Quarta-feira, 13 de dezembro de 2017
Ano XXIX - Edição 1487
(55) 3535-1033
jsemanal@jsemanal.com.br
diagramacao@jsemanal.com.br

Apae promove mobilização na Semana da Pessoa com Deficiência

19/08/2013 - Por Jornal Semanal
Tweet Compartilhar
Foco da programação é mostrar à comunidade três-maiense e regional, a importância do trabalho desenvolvido pela Apae, que atende mais de 200 alunos especiais e este ano completa 44 anos de fundação

Anualmente, a Federação Nacional das Apaes realiza a Semana Nacional da Pessoa com Deficiência Intelectual e Múltipla. Neste ano, a programação inicia no dia 21 de agosto e estende-se até o dia 28. 
A Semana da Pessoa com Deficiência propõe um espaço aberto para as reflexões acerca das lutas contra as adversidades, o preconceito e a discriminação. O objetivo maior é a busca de mudanças da atual realidade e conquista de novos espaços de inclusão e consequente melhoria da qualidade de vida das pessoas com deficiências, como o próprio lema diz "Desafiando os Limites. Diminuindo as diferenças". 
O último Censo do Instituto Brasileiro de Geografia e estatística (IBGE), de 2010, apontou que 23,9% da população, ou seja, cerca de 45,6 milhões de pessoas, declararam ter algum tipo de deficiência visual, auditiva, motora e/ou mental. No levantamento de 2000, eram 14,5% dos brasileiros. 
Em Três de Maio, conforme o mesmo Censo, de um total de 23.726 habitantes, 735 declararam ter deficiência visual, auditiva, motora e/ou intelectual total. Mas há ainda aqueles que declararam ter algum grau de dificuldade (visual, auditiva, motora e/ou intelectual) e outros disseram ter grande dificuldade.
Os números revelam o desafio da inclusão social no Brasil. Por isso, durante a Semana Nacional são realizadas diversas atividades e ações de enfrentamento às diferenças que as pessoas com deficiência intelectual e múltiplas e suas famílias vivenciam diariamente para encontrar seu espaço e reconhecimento na sociedade.

Apae de Três de Maio realiza mobilizações 

A Apae de Três de Maio já está com a programação definida para a Semana Nacional da Pessoa com Deficiência. Segundo a diretora da escola, Nadir Gabe, várias atividades estão programadas, mas o foco é a mobilização contra o fechamento das Apaes no Brasil. "Vamos ter caminhadas, momentos de reflexão, para mostrar à sociedade que as mudanças que o governo federal está propondo são realmente impactantes junto a comunidade". 
Nadir revela a preocupação dos pais dos alunos da Apae. "Eles estão muito apreensivos. O Plano Nacional de Educação - Meta 4, prevê o fechamento das escolas especiais em 2016, que hoje atende pessoas com deficiência mental, cegos e surdos, para incluí-los em escolas regulares. Não somos contra a inclusão. As Apaes apenas gostariam que fosse respeitado o trabalho de inclusão que as mesmas realizam desde o ano de 1954 e o direito das famílias em poder optar qual seria a melhor escola para o seu filho." 
Atualmente, a Apae conta com 213 alunos, dos zero aos 64 anos. A maioria é do município de Três de Maio, mas a escola também tem estudantes de São José do Inhacorá e Doutor Maurício Cardoso. A escola oferece atendimento nas áreas da saúde, assistência social e educação. Uma equipe completa de profissionais dá o suporte para os alunos e suas famílias. " "Nos perguntamos se a sociedade percebe a importância desse assunto? Como seria a comunidade sem um escola especial?", questiona a diretora. 
Nadir destaca que a comunidade tem um carinho especial com a Apae, sempre atende aos chamados e contribui com a escola. Um exemplo é a contribuição no Bingo SOS Apae, o qual tem colaboradores há mais de 20 anos. O valor da contribuição é R$ 25,00 mensais. Hoje, mais de 700 pessoas contribuem,  mas a meta é ampliar este número. 
Na programação, uma caminhada será realizada da praça da igreja matriz até a praça Henrique Becker Filho, no centro da cidade, na manhã da próxima quarta-feira. "Vamos levar cartazes, faixas, distribuir panfletos. Conclamamos toda a comunidade a participar. Venha para rua com a Apae". 

Meta é tornar escola em um centro de referência

A Apae - Escola Helen Keller é mantida com recursos do governo federal, estadual, municipal e comunidade. "Temos uma estrutura que é fruto de recursos de projetos e do trabalho voluntário desenvolvido ao longo dos 44 anos de existência desta instituição. Primamos por qualidade".
Com 60 colaboradores em todas as áreas e mais de 35 pessoas que desenvolvem trabalho voluntário em sua diretoria, a meta é tornar a Apae de Três de Maio um Centro de Referência no atendimento para pessoas com deficiência. Mas para isso, será necessário ampliar o espaço físico. "Mais uma vez depende de nós. Como instituição a Apae está cumprindo seu papel. Sua atitude e respeito às diferenças será a nossa sociedade do amanhã". 
Na quarta-feira, dia 14, o presidente da Apae de Três de Maio e Vice Presidente da Federação das Apaes/RS, Vilson Gentil Foletto foi à Brasília participar da mobilização das Apaes em nível de País. E ontem, dia 15, aconteceu uma audiência pública sobre a violação dos direitos das Apaes na Comissão dos Direitos Humanos em Brasília, no Senado Federal. Representantes do Rio Grande do Sul, onde funcionam 208 Apaes, que contemplam 454 municípios e possuem 4,3 mil profissionais especializados para atender mais de 19,5 mil alunos, participaram do movimento em Brasília.



FOTOS: ALINE GEHM e ARQUIVO/JS

* Na próxima edição do Jornal Semanal, confira reportagem especial sobre a Apae de Três de Maio.


Veja fotos da matéria



Indicar a
um Amigo

Comentários

Deixe a sua opinião

Veja Também

29/09/2017   |
30/06/2017   |
23/09/2016   |
05/02/2016   |
04/12/2015   |
30/10/2015   |




Todos os direitos reservados - Jornal Semanal - Três de Maio - RS