Quinta-feira, 17 de agosto de 2017
Ano XXIX - Edição 1470
(55) 3535-1033
jsemanal@jsemanal.com.br
diagramacao@jsemanal.com.br

Psicologia na Prática

19/09/2014 - Por Arlete Salante
Tweet Compartilhar
"Os fatos são teimosos, mas na realidade,
as ideias são mais teimosas do que os fatos e resistem
aos fatos durante muito tempo."
Lenin

Não quero entrar na polêmica que coloca o Rio Grande do Sul em evidência por casos de racismo e homofobia nas últimas semanas. Mas, quero aproveitar o momento para lembrar que por força de ideias pessoas adoecem física e psicologicamente. Por força de ideias, pessoas perdem e tiram a vida, ou ainda,  cometem crimes promovendo desordem social.

As tradições também trazem suas ideias e colaboram com a ordem social quando prestam serviço à vida. Tradição = do latim traditio, que significa "entregar" ou "passar adiante" costumes, comportamentos, memórias, crenças, lendas para pessoas de uma comunidade. Os elementos transmitidos passam a fazer parte da cultura. Além disso, são parte da identidade das pessoas.
Mas será que toda tradição é válida? Quanto de vida faz o legado recebido? Quanto acrescenta? Como pode servir hoje a pessoa e a sociedade? Constrói ou destrói? Pode renovar-se?

Independente de ser tradição gaúcha ou baiana, familiar, cristã, política, educacional, a postura ativa e questionadora salva o indivíduo da passividade e do risco de ficar encapsulado numa estrutura psicológica fixa. O que foi bom num momento da vida pode não ser mais em outro. A repetição cega de ideologias, convicções absolutas, códigos morais rígidos fazem a mente enrijecer. A consciência condicionada nunca é exata, é adequada ao modelo social vigente, e este, muitas vezes distante de ações que promovem e renovam a vida, sufocando a própria identidade. O ritmo de vida saudável é dinâmico e mutável.
Vamos a alguns fatos...(ou sintomas)

É fato que apesar dos avanços sociais, científicos e tecnológicos, as pessoas continuam mal física e psicologicamente. Os indicadores são alarmantes: só de depressão pesquisa da Organização Mundial da Saúde aponta 5% da população mundial que representam 350 milhões de pessoas. O Brasil é o país com a maior prevalência da doença no último ano, com 10,8% da população apresentando o distúrbio mental. De acordo com projeções da Organização Mundial de Saúde (OMS), em 2030 ela será o mal mais prevalente do planeta, à frente de câncer e de algumas doenças infecciosas. Segundo um estudo epidemiológico publicado na revista especializada BMC Medicine, 121 milhões de pessoas estão deprimidas. O número é quase quatro vezes maior do que o de portadores de HIV/Aids (33 milhões). Isso sem citar outros males como ansiedade, insônia e compulsão.

Renovação das ideias....Renovação da vida!

Enquanto o sujeito se deprime e sofre existe uma parte dele que age e causa o mal. Muitas vezes são suas próprias ideias, fixações em estilos de vida que já não servem mais, por mais que socialmente tenham total aprovação. Mas para isso, paga-se com o corpo e com a alma, uma invalidez da vida, a existência perde!

E você, quanto é livre para fazer suas escolhas? Percebe seus condicionamentos? Tornou-se o que é ou o que agrada aos outros?  Repete sem renovar? Tornou-se pessoa? O que te limita?

Pense nisso e bom final de semana!




Indicar a
um Amigo

Comentários

Deixe a sua opinião

Veja Também

15/04/2016   |
08/04/2016   |
01/04/2016   |
24/03/2016   |
18/03/2016   |
11/03/2016   |




Todos os direitos reservados - Jornal Semanal - Três de Maio - RS