Sábado, 21 de julho de 2018
Ano XXX - Edição 1516
(55) 3535-1033
jsemanal@jsemanal.com.br
diagramacao@jsemanal.com.br

Com o plantio concluído produtores de trigo aguardam a chegada do frio mais intenso

21/06/2013 - Por Jornal Semanal
Tweet Compartilhar
Fim do prazo do zoneamento agrícola indica a conclusão do plantio das lavouras de trigo em Três de Maio e região

Encerrou ontem, 20, na região de Três de Maio, o período para semeadura das lavouras de trigo no Rio Grande do Sul previsto no Zoneamento Agrícola de Risco Climático utilizado pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA). Conforme os dados apontados pelo setor técnico da Emater, no município, o plantio do trigo atingiu está atingindo os 100% nesta semana.

Ainda aguardando a chegada das baixas temperaturas, típicas de inverno, os produtores rurais de Três de Maio estão concluindo nesta semana a implantação da cultura do trigo nas lavouras. Conforme prognóstico do IBGE, em 2013 foram destinados nove mil hectares à cultura, área equivalente ao ano anterior. "As lavouras de modo geral estão apresentando boa emergência. Nas áreas com plantio mais antecipado as lavouras estão no início da fase de perfilhamento e alguns produtores já iniciaram a adubação de cobertura ou estão fazendo controle de plantas daninhas pós-emergentes", detalhou o engenheiro agrônomo da Emater, Fábio Karlec, fazendo referência também as condições das lavouras na região de Santa Rosa e municípios vizinhos a Três de Maio, como Independência, São José do Inhacorá e Boa Vista do Buricá.

A totalidade do plantio inicialmente previsto coincide com o limite estipulado pelo MAPA no zoneamento agrícola, prazo determinado para enquadramentos de créditos e seguros agrícolas. "Para fins de crédito de custeio agrícola e seguro agrícola (Proagro) o período de semeadura e cultivares utilizadas devem atender as indicações do zoneamento que é publicado anualmente variando conforme região (município), tipo de solo e cultivar", salientou Karlec, lembrando que esses são períodos onde se tem uma menor probabilidade de perdas por adversidades climáticas.

No caso de Três de Maio, o período de semeadura de trigo recomendado para as cultivares dos chamados grupos I e II (Quartzo, Guamirim, Mirante, Horizonte, Onix, entre outros) ia até ontem, 20 de junho, no entanto o período de semeadura das cultivares do grupo III (Bravo, Nova Era, Fenix, Tarumã, entre outros) que são cultivares de ciclo mais longo e com plantio mais antecipado encerrou dia 20 de maio.

O agrônomo alerta ainda para os cuidados a serem tomados com a lavoura de trigo, principalmente em virtude das condições climáticas, como a alta umidade e a não chegada do frio. Segundo Karlec, o trigo é beneficiado por baixas temperaturas em sua fase inicial, tanto para seu desenvolvimento fisiológico como indiretamente, pela redução de pragas e doenças. "Um exemplo prático é o benefício das geadas na fase de estabelecimento da cultura, que ajuda no controle da 'guaxa' (soja nascida de sementes desperdiçadas durante a colheita), reduzindo assim em alguns casos a aplicação de herbicidas específicos", descreve Karlec, lembrando que os produtores estão na expectativa da chegada das baixas temperaturas.

Além do acompanhamento climático, o agrônomo recomenda atenção a partir de agora. "O próximo passo dos triticultores é fazer a adubação de cobertura nitrogenada, monitoramento e controle quando necessário de plantas daninhas, pragas e doenças".

Porém, o técnico alerta para que os investimentos na lavoura no trigo sejam realizados sob orientação para que sejam obtidos resultados satisfatórios. "Cabe ressaltar que o produtor deve sempre ter em mente não só a produtividade, mas também a lucratividade por área, visto que altos investimentos não necessariamente se repercutirão em aumento da lucratividade, podendo em alguns casos até reduzi-la em virtude do aumento dos custos de produção. Nesse sentido informação e assistência técnica qualificada é fundamental para uma boa gestão do empreendimento para uma maior lucratividade".

A perspectiva de produtividade média para esse ano no município é de 2,7 mil quilos por hectares (45 sacas).


FOTO: DIVULGAÇÃO EMATER


Indicar a
um Amigo

Comentários

Deixe a sua opinião

Veja Também

18/05/2018   |
27/04/2018   |
02/03/2018   |
14/07/2017   |
23/06/2017   |
19/05/2017   |




Todos os direitos reservados - Jornal Semanal - Três de Maio - RS