Sábado, 17 de novembro de 2018
Ano XXX - Edição 1533
(55) 3535-1033
jsemanal@jsemanal.com.br
diagramacao@jsemanal.com.br

Experiência de vida

06/05/2013 - Por Jornal Semanal
Tweet Compartilhar
Gustavo Griebler*

Quando saímos em viagem para lugares desconhecidos para nós temos que nos contentar com tudo o que aparece. Fizemos, em nossas férias de verão, aqui em casa uma excursão para a Argentina e o Chile. Creio que uma das melhores viagens de minha vida, pela rica experiência proporcionada para experimentar uma nova cultura. Reitero que não sou e não somos mais do que ninguém porque conseguimos fazer uma viagem desse teor. Trata-se de reserva de dinheiro.

Pois bem, gostaria de contar dois almoços que tivemos. Dois almoços ótimos, duas refeições espetaculares. No entanto, o preço foi algo que não estamos acostumados por aqui. O primeiro, na cidade de Mendoza, Argentina, custava em torno de trinta reais por pessoa. Com bebida, no fim das contas, almoçamos os três por mais de 100 reais. O copo de suco de laranja está bem inflacionado por lá: oito reais. Por ser o segundo dia de viagem, já tomamos um susto. Os pesos seriam suficientes? Teríamos que recorrer ao cartão de crédito? Mas a comida estava espetacular. Se não foi o melhor, foi um dos melhores restaurantes que comi em minha vida. Creio que nunca havia visto tanta variedade de comida, com massas, saladas, carnes, sobremesas. E creio que nunca comi tanto em minha vida, já que era livre e a fome de um dia inteiro viajando ajudou. A comida era boa demais.

Fato é que administramos o dinheiro dali em diante. Mas no segundo dia na capital do Chile, Santiago, outro susto. Para os três comerem, 200 reais. Recorremos ao cartão de crédito, o que não precisaria no final das contas, pois teríamos dinheiro suficiente. Neste caso, no entanto, a comida era boa, no entanto era um prato servido tão somente. E somente um prato servido, com carne e massa como o que eu pedi, saía por 50 reais, fora os complementos posteriormente.

Valeu a pena? Valeu! Mas é como costumo dizer. Quando você coloca o pé para fora de casa você começa a gastar. E se você não fizer isso, não gastar, tendo dinheiro para isso, reservado para tal fim no meu caso, você não conhecerá outros lugares, não conhecerá outras culturas, não terá experiência de vida. Experiência de vida, isso conta muito na vida da gente. E tenho prezado muito por isso nos últimos tempos, porque rende muitas histórias para contar e te faz crescer muito como pessoa.



* Mestre em Educação nas Ciências.
Professor de Ensino Superior da Setrem.




Indicar a
um Amigo

Comentários

Deixe a sua opinião

Veja Também

09/11/2018   |
19/10/2018   |
11/10/2018   |
05/10/2018   |
28/09/2018   |
21/09/2018   |




Todos os direitos reservados - Jornal Semanal - Três de Maio - RS