Sábado, 29 de abril de 2017
Ano XXIX - Edição 1454
(55) 3535-1033
jsemanal@jsemanal.com.br
diagramacao@jsemanal.com.br

Ar condicionado, vilão ou mocinho?

03/02/2014 - Por Yara Lampert
Tweet Compartilhar
Com os termômetros passando habitualmente dos 30ºC, o alívio se resume a usar o ar condicionado. Os lugares com sistema de ar condicionado se tornaram refúgio de muitas pessoas nesses dias de calor que estamos vivendo. O ambiente fica fresco e agradável, porém, diversas complicações podem surgir, caso certas precauções não sejam tomadas. Para falarmos sobre este tema, conversamos com o médico pneumologista Jean Zanette. Segue a entrevista:

Ar condicionado, vilão ou mocinho nestes dias de muito calor?
Depende. Embora o ar condicionado seja importante para aliviar o calor excessivo, ele retira umidade do ambiente, e isso pode levar a problemas principalmente em quem já sofre com algum problema respiratório.

A exposição por muito tempo em ambiente climatizado é prejudicial à saúde?
A princípio pode ser sim. Se a pessoa se expuser por um tempo prolongado a temperaturas muito baixas, aliadas à não ventilação do ambiente (janelas fechadas em ambiente de trabalho, por exemplo) e à baixa umidificação do ar, a incidência de problemas respiratórios pode aumentar. Devemos lembrar que os vírus se espalham com mais facilidade em ambientes sem ventilação, e que a umidade para tornar confortável a nossa respiração se situa entre 50-60%, o que muitas vezes não ocorre quando se usa o ar condicionado de forma ininterrupta.

É quase impossível não passar pelos choques térmicos: ambiente climatizado e não climatizado. Qual sua orientação para melhor precaver a saúde?
Realmente é difícil, o ideal seria fazer uma transição mais lenta. Outra medida importante é nunca descuidar da hidratação, ingerindo líquidos com frequência. Algumas pessoas vão inclusive precisar de aplicações tópicas de soro fisiológico nas narinas. Proteção contra o frio é essencial, com roupas adequadas.

Qual seria a temperatura adequada para um ambiente?
Aquela que der conforto sem exagerar na queda de temperatura. Acredito que em torno de 25 graus isso possa ser atingido.

Devido a estas altas temperaturas, quais as queixas mais comuns em seu consultório?
Infecções respiratórias, tosse, rinite e eventualmente asma brônquica descompensada. O tratamento vai depender da queixa do paciente, e pode variar de cuidados gerais até medicação contínua e antibióticos.

A falta de limpeza do ar condicionado, interfere nas doenças respiratórias? Quais as mais frequentes?
Sim, sem dúvida, e a manutenção do ar condicionado com limpeza constante (inclusive nos carros!) é um dos cuidados mais importantes. Os problemas mais frequentes são as infecções respiratórias e os quadros alérgicos, podendo variar de tosse persistente até crises de falta de ar e chiado no peito.

Quais os outros cuidados a serem tomados com o ambiente em que o aparelho está instalado?
Dimensionar a quantidade de pessoas no cômodo e o tamanho deste, para instalar um ar condicionado de tamanho adequado para a demanda. Limpeza constante é fundamental, além de tentar umidificar o ambiente se o aparelho for usado por muitas horas (recipientes com água, toalhas molhadas, etc).

Para as altas temperaturas se tornarem mais amenas e mantermos a qualidade de nossa saúde, quais são as outras dicas?
Hidratação é fundamental, com especial atenção aos idosos e às crianças. Isso pode ser feito inclusive à beira da cama, com uma garrafinha de água para beber nos intervalos do sono ou quando vai ao banheiro. Uumidificar e ventilar o ambiente sempre que possível. Lavagem constante de mãos também é sempre bom, para evitar transmissão de vírus causadores de doenças.



Indicar a
um Amigo

Comentários

Deixe a sua opinião

Veja Também

20/04/2017   |
13/04/2017   |
07/04/2017   |
31/03/2017   |
24/03/2017   |
17/03/2017   |




Todos os direitos reservados - Jornal Semanal - Três de Maio - RS