Quarta-feira, 26 de abril de 2017
Ano XXIX - Edição 1454
(55) 3535-1033
jsemanal@jsemanal.com.br
diagramacao@jsemanal.com.br

Doenças de Inverno - Dr. Jean Zanette

28/06/2013 - Por Yara Lampert
Tweet Compartilhar
Dia 21 de junho, oficialmente começou o inverno. Com a chegada da temporada mais fria do ano, aumenta o número de pessoas com infecções respiratórias. Gripes, resfriados, otites, sinusites e pneumonia são as principais doenças desta época. Para entender melhor sobre as doenças respiratórias e como preveni-las, confira a entrevista com o médico pneumologista Jean Zanette.


Quais as suas principais áreas de atuação?
Pneumologia e Terapia Intensiva.

Quais as doenças mais comuns nesta época do ano?
As doenças respiratórias, em especial as infecciosas (resfriados, gripes, sinusites, traqueobronquites e pneumonia).

É possível preveni-las?
Sim, embora reconheça que seja bastante difícil estar atento a todos os detalhes o tempo inteiro. Lavagem exaustiva das mãos (inclusive com álcool gel), proteção adequada ao frio e mudanças de temperatura, a vacinação para a gripe e o uso correto das medicações nos casos de pacientes com doenças crônicas são as principais armas. Alimentação e hidratação adequadas são fatores importantes, principalmente nas crianças e nos mais idosos. Também é válido arejar bem os ambientes, evitar aglomerações e contato com pessoas doentes.

Por que crianças e idosos estão mais propensos a estas complicações?

Os extremos de idade são perigosos, pois nestes períodos a imunidade está em amadurecimento ou diminuída, além das doenças evoluírem com mais rapidez. Idosos e crianças podem ter dificuldade em informar seus sintomas e alguns deles podem ser atípicos.

Muitas doenças apresentam sintomas semelhantes.  Como saber o que é gripe, resfriado e pneumonia?
Muitas vezes é difícil até para o médico treinado diferenciar exatamente os casos. O resfriado comum é mais fácil, pois é restrito à via aérea superior. Não dá febre, apenas congestão nasal, secreção nasal mucóide, alguns espirros e não costuma passar disto. O problema são as gripes por influenza, que causam febre alta, dores no corpo associadas a sintomas respiratórios como tosse, dor de garganta, secreção nasal e podem evoluir para pneumonia viral grave ou mesmo debilitar a pessoa a tal ponto que esta adquire uma outra infecção, esta sim bacteriana. O médico deve sempre ser consultado em caso de febre alta e sintomas que não se resolvem ou não se atenuam em 48 horas.

Por que o sistema respiratório é o principal alvo de vírus e bactérias nesta época?
Por causa do frio e da aglomeração de pessoas, que favorecem este tipo de germes, que necessitam deste tipo de comportamento para proliferarem.

Esta época, pela umidade e o frio, favorece a proliferação de mofo e as crises alérgicas. O que pode ser feito para amenizar estes problemas?
Limpeza constante de ambientes, combate à umidade e arejar bem a casa.

Nesta época, a imunidade do corpo baixa?
Sabe-se que o frio intenso é capaz de diminuir as defesas do sistema respiratório. Assim, agasalhar-se bem e evitar mudanças bruscas de temperatura são boas armas para evitarmos infecções.

Qual a eficácia e a importância da vacina contra a gripe?
Como médico pneumologista, vejo casos gravíssimos que poderiam ser evitados apenas com a simples aplicação da vacina para a gripe. A importância é muito grande, existem estudos que mostram que depois da implementação da vacinação em massa, internações hospitalares e mortes por doenças respiratórias tiveram quedas muito significativas.

O que é mito e verdade quanto aos chás, comidinhas de inverno, andar descalço e cabelo molhado no inverno?
Exposição ao frio é igual à diminuição na capacidade de combater doenças: pés descalços, roupas inadequadas, cabelo molhado são sim fatores que podem influir negativamente. Hidratar-se bem e alimentar-se de forma adequada preparar o corpo para combater germes causadores de infecções. Sim, o chá e a sopa gostosa da vovó fazem bem.

Quais suas ponderações e mensagem aos nossos leitores?
Eu teria três recados importantes:
1. Vacine-se para a gripe. Grupo de risco, principalmente no que se diz respeito a gripe H1N1, é qualquer um que nunca tenha se vacinado. O vírus da vacina é fragmentado e morto, então ele não tem NENHUMA CAPACIDADE DE CAUSAR GRIPE;
2. Lave muito as suas mãos, pois elas são o principal carreador do vírus para os seus olhos, nariz e boca;
3. Não espere muitos dias para consultar se você tem febre ou sintomas que o debilitem demais. Em casos de infecções, o tratamento rápido faz toda a diferença. De preferência, procure um médico habilitado a reconhecer e tratar este tipo de infecção.


FOTO: ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO HSVP



Indicar a
um Amigo

Comentários

Deixe a sua opinião

Veja Também

20/04/2017   |
13/04/2017   |
07/04/2017   |
31/03/2017   |
24/03/2017   |
17/03/2017   |




Todos os direitos reservados - Jornal Semanal - Três de Maio - RS