Quinta-feira, 23 de maio de 2019
Ano XXX - Edição 1558
(55) 3535-1033
jsemanal@jsemanal.com.br
diagramacao@jsemanal.com.br

Economia para Consumo

20/01/2014 - Por João Seno
Tweet Compartilhar
À GUISA DE COMENTÁRIO - UM MOMENTO ESPECIAL  -  Um momento especial na vida da gente. Não cívico. Não político, Um momento diferente: as bodas do filho. Casar ainda é possível, segundo os costumes da família tradicional. "Ninguém mais quer casar, por quê?" perguntou enfaticamente o celebrante na homilia."Por causa dos compromissos", respondeu laconicamente o sacerdote. Mas o Júlio César e a Lisandra não tiveram receio dos compromissos e assumiram o sacramento do matrimônio até o último dia de suas vidas, com todas as duras consequências. Ainda há, pois, quem quer compromissos e se propõe a honrá-los por toda vida. Fosse essa a regra geral dos humanos viventes, o mundo de hoje seria bem mais vivencial. Os nubentes emocionaram pela sua singeleza e pela alegria contagiante  de quem age em consciência. Mostraram que estão de bem com a vida. E este vai ser ser na dor e na alegria, o combustível de suas vidas. Quem é pai e mãe, se emociona, porque, hoje, casamento, quando há, quase não dura, apesar das juras na presença de todos. Foi um casamento sem pompa e sem a tradicional Ave-Maria de Gunot, mas com emoção e alegria.

ESTAMOS RODEADOS DE LARÁPIOS E CIDADÃOS MAL-INTENCIONADOS. Cuidado com a gatunagem que está solta neste País.

DESAFIOS PARA 2014  - De cara, a inflação será um desafio em 2014 para as autoridades fazendárias. Deixaram a inflação disparar no segundo semestre de 2013, apesar das pregações otimistas nas falas dos governantes no final do ano. Em dezembro passado, o índice inflacionário subiu para 0,92%, terminando o ano o IPCA em 5,91%, bem acima do previsto pelo mercado. Os vilões da disparada da inflação foram os alimentos e as bebidas, que desandaram 8,48%. A projeção da inflação em 2014 aponta 6%.

SUGESTÕES - As pessoas estão se penalizando com o caso deste colunista, tangente ao apartamento 402, ocupado pelo famoso gaudério, que não arreda pé. Até sugestões estão me dando, como espalhar sal grosso, benzer com água benta. E até veio a sugestão  do uso do pagar para desocupar. Esta, me disseram, é a maneira usada no Mato Grosso, para maus pagadores e inquilinos que se negam a desocupação de imóveis. Isso, quando não há outro jeito, são instrumentos disponíveis.  

REAJUSTE ABAIXO DA INFLAÇÃO - Novamente o reajuste dos aposentados será abaixo da inflação, conforme vem acontecendo sistematicamente todos os anos. Em 2014, os aposentados serão reajustados em 5,56%, enquanto a inflação oficial  de 2013 atingiu 5,91%. Por isso, os aposentados estão se descapitalizando e muitos deles têm que voltar a trabalhar para sobreviver.

ATÉ A VENEZUELA DÁ EXEMPLO AO BRASIL NA CONTENÇÃO DA VIOLÊNCIA. ENQUANTO ISSO, A PRESIDENTE DILMA NÃO DISSE PALAVRA SOBRE OS EPISÓDIOS DEGRADANTES DO MARANHÃO, PARA NÃO FERIR SUSCETIBILIDADES DE ALIADOS.

CUBA TEM PREFERÊNCIA
- Estranho esse namoro do Brasil com Cuba.  De lá vêm os médicos, mas não é só isso. Existem outras camaradagens com aquele país dominado por ditadores, há meio século. O governo do PT destinou mais dinheiro na estrutura portuária de Cuba do que nos portos brasileiros. O BNDES liberou R$ 668 milhões para a reestruturação do Porto de Mariel. Tudo em regime de segredo. O maior investimento brasileiro feito em portos nos últimos anos foi em Cuba. Então, fica assim: primeiro Cuba, depois o Brasil. Tem gato na tuba!


Indicar a
um Amigo

Comentários

Deixe a sua opinião

Veja Também

17/05/2019   |
10/05/2019   |
04/05/2019   |
26/04/2019   |
12/04/2019   |
05/04/2019   |




Todos os direitos reservados - Jornal Semanal - Três de Maio - RS