Sexta-feira, 24 de maio de 2019
Ano XXX - Edição 1558
(55) 3535-1033
jsemanal@jsemanal.com.br
diagramacao@jsemanal.com.br

Economia para Consumo

05/09/2014 - Por João Seno
Tweet Compartilhar
À GUISA DE COMENTÁRIO - PATRIOTISMO É COISA SÉRIA  -   Patriotismo não é coisa da boca para fora. Patriotismo vem de dentro. Do âmago. Patriotismo não se resume em belas palavras e versos encantadores. Saudosistas ou ufanistas. Nem canções cívicas melodiosas. Patriotismo não é coisa reservada só para datas cívicas. É o tempo todo. É dia e noite, todo dia. Quem cumpre as leis e os sadios princípios estabelecidos pode dizer-se patriota. Quem defende o torrão onde nasceu e luta pela grandeza de sua terra, patriota é. A Pátria precisa de todos nós, mas nem todos precisam da Pátria. Refugam a nossa Constituição, não a cumprem e buscam em outras devesas ideologias e princípios estranhos. Não se pode brincar de patriotismo. E nem se pode vender a ideia de que só são patriotas  aqueles que morrem pelo país. E  nem aqueles que levantam títulos e medalhas de campeão. Existem, sem dúvida, muitos patriotas anônimos, escondidos sob a modéstia, mas cumprem  seu dever. O patriotismo é, pois, multicolorido. É multifacetado e diversificado. Só não é patriota quem não quer. Patriotismo é coisa séria e não pilhéria.

APOSENTADOS ACORDAM - Finalmente, os aposentados acordam e reivindicam seus lídimos direitos. Primeiro: exigem do Congresso Nacional a votação do projeto de lei que reajusta as aposentadorias do INSS pelo mesmo número de salários mínimos da época de sua concessão. Segundo: exigem a votação  do Projeto de Emenda Constitucional que extingue a contribuição previdenciária de aposentados e pensionistas. Os deputados candidatos devem estar tremendo.

NÃO CONFERE - Teriam falado que este colunista estaria apoiando o fechamento do Cigres. Negativo! Ninguém está autorizado a espalhar inverdades. O colunista está a favor de uma solução justa e viável. E só. O direito dos trabalhadores precisa ser preservado sempre.

MORTES ASSUSTAM - Os índices de mortes no trânsito brasileiro assustam. Nos últimos dez anos, foram 536 mil mortes nas estradas do Brasil. É praticamente a população de 23 municípios do tamanho de Três de Maio que perderam a vida. E pouco se faz para evitar esta catástrofe.

BOM SERIA SE CADA CIDADÃO CONSEGUISSE DECLARAR SUA INDEPENDÊNCIA.

UTÓPICO OU POSSÍVEL? - Tomei conhecimento das 20 metas do Plano Nacional de Educação. Coisa mais linda! Finalmente na Meta 17 do PNE o magistério deverá ser valorizado. Vejam o que diz a meta:"Valorizar os profissionais do magistério das redes públicas de educação básica de forma a equiparar seu rendimento médio ao dos demais profissionais com escolaridade equivalente, até o sexto ano de vigência deste PNE". Meu caro educador, você acredita nisso? Hoje, se negam a pagar R$ 1.697,00 para 40 horas semanais. O famoso piso nacional do magistério.

FANTASMA  - Há 10 anos atrás, a indústria significava 17% do Produto Interno Bruto nacional, hoje representa apenas e tão somente 11%. O fantasma da recessão ronda o setor industrial brasileiro.

DESACELERAÇÃO  - A desaceleração da economia impacta sobre os empregos formais. A redução de empregos formais já está no terceiro mês consecutivo e as cidades maiores, que concentram maior número de indústrias, são as mais atingidas. E consequentemente cresce o número de seguro-desemprego.  



Indicar a
um Amigo

Comentários

Deixe a sua opinião

Veja Também

17/05/2019   |
10/05/2019   |
04/05/2019   |
26/04/2019   |
12/04/2019   |
05/04/2019   |




Todos os direitos reservados - Jornal Semanal - Três de Maio - RS