Sábado, 23 de março de 2019
Ano XXX - Edição 1549
(55) 3535-1033
jsemanal@jsemanal.com.br
diagramacao@jsemanal.com.br

Economia para Consumo

23/09/2013 - Por João Seno
Tweet Compartilhar
À GUISA DE COMENTÁRIO - MUITA ENCRENCA - Nós os cidadãos estamos enfrentando, além da violência desbragada, muita encrenca. Quando a gente sai de casa de manhã, não se sabe se no fim do dia, está garantida a volta. Muitos voltam, mas baleados ou esfaqueados. Quando não forem assaltados ou sequestrados. Quem sai de casa sobre rodas, pode enfrentar tranqueira no trajeto. São acidentes. São manifestações. E barreiras por todo lado. A vida moderna nem sempre é vida. Há muita liberdade ou permissividade. Os sem-terras protestam e querem terras. Os indígenas querem demarcação de terras e não aceitam negociações. Fecham as ruas. Professores, portando bandeiras e cartazes, querem atendimento das reivindicações. Os motoristas cansados ao volante, param e fecham as estradas. E o cidadão comum, aquele que paga altos tributos, que se lasque, que se dane, que se exploda. Sem embargo, poderia haver muito mais ordem, para se poder usufruir melhor o dia a dia.
"Vivemos tempos de Justo Veríssimo: o povo que se exploda" Um colunista da capital. São tantas as manifestações e tranqueiras nas estradas e avenidas que o povo explode de pura irritação.
OPA! OPA!  -  A reforma política avança a passo de cágado. Muito lerdamente a Câmara dos Deputados faz algumas propostas: 1 - fim da reeleição para cargos de Executivo; 2 - coincidência dos mandatos municipais, estaduais e federais. Isso, a partir de 2018. Pergunta-se: por que não instituir o voto livre?  Por que não o fim da reeleição para cargos legislativos? Nenhuma mudança prevista para as eleições de 2014.
BENEFICIÁRIOS MORTOS  - Cerca de um milhão de pagamentos foram feitos pelo INSS a beneficiários mortos. O pagamento indevido subiu a R$ 500 milhões. O furo foi visto pelo Tribunal de Contas da União. É falta de controle ou seria pura negligência?
FOI RUIM E LONGO O PRONUNCIAMENTO DA PRESIDENTE NA VÉSPERA DO DIA 7 SE SETEMBRO. Ao invés de patriotismo, tratou de semear e vender ações governamentais. Péssimo.  
SE JUSTIFICA A REVOLTA  - A revolta do povo tem suas justificativas: se os nossos parlamentares gastaram, desde 2011, R$ 78,1 milhões com propaganda, isto é, para se autopromover, o que daria para construir 1.900 moradias, o povo sofrido não pode ficar quieto. Esta gastança é uma gritante  injustiça contra a nossa sofrida gente. Até quando?
AS MULTAS SÃO FRUTOS DA NECESSIDADE. TANTO O POVO ATIRA LIXO NAS RUAS E CALÇADAS, ATÉ QUE VÊM AS MULTAS, QUE PODERIAM SER EVITADAS.  
SAFRA RECORDE  - A safra 2012/2013, que está concluída, foi recorde: 187 milhões de toneladas, segundo estatística da Conab - 12,6% maior do que a safra anterior. Os carros-chefe foram a soja e o milho. O PIB agradece. No Rio Grande do Sul, a expansão da safra de grãos foi de 35,3%, com destaque para soja e arroz, atingindo 28,27 milhões de toneladas.  
CONTRIBUIÇÃO DOS INATIVOS  - É forte o movimento dos aposentados em busca do fim da cobrança de contribuição dos inativos, que é de 11%.  A PEC 555/2006  acaba com a contribuição previdenciária dos servidores públicos inativos. Qual o objetivo da contribuição dos inativos?      




Indicar a
um Amigo

Comentários

Deixe a sua opinião

Veja Também

15/03/2019   |
08/03/2019   |
01/03/2019   |
22/02/2019   |
15/02/2019   |
08/02/2019   |




Todos os direitos reservados - Jornal Semanal - Três de Maio - RS