Terça-feira, 25 de junho de 2019
Ano XXXI - Edição 1563
(55) 3535-1033
jsemanal@jsemanal.com.br
diagramacao@jsemanal.com.br

A Coluna do J

15/07/2013 - Por J Moraes
Tweet Compartilhar
O DAER - Departamento Estadual de Estradas de Rodagem tem se notabilizado por ser um dos órgãos mais travados, burocratizados e ineficientes do Estado. E isso não vem de agora. São sucessivos governos onde esse órgão estatal tem sido apenas um cabide de emprego para apadrinhados políticos. E isso não é só JMoraes quem diz.

EXEMPLOS - Em Três de Maio, há cerca de 4 anos o prefeito Casali vem solicitando a  construção de uma rótula no trevo de entroncamento da Av. Alberto Pasqualini com a ERS 342. O local não oferece segurança por estar localizado em uma subida. Isso coloca em risco motoristas que transitam pela ERS 342 e centenas de moradores do Bairro Sol Nascente, que ficam do outro lado da rodovia.

A POPULAÇÃO inclusive  já fez manifestações no local pedindo  uma rótula. A construção da rotatória no local não deve custar mais que 10 mil reais. Pois até agora, esse órgão demonstrando toda a sua insensibilidade e ineficiência, não fez a obra e tampouco autorizou o município a fazer, colocando a vida de centenas de pessoas em risco todos os dias.

MAIS UMA do ineficiente órgão estadual. A ERS 342 em frente à área industrial em Três de Maio não tem mais acostamento para acessar o local. Pelo contrário, o acostamento que nunca  teve qualquer manutenção nos últimos 20 anos, virou uma buraqueira. Qualquer motorista desavisado que entrar no acostamento para acessar a área industrial pode capotar o veículo mesmo parado. Quem não acredita é só conferir.

INÚMERAS VEZES já foi solicitado ao Daer a recuperação do acostamento e até agora nada. Aquele talvez seja o trecho de rodovia mais movimentado da região. O perigo de um acidente ali é evidente. O município se prontifica a fazer a recuperação, mas cadê a autorização? E ai de um prefeito se fizer algo sem autorização. Quer dizer, o Daer não faz, e não deixa fazer.

TEM alguma coisa muito errada quando um técnico de futebol ganha 500 mil reais por mês e um professor pouco mais de mil reais; ou quando um jogador de futebol ganha até 500 mil reais por mês e um trabalhador pouco mais de 600 reais. Um trabalhador assalariado tem que trabalhar uma vida para ganhar o que um jogador de futebol ganha em um mês. Tem coisa mais absurda? Durante as manifestações, não vi nenhum cartaz denunciando essa aberração.

UM ABRAÇO, uma boa pescaria, curtindo o  som do Eagles.



Indicar a
um Amigo

Comentários

Deixe a sua opinião

Veja Também

23/12/2016   |
16/12/2016   |
12/12/2016   |
02/12/2016   |
25/11/2016   |
18/11/2016   |




Todos os direitos reservados - Jornal Semanal - Três de Maio - RS