Sábado, 29 de abril de 2017
Ano XXIX - Edição 1454
(55) 3535-1033
jsemanal@jsemanal.com.br
diagramacao@jsemanal.com.br

Pediatria

09/05/2014 - Por Yara Lampert
Tweet Compartilhar
Nesta edição, a entrevistada é a médica Michele Forgiarini Ferreira,
pediatra do Centro de Reabilitação Portolan.
Na entrevista, ela aborda a importância do aleitamento materno,
fala sobre as demandas da Pediatria, os cuidados com os recém-nascidos
e a bela relação entre pediatra, paciente e pais. Confira:


Por que a escolha da carreira de pediatra?
Decidi ser pediatra quando iniciei o internato em Pediatria na Universidade. Gostei de trabalhar com as crianças: elas são cheias de vida, alegres e sinceras.

Qual é a faixa etária que assiste ao pediatra?
Desde 1969, o Conselho Americano da Prática Pediátrica (Council of Pediatric Practice) aconselha que o acompanhamento com este profissional deve prosseguir até que o paciente complete 21 anos de idade. No entanto, muitas entidades, públicas ou privadas, estabelecem limites arbitrários, como 12, 14 ou 16 anos para o atendimento por pediatras. Lembrando ainda que dentro da área da Pediatria existe uma subespecialidade, a Hebiatria, que atende o adolescente, predeterminada, dos 13 aos 21 anos.

Pelo público infantil ter maior dificuldade de expressar o que sente, isso dificulta o diagnóstico pelo pediatra?
Em alguns casos sim, mas o pediatra deve ter a sensibilidade de ouvir a história relatada pelos responsáveis, examinar de forma criteriosa e, assim, chegar ao diagnóstico correto. A experiência também faz a diferença.

Qual a importância para a criança receber as vacinas obedecendo o cronograma previsto no cartão de vacinação?
As vacinas utilizam os mesmos agentes causadores das doenças, mas inativados, atenuados, modificados ou utilizados apenas em parte. Quando a criança é vacinada, seu organismo produz anticorpos para aquele agente específico. Assim, ao entrar em contato com o vírus ou a bactéria causadores da doença, seu filho está pronto para atacá-los.

Qual a importância do aleitamento materno?
O leite materno é considerado o alimento mais completo para o bebê. Nele estão contidas todas as proteínas, vitaminas, gorduras, água e outras necessidades para o seu completo e correto desenvolvimento. Este contém ainda substâncias tais como anticorpos e glóbulos brancos, essências para proteger o bebê contra doenças.
A amamentação também contribui para o desenvolvimento emocional do bebê, pois promove uma forte ligação emocional com a mãe, transmitindo-lhe segurança e carinho, de modo a facilitar, mais tarde, o seu relacionamento interpessoal e, ainda, contribui para o desenvolvimento psicomotor do bebê. O próprio ato de mamar promove uma melhor flexibilidade na articulação das estruturas que participam na fala e estimula também o padrão respiratório nasal do bebê.
Além do mais, o leite materno tem a vantagem de ser facilmente digerido, muito prático, pois está sempre pronto, e econômico, pois não necessita de ter esterilizador, mamadeiras ou leite em pó!
Para a mãe também traz muitas vantagens, tais como uma maior segurança; queima calorias, de modo a ser mais fácil voltar ao seu peso normal; o útero regressa mais rapidamente ao seu tamanho normal; protege-a da osteoporose, do cancro da mama e do ovário.

As infecções das vias aéreas superiores são as que mais acometem as crianças? Quais suas orientações para os pais?
Sim. Mais da metade das consultas pediátricas são pelas infecções de vias aéreas superiores. Quanto às orientações, são várias, mas podemos citar algumas como: hidratar bem a criança (oferecer água, chás e sucos), respeitar a falta de apetite, consultar o pediatra, evitando o uso de medicamentos por conta própria. Monitorar sinais de complicações (febre alta de difícil controle ou que dure por mais de 5 dias, choro forte parecendo dor, cansaço, respiração ofegante, ruidosa ou difícil, prostração importante).

Quais os maiores cuidados que os pais tem que ter com os filhos recém nascidos?
Estimular o aleitamento materno exclusivo.
Observar icterícia ("amarelão").
Alguns itens devem ser observados, como:
Choro (sede, fome, frio, calor, necessidade de atenção, fraldas excessivamente molhadas, febre, cólicas, fatores ambientais, etc.)
Cólica (em geral, aparecem quando o recém nascido está com duas ou três semanas de vida, tendo intensidade e duração variáveis.)
Evacuações (as primeiras são de coloração escura - mecônio. A partir do quarto ou quinto dia de vida apresentam coloração amarelada. A frequência varia de 5 a 8 vezes ao dia, até uma vez a cada 5 ou 7 dias.)
Urina (Nos primeiros dias deixa uma coloração rosada na fralda. Depois desse período torna-se bem clara.)
A troca de fraldas (Presença de fezes e acúmulo de urina na fralda irritam a pele do bebê, o que pode levar a assaduras. Por isso a troca de fralda e limpeza da pele deve ser feita com frequência. Uso de pomadas preventivas são indicadas.)
Coto umbilical (Limpar o coto após o banho e a cada troca de fraldas, utilizar gaze embebidas em álcool 70%. Não utilizar faixas, curativos ou qualquer outro produto sobre o coto.)
Cuidados com a boca (A higiene bucal da criança deve começar logo nos primeiros dias de vida. Com uma fralda molhada com água filtrada, limpar as gengivas  com muito cuidado. Evitar uso de chupetas. Os bicos das chupetas ou mamadeiras devem ser anatômicos.)
Banho (Deve ser diário e proporciona conforto, tranquilizando o bebê. Sempre cuidando a temperatura da água para não causar queimaduras ou hipotermia.)

Quanto às consultas, elas devem ser mensais?
Recomendamos que as consultas para crianças até um ano de idade devem ser realizadas mensalmente, já a partir do 2º ano de vida, a visita seja feita a cada três meses e, dos 2 ao 6 anos, a mesma deve acontecer semestralmente. Quando o paciente já estiver crescido, deve visitar o pediatra anualmente, e, então, dar continuidade ao seus cuidados com a saúde com um clínico geral anualmente, que dará continuidade ao atendimento, definindo quando há necessidade de um especialista. No entanto, assim como cada criança tem suas particularidades, nós adultos também, e há casos que fogem às regras, devido a alguns acometimentos que possam requerer mais visitas com um profissional.





Indicar a
um Amigo

Comentários

Deixe a sua opinião

Veja Também

20/04/2017   |
13/04/2017   |
07/04/2017   |
31/03/2017   |
24/03/2017   |
17/03/2017   |




Todos os direitos reservados - Jornal Semanal - Três de Maio - RS