Segunda-feira, 26 de junho de 2017
Ano XXIX - Edição 1462
(55) 3535-1033
jsemanal@jsemanal.com.br
diagramacao@jsemanal.com.br

O Banho de Chopp e a Regra de Ouro...

14/10/2013 - Por Jornal Semanal
Tweet Compartilhar
Sentado com amigos em um barzinho, conversávamos tranquilamente enquanto aguardávamos nossos pratos. O movimento era intenso e as garçonetes buscavam atender a todos com dedicação...
De repente um barulho de bandeja caindo ao chão, um grito e algo gelado nas minhas costas...
Sem querer, dois garçons se encontraram durante o atendimento, próximo à minha mesa, e um copo cheio de chopp virou sobre o meu casaco...
Percebendo o nervosismo da garçonete, procurei acalmá-la logo.
- "Tudo bem, não foi nada"- falei
- "Me desculpe, por favor, me desculpe. Isso nunca aconteceu, me desculpe"- ela falou aflita
- "Calma, está tudo bem"- falei de novo
Neste momento o chopp atravessou meu casaco e chegou até minhas costas...
-"Tire o casaco querido"- disse Elis com voz suave...
Tirei o casaco e percebi que as outras mesas nos olhavam. Criou-se um burburinho no bar. Procurei disfarçar. Então a garçonete veio de novo:
-"O sr. me desculpe mesmo. Não sei como isso foi ocorrer"
Olhei para ela e disse:
- "No final da noite conversaremos..."
Seguiu a noite. Tranquila. Cheguei a conclusão que eu estava mal sentado, pois havia um trânsito de pessoas nas minhas costas. Aliás, tive certeza que estava mal sentado quando duas pessoas que passaram por trás da minha mesa chutaram, sem querer, a minha cadeira. Eu estava no que chamamos de "passagem". Tratei de me reposicionar...
Ao final da noite, quando o bar já estava fechando olhei a garçonete triste, cabisbaixa. Ela não conseguia me olhar. Então fui até ela e disse:
-"Há cinco anos eu estava em um almoço e estávamos recebendo um político de longe para conversar. Ele tinha uma assessora e ela já estava sentada enquanto nos acomodávamos. Me virei e bati com meu braço em um copo e virei um suco em cima da mesa, que escorreu até ela. A mulher, brava, começou a me xingar. Disse coisas que não gostei de ouvir. Não nos conhecíamos e ela foi implacável comigo. Senti-me muito mal. Tentei me desculpar, mas não adiantou. Senti-me realmente muito mal. Hoje a noite, eu estou me colocando no lugar daquela mulher, que foi molhada com suco e eu tenho duas opções: tratar você como ela me tratou ou entender você. Optei por te entender, pois também já vivi isso. Fique tranquila que está tudo resolvido. Nada na vida é por acaso e hoje entendo o que vivi a alguns anos atrás. Ficaremos amigos agora !"
A moça me olhou no olhos, agradecida. Nós dois sabíamos a sensação de errar, sem intenção, e temer uma repreensão.
Ao final a abracei e agradeci pelo atendimento. Meu dever estava cumprido. A regra de ouro acabava de ser aplicada.
Já falei sobre a regra de ouro em outros textos, você lembra ?
-Faça aos outros o que gostaria que fizessem a você.
Esta é a regra de ouro, e quem aplica ela na vida obtém ótimos resultados, pois toda vez que você usa a regra de ouro, ela de alguma forma retornará até você em algum outro momento. A regra de ouro é irmã da lei "Tudo que se planta, se colhe". Aplique a regra de ouro na sua vida, e sinta a diferença que ela pode causar.

Das minhas leituras da madrugada: "Trate os outros como você gostaria de ser tratado".



Indicar a
um Amigo

Comentários

Deixe a sua opinião

Veja Também

17/04/2015   |
13/04/2015   |
13/04/2015   |
27/03/2015   |
20/03/2015   |
13/03/2015   |




Todos os direitos reservados - Jornal Semanal - Três de Maio - RS