Sexta-feira, 29 de maio de 2020
Ano XXXI - Edição 1604
(55) 3535-1033
jsemanal@jsemanal.com.br
diagramacao@jsemanal.com.br

Três de Maio agora tem árvore lunar

20/03/2020 - Por Jornal Semanal
Tweet Compartilhar
A semana em que a Escola Estadual de Ensino Médio Castelo Branco de Três de Maio completou o 35º aniversário, foi marcada pelo plantio de uma muda da árvore lunar, no último dia 14. A muda foi feita pelo professor da área agrícola, Vilson Cembranel, a partir da árvore que está plantada no Parque de Exposições Alfredo Leandro Carlson de Santa Rosa, desde 1981.
História da árvore lunar 
A árvore lunar é uma planta rara da espécie Sequeoia sempervirens, sendo nativa da América do Norte. Em 1971, durante a viagem da Apollo 14 da Nasa à lua, o astronauta Stuart Roosa orbitou o satélite realizando experiências com centenas de sementes. No fim da expedição e de volta a terra, as sementes foram germinadas e distribuídas pelos Estados Unidos a países com qual tinham ligação. Três mudas vieram para o Brasil, ficando em Brasília, no Rio de Janeiro e no Rio Grande do Sul, em Santa Rosa.
Na época em que a planta veio para Santa Rosa, eram comemorados os 50 anos da cidade, e realizada a V Fenasoja, da qual Nilso Fortunato era presidente. Naquela ocasião, o presidente da República, João Figueiredo, trouxe em mãos a planta como uma forma de agradecimento por um presente que havia recebido de Nilso um tempo atrás, que foi uma bandeira brasileira pintada num pelego. A árvore foi plantada no dia 13 de agosto de 1981, no Parque de Exposições de Santa Rosa, onde se encontra até hoje.
Infelizmente, com o passar dos anos, a árvore caiu no esquecimento e começou a sofrer com ações de vandalismo. "Quando encontrei a planta, ela estava mais morta do que viva. Eu cheguei à conclusão de que aquela planta não ia resistir, já que estava em um lugar errado e fora de seu habitat natural. Comecei a pensar e a pesquisar em como eu poderia ajudar", ressalta Vilson Cembranel, professor da área agrícola que apadrinhou a árvore e, atualmente, é o responsável pela planta. 
A maneira que Vilson encontrou de preservar a árvore, foi plantar outras árvores da mesma família em torno dela, com o pensamento de que nenhum ser vivo, vive sozinho. Ao procurar sementes descobriu que são necessários 50 anos para a reprodução e que não havia disponível para a venda no Brasil. Ao usar seus conhecimentos, a clonagem foi o único caminho em que apostou, e após três anos de muito estudo e tentativas, hoje estão sendo distribuídas mudas da árvore lunar.

O plantio em Três de Maio
Durante o evento de comemoração do 35º aniversário da Escola Castelo Branco, Nilso Fortunato esteve presente e ressaltou que "mais importante do que o plantio da árvore, foi o salvador da árvore, esta pessoa que foi no parque de exposição e adotou a árvore como se fosse sua filha. Tens minha admiração. Gratidão a você, Vilson, se não fosse por você, nós não estaríamos aqui hoje", justificou.
A professora da área das ciências da natureza, Leani Cristina Feilstricker Lutz, revela que, conhecendo toda a história da árvore e, em comemoração ao aniversário da escola, a vice-diretora Mariza Dias sugeriu que fosse feito o pedido de uma das mudas, já que a professora Leani havia realizado uma visita à árvore Lunar com os alunos do 6º ano, em 2019. Desde então, vinha acompanhando a situação da planta. Pedido aceito com muita felicidade e é um legado que veio para Três de Maio por meio da Escola Castelo Branco. "É um monumento vivo das experiências que o ser humano realiza pela busca de conhecimentos", finaliza a professora. 
A equipe diretiva ressalta que o plantio desta muda marca um dos princípios da escola que é a preservação do meio ambiente, e o intuito de passar responsabilidade aos alunos para dar continuidade à história da instituição. O evento foi uma grande honra que marcou a história da escola e deixou todos muito felizes e orgulhosos pela conquista.
A hora do plantio foi de muita emoção. Alunos se juntaram aos professores e todos puderam deixar sua marca, ajudando a plantar, regar, e mostrar o carinho e o cuidado que a comunidade escolar terá com esta planta que marcará a passagem de dezenas de gerações.
Vilson e Nilso ressaltaram que estão muito felizes de estar na escola Castelo Branco, que é muito acolhedora e preocupada com o meio ambiente, o que é uma benção para Três de Maio. "Nós estamos vendo o brilho e a emoção no olhar de cada professor e aluno que estão aqui presentes, e podemos enxergar, através deste olhar, o amor que têm pela natureza e o cuidado que terão com esta muda que agora faz parte da história desta instituição", finalizaram.

Plantio da árvore lunar em comemoração dos 35 anos da escola: (da esquerda para direita) Nilso Fortunato, presidente da V Fenasoja e quem recebeu a árvore lunar em 1981, Lusiane Tolomini, coordenadora pedagógica da E.E.E.M Castelo Branco, Emilene Eichelberger, diretora da E.E.E.M Castelo Branco e Vilson Cembranel, professor da área agrícola e responsável pela muda da  árvore lunar 

Muda foi plantada no pátio da escola. Da esquerda para direita: Nilso Fortunato, Leani Cristina Feilstricker Lutz e Vilson Cembranel




Indicar a
um Amigo

Comentários

Deixe a sua opinião

Veja Também

27/03/2020   |
24/03/2020   |
29/11/2019   |
29/11/2019   |
29/11/2019   |




Todos os direitos reservados - Jornal Semanal - Três de Maio - RS