Terça-feira, 20 de novembro de 2018
Ano XXX - Edição 1534
(55) 3535-1033
jsemanal@jsemanal.com.br
diagramacao@jsemanal.com.br

Pressão dos pais na prática esportiva dos filhos: FUTSAL

20/06/2014 - Por Jornal Semanal
Tweet Compartilhar
Gabriela Griebler*

Treinar, competir, vencer, prêmios... São palavras comuns no cotidiano de muitos jovens que vislumbram uma carreira de sucesso na área esportiva. Grande influência se dá a partir dos eventos esportivos, ídolos e, principalmente, a pressão dos pais e amigos, que querem resultados imediatos da criança para atender seus interesses e deixá-los orgulhosos. É inaceitável o esporte entrar na vida de uma criança com o intuito de rendimento e competições apenas.

A ideia de iniciar no esporte muito cedo é interessante pela autonomia, disciplina, trabalho em equipe... E não por cobranças excessivas em cima da criança, tanto pelos pais quanto do treinador. Qual criança esportista não foi vítima de tais atitudes imediatas dos pais em um campeonato de futsal? Muitos que vão ler isso irão se identificar, e muitos já foram vítimas disso como eu. Um pai ou uma mãe quase invadindo a quadra para dizer ao filho o que ele deve fazer, por exemplo. Ser um campeão exige muito treino e, consequentemente, podem surgir as lesões precoces, estresse, desinteresse, saturação (pelo fato de ter iniciado muito cedo), onde ela deveria encontrar-se em um ambiente lúdico, será um sacrifício frequentá-lo.

Em muitos casos na iniciação do futsal o que mais se encontra é o treinamento precoce imitando o dos adultos, para com isso se obter resultados em competição. A ideia de competir é excelente para o crescimento pessoal de qualquer pessoa, mas o mal está no tratamento que é dado. Primeiro devem ser pensadas as atividades determinantes para cada faixa etária, começando por um aquecimento lúdico, fundamentos técnicos, táticas em forma de jogo e jogo pré-desportivo, para então iniciar um jogo formal.

Muitos profissionais acreditam que os pais atrapalham no desenvolvimento dos filhos pela pressão, expectativas de sucesso, gols e vitórias. Mas, de modo geral, os pais têm uma participação essencial na vida dos filhos pelo apoio afetivo, pelos conselhos, motivação, incentivos "muitas vezes exagerados". Portanto, sua participação tem mais benefício que malefício.

Levando em consideração os estágios do desenvolvimento motor com a prática esportiva competitiva, na maioria dos casos não são cumpridos todos os estágios pela criança, devido ao treinamento esportivo que dá ênfase na parte específica da modalidade. O treinamento começa de situações básicas até atingir as complexas, para com isso exigir comportamentos adequados à capacidade das crianças para realizá-los. Certas situações que partem do treinador são inúteis, apenas tomam o tempo dos outros de serem crianças.

*Acadêmica do curso de Educação Física -
7º semestre - Unijuí - Ijuí




Indicar a
um Amigo

Comentários

Deixe a sua opinião

Veja Também

16/11/2018   |
09/11/2018   |
19/10/2018   |
11/10/2018   |
05/10/2018   |
28/09/2018   |




Todos os direitos reservados - Jornal Semanal - Três de Maio - RS