Terça-feira, 18 de junho de 2019
Ano XXXI - Edição 1562
(55) 3535-1033
jsemanal@jsemanal.com.br
diagramacao@jsemanal.com.br

A Coluna do J

26/08/2013 - Por J Moraes
Tweet Compartilhar
SOA COMO PIADA, e de muito mau gosto, a notícia de que o novo Plano Nacional de Educação propõe a extinção das Apaes. É no mínimo uma total falta de conhecimento da importância dessas instituições. Querer colocar pessoas com deficiência na rede regular de ensino, é uma maldade e desconhecimento de uma realidade.
ESSA INTENÇÃO vem na contramão do que sociedade pensa. Ao invés de propor a extinção de uma entidade educacional tão importante  para uma parcela especial da população, o poder público deveria é destinar mais recursos. A maioria das Apaes se sustenta graças ao apoio da população. Se esperasse só por auxílios governamentais, muitas já teriam desaparecido.
A PARTICIPAÇÃO da população na definição de algumas prioridades do orçamento na maioria dos municípios tem oscilado entre 10 e 20%. Mesmo com o discurso de que as demandas priorizadas na Consulta Popular estão sendo atendidos, o percentual não aumenta. Talvez se os recursos destinados para essas consultas fossem mais substanciosos, a população se motivasse.
PEQUENOS MUNICÍPIOS como Nova Candelária e São José do Inhacorá descobriram a fórmula de atrair indústrias. Em Nova Candelária a Indústria de Chá Prenda, uma das maiores do ramo, começa nos próximos dias a construir suas instalações, devendo gerar mais de 100 empregos diretos. Já São José do Inhacorá tem se destacado pela atração de indústrias do setor moveleiro e metal mecânico. São dois pequenos municípios diferenciados.  
REMANDO contra a maré o presidente da Cotrimaio Silceu Dalberto busca soluções para viabilizar aquela que foi umas das mais importantes cooperativas gaúchas. A situação é complicada mas se os associados continuarem acreditando na cooperativa, dando um voto de confiança à nova direção, é boa a chance de dar a volta por cima. A SITUAÇÃO da cooperativa é complicada, mas se todos se unirem em torno dela as coisas ficam bem mais fáceis. Prefeitos, vereadores, ACIs, em todos os munícipios de ação da cooperativa deveriam cerrar fileiras nessa luta. A Cotrimaio, foi, e talvez ainda seja, em vários municípios a maior geradora de emprego e de retorno de impostos. Isso justifica uma tomada de posição das forças políticas e empresariais.
VAPT VUPT A solução para o estacionamento no centro passa pelo asfaltamento de ruas adjacentes. Quanto tempo o Daer vai demorar  para fazer uma recuperação descente do trecho da ERS 342 Horizontina-Três de Maio? Amanhã Caminhada das Vitoriosas. Mês de agosto faz jus a fama que tem.
BOM FIM DE SEMANA, boa pescaria, curtindo Rita Lee.



Indicar a
um Amigo

Comentários

Deixe a sua opinião

Veja Também

23/12/2016   |
16/12/2016   |
12/12/2016   |
02/12/2016   |
25/11/2016   |
18/11/2016   |




Todos os direitos reservados - Jornal Semanal - Três de Maio - RS