Segunda-feira, 25 de março de 2019
Ano XXX - Edição 1549
(55) 3535-1033
jsemanal@jsemanal.com.br
diagramacao@jsemanal.com.br

Economia para Consumo

27/01/2014 - Por João Seno
Tweet Compartilhar
À GUISA DE COMENTÁRIO - MUITA COBRANÇA E POUCO DINHEIRO  - As pessoas estão cada vez mais exigentes. Buscam melhorias  em todos os segmentos. Ninguém mais aceita o sacrifício. Tempos havia em que as pessoas se resignavam e aceitavam modestamente condições humildes. Não havia o automóvel. Nem havia a televisão e nem havia o complexo de benesses deste início de século XXI. Em função disso, virou hábito cobrar boas estradas, energia elétrica e toda sorte de infraestrutura. É o novo padrão de vida da cidade e também do interior. Uma vez ter carro era exceção, hoje, virou regra. Evidentemente, o modo de vida, tanto na cidade como no interior, custa mais caro, porque as despesas são elevadas. Em função disso, falta dinheiro, porque as receitas não acompanham as despesas. Esta gritante falta de dinheiro não está apenas no bolso do cidadão, mas também no caixa dos órgãos públicos. Simplesmente, não há dinheiro para tudo. Então precisa cortar aqui e cortar acolá. O homem público precisa fazer a gestão do possível e do impossível.

DURO NA INFLAÇÃO  -  O Comitê de Política Monetária não esperou muito para dar duro na espiral da inflação. Quando o mês de janeiro ainda chegava em sua metade, a taxa básica Selic foi alterada para 10,50%, subindo 0,50%. Tudo porque as perspectivas anunciadas de que a inflação de 2014 poderia atingir os 6%. E uma das únicas medidas usadas para conter a inflação, ou animar o consumo, evitando a estagnação, vem sendo o manuseio da taxa básica Selic.

DÓLAR VAI A R$ 3,00 EM 2014? AI!AI!AI!. Os exportadores rezam para que seja verdade. Os importadores imploram, para que seja mentira. E os picaretas o que dizem?

QUEM SERÁ O VILÃO?  - É boa e oportuna a pergunta. No ano passado, o vilão da inflação foi o tomate. Neste ano, pode ser o feijão, o combustível, ou quem sabe, a cebola, a batata a erva-mate. De repente, não mais do que de repente, o vilão põe as unhas de fora.

JÁ SABIAM QUE A FALSA ACUSAÇÃO DE ESTUPRO É TÃO GRAVE QUANTO O ESTUPRO?

REFORMA ADMINISTRATIVA - É realidade em Três de Maio. Desde a sexta-feira da semana passada, quando o prefeito municipal, na presença de mais de uma centena de servidores municipais, assinou simbolicamente a Lei n° 2788/2014, que institui o plano de cargos e salários dos servidores, uma das quatro peças que constituem a reforma administrativa. É o cumprimento de uma promessa de campanha.

QUEM?  - Doente grave não paga imposto de Renda. A Receita Federal relaciona 16 enfermidades com direito ao benefício. Só no Rio Grande do Sul há 60 mil contribuintes nesta condição. É preciso averiguar onde o contribuinte se enquadra para ser beneficiado. Este ano o IR será salgado.

NÃO TEM JEITO  - Entra ano, sai ano e o 402 não libera. Já vai para 31 meses que o famoso gaudério está intimado judicialmente para deixar o 402, mas ele está gostando de morar de graça. Quem sabe em 2014, o meu santo me ajuda, já que nem com a Justiça o inquilino arreda pé.

A MODA AGORA SÃO OS ROLEZINHOS. E OS DESORDEIROS JÁ ARRANJARAM PROTETORES COMO ACONTECEU COM OS BLACK BOYS NAS MANIFESTAÇÕES. ELES PROTESTAM CONTRA A DISCRIMINAÇÃO SOCIAL. VEJAM SÓ! TEM DE TUDO.


Indicar a
um Amigo

Comentários

Deixe a sua opinião

Veja Também

15/03/2019   |
08/03/2019   |
01/03/2019   |
22/02/2019   |
15/02/2019   |
08/02/2019   |




Todos os direitos reservados - Jornal Semanal - Três de Maio - RS