Terça-feira, 17 de outubro de 2017
Ano XXIX - Edição 1479
(55) 3535-1033
jsemanal@jsemanal.com.br
diagramacao@jsemanal.com.br

O Adeus ao Capitão...

13/06/2014 - Por Marcos Salomão
Tweet Compartilhar

É difícil falar, é difícil escrever, é difícil imaginar. O maior ídolo que a torcida colorada já teve morreu, com 36 anos, de forma trágica, em um acidente aéreo.

Fernando Lúcio da Costa, mais conhecido como Fernandão esteve presente, como capitão do time, nas duas maiores conquistas que um clube de futebol pode ter: Libertadores da América e Campeonato Mundial.

Fernandão começou a carreira no Goiás e logo se tornou um destaque. O Inter trouxe o jogador apostando as fichas em um líder dentro e fora dos gramados, o que aconteceu naturalmente. Em sua estreia pelo Inter, marcou o gol de número mil em Grenais. Com sua personalidade forte e caráter inigualável, sempre tratou a equipe rival tricolor com todo o respeito possível. A rivalidade dos gramados nunca se estendeu para a vida extra-campo.

A cada jogo, Fernandão passou a desenvolver uma identidade própria com a torcida, e a camisa nove (9) agora tinha um comandante. No vestiário, era ouvido por todos os atletas. Sua opinião era respeitada e o inter passou a construir uma nova história depois da sua chegada...

Não tenho dúvidas que ele foi o maior de todos os ídolos do clube. Podemos, com certeza falar de outros atletas, mas Fernandão foi o capitão das conquistas mais importantes, e um clube precisa de títulos para escrever o seu nome na história.

Em 2005, quando o Inter foi vice campeão brasileiro, em razão dos problemas que surgiram com a arbitragem, a equipe se fechou mais ainda e soube valorizar a vaga para a Taça Libertadores. A tristeza de final de ano, pelo escândalo do campeonato brasileiro seria superada na metade de 2006 quando o colorado derrotou o São Paulo e conseguiu sua primeira Libertadores. Um feito histórico para qualquer clube. O Inter finalmente escrevia seu nome no cenário Internacional. Meses depois o clube passaria pela sua maior prova de fogo. Disputar a final do mundial de clubes contra a forte equipe do Barcelona.

Quem assistiu aos vídeos e reportagem sabe que aquele jogo foi conquistado também fora de campo, em uma reunião no hotel, quando Fernandão e os outros jogadores se reuniram e decidiram que dariam sangue para vencer. Não teriam medo. Não desistiriam. Lutariam pelo sonho, pois talvez aquela oportunidade fosse única.

Minutos antes de entrar em campo foi novamente o capitão quem falou ao vestiário. O vídeo é de arrepiar. O caminho não tinha volta. Era vencer ou vencer. Todos teriam que ter raça. Teriam que marcar. Teriam que bater se fosse preciso. Mas não poderiam desistir...

E a imagem que ficará para sempre nesta geração de colorados é exatamente o capitão levantando a taça do Mundial, quando poucos acreditavam que tamanha façanha seria possível. O Barcelona de Ronaldinho, Puyol, Deco entre outros tantos nomes fortes, não conseguiu vencer o Inter de Porto Alegre.

Obrigado Fernandão. Nossa geração não te esquecerá, assim como nunca entenderá porque algumas vidas jovens como a sua são ceifadas repentinamente. Morarás eternamente em nossos corações e servirás de exemplo aos nossos filhos e netos. Mais uma vez obrigado...
    

 



Indicar a
um Amigo

Comentários

Deixe a sua opinião

Veja Também

17/04/2015   |
13/04/2015   |
13/04/2015   |
27/03/2015   |
20/03/2015   |
13/03/2015   |




Todos os direitos reservados - Jornal Semanal - Três de Maio - RS