Segunda-feira, 12 de novembro de 2018
Ano XXX - Edição 1533
(55) 3535-1033
jsemanal@jsemanal.com.br
diagramacao@jsemanal.com.br

BARBARIDADES EM UMA SALA DE MUSCULAÇÃO

21/01/2014 - Por Jornal Semanal
Tweet Compartilhar
Gabriela Griebler*

Em algum momento parei para pensar nas barbaridades que muitos profissionais fazem com seus alunos nas academias. Para quem está longe desse meio, um site de vídeos na internet chamado Youtube é uma ótima ferramenta para se tirar a prova real dessas situações. Posso dizer que há conteúdos interessantes, mas também há loucuras inimagináveis que os alunos são submetidos pelos seus treinadores.

Antes de qualquer programa de exercícios físicos se faz uma anamnese, espécie de avaliação com perguntas para "mapear" o aluno, conhecê-lo melhor para montar um programa correto de exercícios conforme seus objetivos. Então eu pergunto: Por que há profissionais prescrevendo agachamento até o chão para um público que não precisa dessa função? Não questionando a eficiência muscular, pois querendo ou não é o melhor para se ter as sonhadas pernas e bundas, mas infelizmente um dia não existirá mais joelho que suporte essa sobrecarga.

Certas situações incomodam muito para quem presencia, por isso conhecer o aluno é essencial para melhorar sua saúde. Há etapas que precisam ser seguidas até fazer um agachamento com uma barra nas costas por exemplo. Não posso colocar alguém nessa situação, se a pessoa não possui controle e inteligência corporal o suficiente. Como vou realizar ações cruzadas sem começar com as paralelas? Como vou movimentar sem antes estabilizar? Há profissionais pulando essas etapas e submetendo seus alunos a no mínimo uma hérnia de disco.

Qualquer pessoa tem conhecimento que o treino necessita de uma variabilidade para gerar resultados, o que ele não precisa é de loucuras para impressionar os alunos. Cada corpo é um corpo, seguindo o princípio da individualidade biológica, então "PRA QUÊ" colocar o aluno de pé em uma bola suíça, se ele não vai ocupar isso no dia a dia dele? É legal sair correndo com elásticos na cintura, saltar por cima de vários steps...É bonito ver alguém fazendo e é lindo querer fazer. Para iniciar o trabalho de potência precisa-se calcular seu V02 e fazer uma avaliação postural no mínimo, mas muitos profissionais esquecem desse "pequeno detalhe".

Um exemplo clássico que a Rede Globo nos proporcionou foi A Medida Certa no programa Fantástico. Desde o princípio quando acompanhei, quem prestou atenção, quase sempre escapava um dedo embaixo da fita métrica ao verificar a circunferência abdominal. Outra situação que me intrigou foi quando o profissional ao utilizar o adipômetro na coxa de uma das meninas verificou a medida por cima de sua roupa e estando deitada, o que é incorreto. Desde quando se faz assim?
 
Para piorar a situação a Preta Gil com seu problema no joelho foi submetida a uma prova aquática sentindo muita dor não conseguindo concluí-la, sendo que a água é um meio totalmente instável e pode ser trabalhado todos os planos. Era óbvio que ela ia sentir dor, ainda sendo puxada por um cinto de tração pelo adversário, mas como ela emagreceu e combinou exercícios de fortalecimento muscular, consequentemente suas dores diminuíram.

Cuidado pessoal, essas barbaridades estão com tudo e os fisioterapeutas agradecem!

* Acadêmica do Curso de Educação Física
 7º semestre-Unijuí-Ijuí



Indicar a
um Amigo

Comentários

Deixe a sua opinião

Veja Também

09/11/2018   |
19/10/2018   |
11/10/2018   |
05/10/2018   |
28/09/2018   |
21/09/2018   |




Todos os direitos reservados - Jornal Semanal - Três de Maio - RS