Sábado, 17 de novembro de 2018
Ano XXX - Edição 1533
(55) 3535-1033
jsemanal@jsemanal.com.br
diagramacao@jsemanal.com.br

O fim?

10/10/2014 - Por Jornal Semanal
Tweet Compartilhar
Gustavo Griebler*

Foi com muito espanto que recebi a notícia. Como assim o fim do Dom Hermeto? Escola não se fecha, jamais. Pelo contrário, se abrem outras e outras e mais outras. Quanto mais escolas, mais alunos em lugares ótimos para se estar durante a manhã, a tarde e a noite. Quanto mais alunos, mais professores se precisam, por mais que muitos fujam da profissão atualmente.

Uma série de lembranças me veio à cabeça com a espantosa notícia. Iniciei minha caminhada na escola aos quatro anos de idade, no Jardim A, que hoje já recebe outra denominação. Passei por todas as séries até o terceiro ano do ensino médio. No meio do caminho, a denominação de primeiro grau passou a ser ensino fundamental.

Muitas foram as trocas de professores, de uma série para outra, ou propriamente que chegavam e partiam do colégio. Alguns permanecem em nossas lembranças. Quem irá se esquecer do professor Fipo e seus treinos de futsal e basquete e das viagens para participar de competições as mais diversas por diversos locais? Das notas baixas obtidas com a professora Grasi? Das provas compriiiiidas da professora Lori? Das ótimas explicações do professor Gildor, a forma de ensinar história do professor Leandro? Da professora Odila, Lusiane, do meu pai, do professor Mauro, professora Adriana, Eloisa e sua matemática, Jeanete, Chico... É muita gente. Não tenho como relacionar todos. Por favor, não se sintam esquecidos. Desculpem-me se ofendidos. Todos estão guardados no coração dos alunos. Todos estes professores, de alguma maneira, ajudaram a me constituir como professor também.

E da Ir. Mercedes? Esta é uma das pessoas que mais deve estar sofrendo, tenho certeza, por mais silencioso que possa estar a sua manifestação agora. Lembro dela caminhando pelos corredores e pátios do colégio cuidando dos alunos, abrindo as portas, tratando da limpeza. Ela é um exemplo de trabalho que levo sempre comigo.

O Dom Hermeto não deve acabar. Não mesmo. Faz parte da minha história, da história de muita gente e da história de Três de Maio e região. Tenho certeza que outras mãos conduzirão a escola de agora em diante, sem jamais deixar seus valores fundamentais perderem-se. Que o DH continue educando a muitos, assim como me educou e a muitos.

* Mestre em Educação nas Ciências.
Professor de Ensino Básico, Técnico e Tecnológico do
Instituto Federal Farroupilha - Câmpus Avançado de Uruguaiana.





Indicar a
um Amigo

Comentários

Deixe a sua opinião

Veja Também

09/11/2018   |
19/10/2018   |
11/10/2018   |
05/10/2018   |
28/09/2018   |
21/09/2018   |




Todos os direitos reservados - Jornal Semanal - Três de Maio - RS