Domingo, 25 de junho de 2017
Ano XXIX - Edição 1462
(55) 3535-1033
jsemanal@jsemanal.com.br
diagramacao@jsemanal.com.br

"Vendia biscoitos na infância para ajudar em casa. Hoje, trilho carreira internacional de modelo"

04/07/2014 - Por Jornal Semanal
Tweet Compartilhar
Jessica Neuhaus, filha de Iléria Regner e Elton Neuhaus, foi descoberta por um olheiro enquanto ajudava a mãe na Feira Municipal de Três de Maio. Hoje, com apenas 21 anos, trilha passo a passo uma vida de sonhos: de malas prontas para uma temporada como modelo em Nova York, é comparada a top Candice Swanepoel e namora um piloto de Stock Car.
Neste domingo, dia 6, estará no programa de televisão Domingo Espetacular da Record, que vai ao ar a partir das 19h20min.


Biscoitos com sabor de lembranças

Nasci em uma família humilde na cidade de Três de Maio, Rio Grande do Sul, como a caçula de quatro irmãos, duas irmãs e um irmão. Sempre moramos todos, embora eu não lembre muito dessa época, meus irmãos contam que eram tempos difíceis. Meu pai era mecânico e minha mãe cozinheira. Mesmo assim, posso dizer que fui uma criança feliz: brincava na rua descalça, subia em árvore, tomava banho de mangueira e tinha muitas amigas! Minha mãe fazia as conhecidas bolachas alemãs que aprendeu com minha avó, para ajudar na renda da família. Lembro-me de desde pequena ajudá-la a enfeitar as bolachas com merengue branco e confeitos coloridos, depois colocava em bandejas pequenas e eu ia com ela vender na rua, batendo na porta das pessoas e oferecendo.

Nessa época morávamos na cidade vizinha, Boa Vista do Buricá. Essa receita de bolacha é tradicional, todos conhecem e chamam de bolacha pintada. Até hoje quando vou pro sul trago e faço um estoque - que dura muito pouco (risos). Minha mãe diz que sempre fui boa vendedora, então cresci ajudando ela nas vendas,e quando surgiu a oportunidade de vir para São Paulo, ela continuou acordando às 5 da manhã pra fazer as bolachas e assim, me enviar dinheiro para me sustentar nos primeiros tempos aqui. O início foi difícil, então eu não ganhava dinheiro ainda para conseguir me sustentar sozinha! Nunca senti vergonha de falar do meu passado (aliás, só tenho orgulho), sou feliz e agradecida por tudo que aconteceu na minha vida. Aprendi desde cedo a ter responsabilidades, a ir atrás dos meus sonhos. As pessoas costumam dizer que sou bastante madura para minha idade, mas também, pudera: a vida me ensinou bastante.


 Jessica em ação para um editorial de moda

Da feira municipal pra metrópole: São Paulo!

Desde pequena as pessoas diziam que eu deveria ser modelo quando crescesse. Eu gostava de dançar, participava do grupo de danças na minha escola, dançava de tudo um pouco, até música alemã. Quando conseguimos comprar um vestido de prenda usado que era o traje típico da mulher do gaúcho, eu entrei na dança gaúcha e fiz algumas apresentações. Nelas sempre havia gente de fora e inclusive olheiros em busca de novas modelos. Sempre me perguntavam se eu tinha interesse, mas era muito nova ainda, nem pensava nisso. Foi assim até quando eu tinha quase 15 anos. Saí da feira livre onde ajudava minha mãe duas vezes por semana e um olheiro me viu, perguntou se eu tinha interesse em ser modelo e participar de uma seleção. Eu respondi que não, pois queria ser juíza. Chegando em casa, contei pra minha mãe, que me convenceu a ir, alegando que muitas meninas adorariam a oportunidade. E foi assim: vim pra São Paulo por três dias e acabei ficando por aqui.
Fiz meus primeiros trabalhos quando tinha 14 anos. No primeiro casting, peguei um trabalho legal de um comercial de televisão. Tinha que cantar uma música em inglês, que eu não falava na época, e fazer uma coreografia. Nunca imaginei que fosse conseguir, me diverti bastante e quando disseram que eu havia sido aprovada nem minha booker acreditou, por ser um ótimo trabalho para quem estava começando a carreira! Quando comecei eu tinha mais corpo, então sempre fazia coisas mais comerciais: revistas, catálogos, campanhas. A primeira revista foi inesquecível, eu olhava mil vezes e não acreditava que estava lá. Já fiz vários tipos de trabalho, e cada um tem sua importância pra mim. Seja um job menor ou uma super campanha, sempre dou o meu melhor! Já trabalhei no Brasil e no exterior, e cada dia vivo uma experiência diferente da outra, isso é fantástico!

Uma certa sul-africana

De uns tempos pra cá as pessoas com quem trabalho tem comentado muito da semelhança entre a Candice Swanepoel e eu. No inicio não levava muito a sério, mas as comparações foram ficando mais frequentes a cada dia. Não acredito muito em rótulos. Quando as comparações começaram eu ria e ficava pensando em como poderiam me comparar a ela. A Candice sempre foi minha modelo favorita, sempre achei ela incrível! Depois de tanto falarem eu até parei pra prestar atenção - e talvez tenhamos mesmo algumas características parecidas: cabelos loiros, olhos azuis e os traços talvez lembrem um pouco, sim! Ser comparada a Candice é uma honra pra mim. Me acho bonita, mas é difícil me comparar a ela. No entanto, temos gostos em comum. Por exemplo, o apreço pela natureza. Ela gosta de estar na praia, assim como eu. Enfim, só me serve de inspiração, sobretudo pela carreira que ela construiu. É um sonho pra qualquer modelo e eu pretendo correr muito para chegar lá!


Jessica é comparada com a modelo Candice

Amor e inspiração

Eu conheci o Giuliano Losacco, piloto automobilista bicampeão de Stock Car, há três anos, tínhamos conhecidos em comum, mas eu nunca o tinha visto antes. Foi tudo muito por acaso, mas costumo dizer que ele foi um presente em minha vida. Ele é meu namorado, noivo, amigo e companheiro. Ah, e principalmente meu maior exemplo de profissionalismo. Ele dorme e acorda pensando em automobilismo. Temos isso em comum: torcemos e apoiamos muito um ao outro.
Meu plano daqui pra frente é focar cada vez mais no trabalho, pois sonho com uma carreira bem sucedida. Estou 100% dedicada e sei que tenho um longo caminho pela frente. Há pouco tempo mudei de agência - agora estou na Kee Mod, que tem um trabalho sério que ganhou meu respeito. Em breve irei a Nova York, será um grande passo! Estou dando o melhor de mim pra isso. Depois de um tempo no mercado, me sinto preparada, madura e mais focada do que nunca.


Com o noivo, o automobilista Giuliano Losacco

FONTE: REVISTA GLAMOUR
FOTOS: DIVULGAÇÃO







Indicar a
um Amigo

Comentários

Deixe a sua opinião

Veja Também

13/04/2017   |
31/03/2017   |
03/03/2017   |
17/02/2017   |
17/02/2017   |
10/02/2017   |




Todos os direitos reservados - Jornal Semanal - Três de Maio - RS