Sábado, 19 de janeiro de 2019
Ano XXX - Edição 1541
(55) 3535-1033
jsemanal@jsemanal.com.br
diagramacao@jsemanal.com.br

Economia para Consumo

22/08/2014 - Por João Seno
Tweet Compartilhar
À GUISA DE COMENTÁRIO  - PELO BEM DO POVO  -  A forma de fazer política não está correta. Os candidatos buscam o voto do eleitor. Correto! O objetivo é eleger-se ou reeleger-se. Aí que mora o perigo. Qual a razão de alguém eleger-se governante ou representante parlamentar? Não é o de refestelar-se no poder. Não é de consagrar-se politicamente. O objetivo da eleição é buscar o bem do povo. Os eleitos são votados para bem representar o povo e lutar pelos seus lídimos interesses. Uma vez no poder, no entanto, o esquecimento bate via de regra na ação política dos eleitos. Problemas e reivindicações é que não faltam. O que o povo quer e precisa? Padrão de vida melhor. Muitos não têm emprego ou estão mal empregados. E todos gostariam de ser úteis. Os eleitores querem paz e tranquilidade nas suas casas. E falta segurança pública. E o que os eleitos estão fazendo pela segurança do cidadão? As pessoas querem oportunidades para estudar, para morar melhor, para ter assistência hospitalar. Os idosos precisam de apoio nas suas aposentadorias, que estão sendo enxugadas de ano para ano. As eleitoras querem um não à violência. Por isso, todos os eleitores  queremos um não aos maus políticos.

DECEPÇÃO  -  Quem durante cinquenta anos presta seus serviços à comunidade, quando precisa dum apoio para um único empreguinho não o consegue. Isso decepciona. Há tantos que nada ou pouco fizeram e têm tudo que querem e precisam. 

"SE EU FALAR, NÃO VAI TER ELEIÇÃO".
Assim é que disse o ex-dirigente da Petrobras, Paulo Roberto Costa, preso no Paraná, desde junho. Foi descoberto que tem milhões de dólares em contas no exterior. Mas e o que será que ele sabe que nós não sabemos?

ATÉ A CPI DA PETROBRAS FOI FRAUDADA. AS RESPOSTAS FORAM ENSAIADAS.
Que tal!
"Alberto Youssef (o Beto Youssef) lavava dinheiro para as empreiteiras e repassava depois aos políticos e aos partidos. Era mala de dinheiro para lá e para cá o tempo todo. Nunca tinha visto tanto dinheiro". Quem revela é a contadora do doleiro Alberto Youssef, Meire Poza. Tipo mensalão.

DESTINO CRUEL: "Não morreu somente um candidato a presidente. Morreu uma promessa na política nacional". Uma das tantas frases que foram ditas no cruel passamento do candidato a presidente pelo PSB, Eduardo Campos. Sem dúvida, é uma pena que as promessas se vão e ficam os que só prometem.

O QUADRO ASSUSTA  -  Por todos os lados há queixas. Os consumidores xingam os preços altos dos produtos. Os empresário se queixam da queda das vendas. Indústrias diminuem drasticamente a produção, principalmente o setor metalmecânico e as montadoras de automóveis. Os produtores primários não vendem o produto da última safra, porque os preços estão aquém da expectativa. E as consequências recaem sobre o emprego. Mas o otimismo está voltado para a próxima safra.

PROPOSTA ABSURDA - A última reforma ortográfica ainda não foi aprendida e já estão anunciando outra: a Comissão de Educação do Senado já está propondo uma nova reforma mais radical do que aquela que teve seu prazo alterado até 2016. Durma-se com um barulho desses!




Indicar a
um Amigo

Comentários

Deixe a sua opinião

Veja Também

18/01/2019   |
11/01/2019   |
21/12/2018   |
14/12/2018   |
14/12/2018   |
07/12/2018   |




Todos os direitos reservados - Jornal Semanal - Três de Maio - RS