Terça-feira, 19 de março de 2019
Ano XXX - Edição 1549
(55) 3535-1033
jsemanal@jsemanal.com.br
diagramacao@jsemanal.com.br

Economia para Consumo

28/03/2014 - Por João Seno
Tweet Compartilhar
À GUISA DE COMENTÁRIO -  MANIA DO ASSISTENCIALISMO  -  Esta pegou de cheio. Existe, hoje, uma categoria de cidadãos que adoram o assistencialismo. Tudo  tem que vir de cima. Tudo tem que vir do governo. É preciso estar consciente de que o dinheiro não cai do céu. Se alguém é assistido, é porque alguém está tirando do bolso. É difícil entender como podem existir aqueles que pensam que o governo pode tudo. Escola de graça. Transporte escolar de graça. Hospital de graça e remédios de graça. Até ônibus de graça, ou quase de graça exigem. Na senda desse espírito vem à exigência de outras tantas gratuidades. Há aqueles que querem o IPTU gratuito. A coleta de lixo gratuita. Até altas patentes cobram auxílio-moradia. Temos que convir que tudo tem custos. Altos custos. Imaginem se o cidadão tivesse que dar destino ao lixo que produz, arcando com as despesas desta destinação de forma correta e legal. É preciso pensar um pouco mais de forma compartilhada. Todos arcando com os custos, os valores se tornam mais acessíveis. Ou será que o nosso planeta se transformou numa bola repleta de egoísmos?

MUITA GENEROSIDADE  -  Esta poucos conhecem. No governo Lula foi editada a Lei n° 12.292, de 20 de julho de 2010, que no seu Artigo 1° reza: "Fica o Poder Executivo autorizado a doar recursos à Autoridade Nacional da Palestina, em apoio à economia palestina para a reconstrução de Gaza, no valor de até R$ 25.000.000,00 (vinte e cinco  milhões de reais)". Que proposta generosa num país, onde falta dinheiro para tudo: educação, segurança, infraestrutura e o que mais.

A SOLUÇÃO DO LIXO REQUER BOA GESTÃO E COMPARTILHAMENTO. E DINHEIRO.

A PREVISÃO DO PIB   -  É fraca a previsão do PIB no primeiro trimestre de 2014. A previsão é de que entre janeiro e março o desempenho do Produto Interno Bruto será um pouco maior de 0,5%.

É PROIBIDO PROIBIR. No entanto, se proíbe a torto e a direito. Mas o que devia ser proibido, não se proíbe. Sorte que ainda temos o direito de ir e vir, de respirar, escrever, falar e proceder.

INFLAÇÃO - A inflação de 2014 aponta para 6,11%. E pode ser maior, porque as circunstâncias são favoráveis. Só aumentar a taxa básica Selic pouco vai resolver. Mas é o que o governo sabe fazer. Aliás, vamos convir que a inflação real supera de longe a oficial.

SISTEMA DE PREÇOS  - "Nos países comunistas o sistema de preços foi substituído por controles a cargo de burocratas. Daí o fracasso do regime socialista, distante que era do ambiente de competição, inovação e produtividade". Quem ensina é o ex-Ministro da Fazenda, Maílson da Nóbrega. Os exemplos estão aí: Cuba, Venezuela, entre outros. Vamos torcer que os preços não descambem aqui, mas também nada de controle de burocratas.

O QUE SE VIU - Numa incursão ordenada pelo Executivo Municipal a sete municípios gaúchos, uma comitiva foi olhar  e colher subsídios sobre o que se passa com o lixo nos outros municípios, já que Três de Maio tem sérios problemas. Os olhos de três secretários e de um vereador viram muita coisa que é diferente da nossa realidade. Foram vistas soluções positivas e que funcionam, que tornam as cidades limpas e aprazíveis, sem os problemas que aqui enfrentamos, população e administração municipal. Só que as boas soluções custam caro. Caxias do Sul e Dois Irmãos têm soluções diferenciadas. As de Caxias do Sul, inviáveis e de Dois Irmãos o modelo é recomendável.




Indicar a
um Amigo

Comentários

Deixe a sua opinião

Veja Também

15/03/2019   |
08/03/2019   |
01/03/2019   |
22/02/2019   |
15/02/2019   |
08/02/2019   |




Todos os direitos reservados - Jornal Semanal - Três de Maio - RS