Terça-feira, 12 de dezembro de 2017
Ano XXIX - Edição 1487
(55) 3535-1033
jsemanal@jsemanal.com.br
diagramacao@jsemanal.com.br

Subseção da OAB de Três de Maio tem 167 advogados inscritos

10/08/2012 - Por Jornal Semanal
Tweet Compartilhar
A criação da Subseção de Três de Maio se deu no dia 7 de junho de 1988 e a sua instalação no dia 21 de outubro de 1988. A sede da Subseção está provisoriamente instalada em sala dentro do Foro local, sala esta disponibilizada pelo Poder Judiciário.
A área jurisdicional da Subeseção de Três de Maio abrange os municípios que formam a Comarca, ou seja, Três de Maio (sede), Independência, Alegria, São José do Inhacora, Boa Vista do Buricá e Nova Candelária.
Na Subseção de Três de Maio estão inscritos oficialmente 167 advogados(as), entretanto, muitos não estão no efetivo exercício da profissão. O advogado em efetivo exercício da advocacia com a inscrição mais antiga é o Irineu Antônio Zart e o mais recente Vitor Sauer. O presidente da Subseção da OAB/RS de Três de Maio é Vilson Luiz Vanin Trage.



37 anos dedicados a advocacia

O advogado Irineu Antonio Zart, 60 anos, é um dos pioneiros da profissão em Três de Maio. Ele atua na advocacia desde 1975, na área cível e área criminal. Ao longo dos 37 anos, diz ser  inviável dimensionar o número de causas/ações em que atuou.
Neste sábado, dia 11, ele recebe a Comenda Oswaldo Vergara, concedida pela Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) do Rio Grande do Sul. A homenagem ocorre no Teatro Dante Barone da Assembleia Legislativa, às 17 horas, em Porto Alegre é a distinção mais importante da entidade.
Para o advogado, nos últimos anos, o exercício da advocacia passou a exigir bem mais, diante da agilidade de informações e uma necessidade constante de atualização. "A profissão é indispensável; lidamos com direitos, obrigações e principalmente emoções das pessoas. Com isso, estas devem sempre ter a devida atenção e respeito diante de suas aspirações".
Irineu reitera que, não só na atualidade, mas de longo tempo, a atividade apresenta desafios constantes. "Profissão honrada, embora a ética nem sempre prevaleçe na atuação de alguns profissionais".
O advogado ressalta que é de domínio público que a advocacia em geral e o próprio Judiciário, tiveram suas dificuldades acentuadas, com o grande aumento  no número de processos judiciais. "Mesmo com o esforço de todos (juízes, promotores, servidores e os próprios advogados), as dificuldades atuais se acentuaram, exigindo mais de cada um.
Na opinião de Irineu, o Curso de Ciências Jurídicas e Sociais (Direito) é o ramo que, seguramente, abre maior possibilidade para o exercício de outras profissões, além da advocacia, principalmente no que tange a concursos públicos.
Mesmo atuando há anos na área, o advogado admite que não se sente com autoridade para dar conselhos aos que estão ingressando na profissão. "Diante da experiência adquirida, diria aos iniciantes que o advogado necessita estar sempre atualizado, estudar constantemente, ter paciência, procurar entender as pessoas, defender com lisura os interesses dos Constituintes e, acima de tudo, ser ético e honesto".



Selton Mello recebeu a carteira há pouco mais de um mês

Selton Sallet Melo, 25 anos, recebeu a carteira profissional em 3 de julho. Desde então atua como advogado em Três de Maio. Mas, desde 2009 exercia a função de estagiário em escritório de advocacia.
Apaixonado pela profissão, Selton diz que um dos fatores que influenciou na escolha, é que o curso de Direito pode ser considerado um instrumento de pacificação da sociedade. "Percebi que resolver conflitos, pacificar, aplicar a lei, é álgo totalmente apaixonante, uma vez que o bacharel em Direito, após tornar-se advogado, pode plenamente defender a violação de um direito alheio, defender a violação de algo que pertence a alguém".
Para Selton, o Direito e a profissão de advogado não se resumem a processos, litígios, mas sim defender algo que ninguém, absolutamente ninguém pode tirar do outro: o seu direito."Estou começando minha carreira jurídica, e espero buscar o meu espaço, através de trabalho sério, comprometimento e transparência".



Mais novo advogado de Três de Maio recebeu a carteira da OAB nesta semana

No último dia 8, a Subseção da OAB de Três de Maio entregou a carteira profissional ao mais novo advogado do município: Vítor Seger Sauer, 27 anos.
Vitor é formado em Direito desde 2009 e trabalhou durante três anos como assessor de Juiz de Direito nas comarcas de Três de Maio e São Sepé; e na Comarca de Três de Maio como Conciliador no Juizado Especial Cível e na Comarca de São Sepé como Juiz-Leigo. É pós-graduado em Direito do Trabalho e Direito Processual do Trabalho e prestou o Exame da Ordem em 2011.
Vitor inicia as atividades profissionais na segunda quinzena deste mês com escritório em Três de Maio.
A escolha de Vitor pelo curso de direito foi uma opção natural, pois sempre vivenciou o mundo forense, já que é filho de Oficiais de Justiça.
O advogado confessa que logo nas primeiras aulas de Direito, o sentimento foi de realização, pois sabia que tinha feito a escolha correta.
Vitor reitera que o direito deve ser exercido sem a exclusão do direito dos outros. "Para a completa realização profissional, devemos ser intransigentes com a injustiça e com a ilegalidade, zelar pelos direitos e garantias dos cidadãos, agir com probidade, eficiência e ética na defesa das demandas."


"Mercado de trabalho é muito amplo e cada advogado haverá de encontrar sua fatia nele", diz o presidente da Subseção da OAB local, Vilson Vanin Trage


O advogado Vilson Luiz Vanin Trage, atual presidente da Subseção da OAB/RS de Três de Maio, completou no dia 1º de agosto deste ano, 32 anos de inscrição nos quadros da Ordem Gaúcha e também de efetivo exercício profissional. Ele revela que nunca exerceu outra profissão além do magistério superior em Direito, após sua colação de grau em Ciências Jurídicas e Sociais pela Pontifícia Universidade Católica de Porto Alegre.
Segundo Vilson, a profissão de  advogado é de regra muito gratificante e enriquecedora, porquanto, permite conhecer o lado mais nobre e íntegro do ser humano. "Entretanto, por vezes ela se torna uma das profissões de maior desgaste emocional e penosa, pois permite também conhecer o lado mais negro, obscuro, perverso e degradante deste mesmo ser humano".
Para o advogado, a profissão nos dias atuais está difícil, principalmente para aquele jovem advogado que se lança no mercado de trabalho e precisa enfrentar a concorrência daqueles já estabelecidos há mais tempo. "Todavia, com trabalho competente, ético e transparente, o momento de colher os frutos da profissão não demora, pois o mercado de trabalho é muito amplo e cada um haverá de encontrar sua fatia nele".
Conforme o presidente, nos últimos dez anos houve um enorme ingresso de advogados nos quadros da Ordem em todo o país. Em Três de Maio, nos últimos dez anos a Subseção deve ter recebido mais de 50 novas inscrições de advogados(as.  "Há dez anos tínhamos em torno de 50 advogados inscritos e em efetivo exercício da profissão, e hoje são mais de cem".



Fotos



Indicar a
um Amigo

Comentários

Deixe a sua opinião

Veja Também

24/11/2017   |
10/11/2017   |
29/09/2017   |
29/09/2017   |
15/09/2017   |
08/09/2017   |




Todos os direitos reservados - Jornal Semanal - Três de Maio - RS