Quinta-feira, 15 de novembro de 2018
Ano XXX - Edição 1533
(55) 3535-1033
jsemanal@jsemanal.com.br
diagramacao@jsemanal.com.br

O leite que bebemos

10/06/2013 - Por Jornal Semanal
Tweet Compartilhar
Gustavo Griebler*

Todo este problema envolvendo o leite que veio à tona recentemente serviu para refletirmos de uma maneira geral não somente sobre o leite, mas toda a cadeia produtiva que temos acesso via alimentação. O que estamos comendo, afinal? O que estamos bebendo? O leite, algo tão básico na nossa alimentação, escondia sob suas bonitas caixinhas que não nos permitem ver seu interior algo que em vez de nos fazer bem, nos manter fortificados, algo que poderia nos causar câncer.

Tomo refrigerante, muito pouco na verdade, mas sinceramente não sei o que estou tomando, até porque a fórmula da Coca-Cola, por exemplo, é guardada a sete chaves. Na embalagem temos os ingredientes, mas e o xarope, a alma da Coca-Cola, do que é feito? Não sabemos. Por isso, quando vejo alunos tomando refrigerante de dois litros em grupos pelos corredores da faculdade não me canso de repetir o quão mal pode causar aquilo, apesar de que em algumas situações auxilio monetariamente para o consumo de tal produto, de forma que permaneçam por ali e não vão tomar cerveja fora.

Outra coisa: quando vou a um fast-food, como McDonald's, Burger King, entre outros, muito raramente também, será que estou comendo um hambúrguer tão somente ou o que será que existe por trás dele para ser tão gostoso? Estou comendo no escuro, na verdade.

O resultado de tudo isso podemos ver nas pessoas. Fica transparecido, inclusive em mim: o sobrepeso, a obesidade leve e a obesidade grave. E então, cirurgia de redução de estômago, dietas malucas, academia (ponto positivo), remédio. Olhe um filme antigo: quantas pessoas eram gordas? Contava-se nos dedos. E hoje? O que tornou as pessoas acima do peso? É a alimentação, o "temperinho" a mais para dar um sabor especial, conquistar seu paladar e fazer com que você continue comprando daquela marca dita saborosa.

Enfim, enquanto a ganância existir, enquanto as pessoas perderem a saúde pelo dinheiro, veremos e participaremos de coisas assim. Agora é o leite e depois, o que será?

* Mestre em Educação nas Ciências.
Professor de Ensino Superior da Setrem




Indicar a
um Amigo

Comentários

Deixe a sua opinião

Veja Também

09/11/2018   |
19/10/2018   |
11/10/2018   |
05/10/2018   |
28/09/2018   |
21/09/2018   |




Todos os direitos reservados - Jornal Semanal - Três de Maio - RS