abastecimento", explica. 
Segundo Miguel, embora não tenha chovido muito nos últimos meses, o nível do Rio Buricá está mais baixo mas não chega comprometer a captação da água e o abastecimento das mais de nove mil economias (casas, apartamentos, empresas, etc., ou seja, cada unidade autônoma abastecida). 

Captação da Corsan, em Lajeado Biriva; abrigo onde ficam as bombas de levante ao lado do Rio Buricá



Indicar a
um Amigo

Comentários

Deixe a sua opinião

Veja Também

14/11/2019   |
08/11/2019   |
08/11/2019   |
08/11/2019   |
01/11/2019   |
01/11/2019   |




Todos os direitos reservados - Jornal Semanal - Três de Maio - RS