Domingo, 8 de dezembro de 2019
Ano XXXI - Edição 1586
(55) 3535-1033
jsemanal@jsemanal.com.br
diagramacao@jsemanal.com.br

Sete empresas vão transferir suas instalações para o Parque Empresarial II

08/11/2019 - Por Jornal Semanal
Tweet Compartilhar
Sete empresas devem se instalar no Parque Empresarial II
Empreendimentos são todos da área de prestação de serviços, principalmente, de transportes e de manutenção automotiva. Entre elas, também está a Certhil, que deve transferir sua fábrica de artefatos de cimento para o local

Sete empresas já podem dar início a instalação de seus empreendimentos no Parque Empresarial II. São elas: Gabinar Manutenção Automotiva Ltda; Cooperativa de Desenvolvimento Social Entre Rios Ltda; Edilson Luiz da Silva e Cia Ltda, Cristiano Gessi e Cia Ltda; e as empresas de Roque Fernando Moreira Schramel; Jonas Luis Loro e Douglas Eduardo Loro, que são da modalidade Empresa Individual de Responsabilidade Limitada (Eireli). 
As empresas são todas da área de prestação de serviços, principalmente de transportes e de manutenção automotiva, e irão ocupar, cada uma, lotes de aproximadamente 1,5 mil metros quadrados. Atualmente, algumas estão instaladas às margens da ERS-342, logo após o pórtico de acesso à cidade; bem como ocupam imóveis alugados, com espaços insuficientes. 
Entre as empresas adquirentes também está a cooperativa Certhil, que pretende transferir sua fábrica de artefatos de cimento (atualmente instalada na sede), para o Parque Empresarial II, ocupando uma área de seis mil metros quadrados. 
Na semana passada, ocorreu o ato de escrituração dos imóveis do Parque Empresarial II para essas empresas que preencheram os requisitos da Lei Municipal nº 2.937/2016 com suas alterações. Realizado no auditório da prefeitura de Três de Maio, a solenidade contou com a presença do prefeito Altair Copatti, vice-prefeita, Eliane Fischer, presidente da Câmara de Vereadores, Nelci A. Recalcati, secretários do governo municipal, vereadores e empresários do município.
De acordo com a legislação municipal, as empresas pagarão pelos lotes adquiridos os valores fixados em lei e o prazo para dar início à construção é de até dois anos. Para o governo municipal, este é um investimento no crescimento das empresas, a geração de oportunidades de trabalho e renda, que refletem na melhoria da qualidade de vida e a garantia dos direitos sociais da população. O prefeito Copatti destacou que, além disso, a transferência das empresas para o novo local, irá proporcionar condições para a sua expansão, trará ganhos urbanísticos, com a fixação dos estabelecimentos em locais mais adequados. 

A escrituração dos imóveis ocorreu na semana passada. Empresas têm até dois anos para dar início às obras de construção

Em tempo: A Eireli é a categoria empresarial que permite à organização possuir apenas um proprietário. Ela foi desenvolvida para que houvesse a possibilidade de um empresário individual ter seu capital pessoal separado do capital envolvido na empresa, ou seja, responsabilidade limitada.
Foi criada em 2011 através da lei nº 12.441, sendo que, anteriormente e sem essa possibilidade, haviam muitas empresas que um proprietário principal constitua a empresa com 99% e apresentava um sócio "fictício" fazendo parte de apenas 1%, para que pudesse ter uma sociedade limitada (Ltda).



Indicar a
um Amigo

Comentários

Deixe a sua opinião

Veja Também

29/11/2019   |
29/11/2019   |
29/11/2019   |
29/11/2019   |
29/11/2019   |
29/11/2019   |




Todos os direitos reservados - Jornal Semanal - Três de Maio - RS