Quarta-feira, 19 de dezembro de 2018
Ano XXX - Edição 1538
(55) 3535-1033
jsemanal@jsemanal.com.br
diagramacao@jsemanal.com.br

Silagem: um dos alimentos mais adequados para a alimentação do gado de leite ou de corte

20/07/2012 - Por Jornal Semanal
Tweet Compartilhar
Aumentar a produtividade e a rentabilidade na atividade leiteira é um desafio para os produtores de leite. Por isso, a busca por informações técnicas na produção leiteira, de forragens, bem como silagem de melhor qualidade para os animais se torna uma constante.
Para capacitar associados e agricultores, a Cotrimaio em parceria com a Syngenta realizaram no mês de maio, palestra sobre práticas e manejo de silagem, destacando o projeto Sillus, que consiste em melhorar a produtividade de leite nas propriedades, através da capacitação técnica do produtor, difusão de tecnologia e conhecimento sobre produção e manejo de silagem.
De acordo com o supervisor de Pecuária da Cotrimaio, Eliseu Roberti a silagem é um dos alimentos mais adequados para a alimentação dos animais nos sistemas de produção de leite ou de carne. "Entre os volumosos, a cultura do milho se torna a melhor alternativa, pois possibilita grandes produtividades de forragem por área em menor tempo, com qualidades nutricionais desejáveis a alimentação dos animais. Possibilitando o plantio sucessivo de outras culturas, e maior rentabilidade na atividade".
Segundo o médico veterinário Jarbas Sperotto, através de sua experiência nacional e internacional no segmento de gado leiteiro, forragens e práticas de silagens, destaca-se a importância do manejo da cultura e escolha do milho. "Visando silagem de alta qualidade, período e tamanho de corte da planta, os cuidados que devem ter na compactação, na retirada de silagem para os animais, bem como a importância de produzir silagem visando qualidade bromatológica e escolha de híbridos com qualidade de grãos".
Na Cotrimaio, os híbridos disponíveis para comercialização são: Attack TL e Fórmula TL. Podem ser comercializados a prazo, ou na troca por grãos de milho ou trigo. Para saber mais, entre em contato com os técnicos e supervisores da rede Cotrimaio.


Deposição e compactação da silagem no silo

No processo de deposição e compactação da silagem no silo, deve-se dar atenção a alguns pontos para que se tenha uma expulsão do ar, controle da respiração, fermentação anaeróbica, consequente elevação da temperatura da massa, favorecimento da ação das bactérias produtoras de ácido láctico, e rápido abaixamento do pH do material ensilado, que são:
- Depositar camadas para compactação de 20 a 30cm
- Inclinação para compactação em direção à entrada do silo
- Compactação com passagens consecutivas
- Usar trator pesado (o mais pesado possível)
- Iniciar o processo de ensilagem e terminar em 3 dias no máximo.
Os fatores que afetam a densidade de compactação são peso do trator, tempo de compactação, teor de água das plantas, altura do silo e tamanho das partículas. No processo de vedação devemos cuidar ao máximo para que não tenha entrada de ar e água para dentro do silo, por isso esta vedação deve ser perfeita e cuidadosa, levando em consideração algumas práticas:
- Cobrir silo com lona dupla face;
- Lonas pretas têm problemas como rasgos, furos, passagem de ar;
- As lonas a serem utilizadas devem ter 150 micras ou mais;
- Cobrir a lona com terra, restos de capins, pneus ou algo que pesado que não interfira na qualidade da lona;
- Proteger a lona de possíveis animais que possam furá-la, como tatu, galinha, cães e o próprio rebanho.
E por fim, na retirada da silagem para fornecimento aos animais, deve-se precaver de que a camada de silagem a ser retirada do silo, diariamente, não deve ser inferior a 20 cm. Mantenha o painel liso, sem ondulações bruscas; volume a ser retirado do painel deve ser perpendicular ao solo; não retire silagem muito tempo antes do consumo pelo animal; retire apenas a quantidade de silagem necessária para evitar desperdício; você pode estar perdendo todo o seu trabalho. É importante também, após a retirada da silagem, proteger o painel com lona; chuvas e a incidência de ventos e raios solares também contribuem, e muito, para a perda da qualidade da silagem.


Eficiência na silagem de milho

Para se ter eficiência na silagem de milho opte por materiais que atendam alguns requisitos básicos:
- Teor de MS em torno de 30 a 35%;
- Alta porcentagem de grãos na massa verde (40 a 45%);
- Alta porcentagem de proteína na massa (acima de 8%);
- Alto valor nutritivo da haste + folhas + grãos;
- Baixo teor de fibras: FDN (fibra em detergente neutro) abaixo de 50%, e FDA (fibra em detergente ácido) abaixo de 30%, e que estas apresentem melhores teores possíveis de digestibilidade;
- Boa palatabilidade (características organolépticas);
- Janela de corte ampla;
- O híbrido ainda deve possuir características agronômicas favoráveis.


Uso adequado de ensiladeiras

A redução de custos, está na boa conservação da silagem que se colhe. Seguido do uso adequado de equipamentos (ensiladeiras) para obter um corte e tamanho de partícula correto, silos limpos, secos e silagem bem-compactada e armazenada.
O tamanho correto de picagem da partícula varia muito em relação a condição da lavoura e equipamento utilizado. Mas deve estar compreendido entre 5 a 19 mm (0,5 a 1,9cm), apresentar uniformidade na massa, e ausente de contaminantes (pau, pedra e etc).
A máquina a ser utilizada deve estar com as facas e contra-facas bem afiadas, após 4 a 5 horas de trabalho deve-se parar para afiá-las novamente. Quanto ao tamanho de picado vai variar conforme se deseja, mas muito importante nessa hora é observar se os grãos de milho estão sendo quebrados, ou na pior das hipóteses, machucados. Prefira máquinas que contenha em seu sistema o Cracker, que é um mecanismo que auxilia na quebra desses grãos.



Fotos



Indicar a
um Amigo

Comentários

Deixe a sua opinião

Veja Também

14/12/2018   |
28/09/2018   |
27/07/2018   |
18/05/2018   |
27/04/2018   |
02/03/2018   |




Todos os direitos reservados - Jornal Semanal - Três de Maio - RS