Terça-feira, 19 de março de 2019
Ano XXX - Edição 1549
(55) 3535-1033
jsemanal@jsemanal.com.br
diagramacao@jsemanal.com.br

A Coluna do J

02/09/2013 - Por J Moraes
Tweet Compartilhar
A ETERNA PENDENGA entre magistério e governo tem mais um capítulo. Como último recurso para pressionar o governo a atender os professores, apelaram para greve. Entra governo e sai governo e os desentendimentos continuam. Todos os governos, de todos os partidos que já ocuparam o Piratini, não avançaram em quase nada. O discurso de todos foi exatamente igual. Em campanha, prometiam a solução para o impasse, eleitos nada fizeram.
ISSO É SINTOMÁTICO. O furo é mais em baixo. Os governos não aumentam o salário dos professores por que não querem. Nenhum político, nenhum governo, quer se indispor gratuitamente com uma categoria tão numerosa, tão importante e tão organizada. O problema é um só, falta de dinheiro. Todos sabiam e prometeram sabendo que não iam cumprir.
UM SALÁRIO justo e merecido para professores e funcionários, pela importância da tarefa que executam, deveria ser de no mínimo R$ 2500,00. Mas um aumento nessas proporções para uma categoria tão numerosa é inviável. A categoria quer muito menos do que isso. Mesmo assim,  o Eestado não tem dinheiro. É uma luta justa, mas inglória, infelizmente.
TALVEZ ESSA situação comece a mudar a partir do momento em que os royalties do petróleo começarem a irrigar a educação. O Congresso aprovou a destinação de 75% dos royalties para a educação. Se esses recursos forem expressivos como se espera, aí sim a educação nesse País passará  a viver um novo tempo. Até lá, não se pode esperar muito, infelizmente.
RS ABAIXO DE ZERO transformou paisagens gaúchas em cartões-postais europeus. Neve cobriu os campos e serras em pelo menos 25 municípios do Estado. O fenômeno se repetiu pela segunda vez neste inverno. Clima está mudando. "Aguenta corpo véio".
ESTÁ CHEGANDO mais uma semana da Pátria. Mais por obrigação do que por outro motivo, as escolas estão organizando suas programações. Desde que acabou a obrigatoriedade dos desfiles, a essência dessas comemorações ficaram na saudade. Hoje a maioria das escolas manda uma representação. No meu tempo, para não desfilar só com atestado médico.
VAPT VUPT: Os buracos estão de volta nas ruas asfaltadas da cidade. Solução definitiva só com recapeamento. VERGONHA. 14 deputados federais não compareceram a sessão para votar a cassação do colega quadrilheiro. Da região, Elvino Bohn Gass e Darcísio Perondi.
BOM FIM DE SEMANA, ao pé da lareira, curtindo Ray Conniff. 


Indicar a
um Amigo

Comentários

Deixe a sua opinião

Veja Também

23/12/2016   |
16/12/2016   |
12/12/2016   |
02/12/2016   |
25/11/2016   |
18/11/2016   |




Todos os direitos reservados - Jornal Semanal - Três de Maio - RS