Domingo, 22 de outubro de 2017
Ano XXIX - Edição 1479
(55) 3535-1033
jsemanal@jsemanal.com.br
diagramacao@jsemanal.com.br

Aos Mestres com carinho!

17/10/2014 - Por Arlete Salante
Tweet Compartilhar
"A educação não pode ser reduzida a um micro processo de adaptação
aos valores de uma cultura e de uma sociedade...
(...) uma nova humanidade não nasce de ideologias, de crenças,
de convicções, mas de conhecimento  da ordem inerente à vida humana."
Prof. Alécio Vidor*

Educar, em sua etimologia "educare", significa nutrir, alimentar. Do termo "educare" se forma "ex + ducere", cujo significado é conduzir para fora o valor íntimo do educando. Com base neste conceito, o Prof. Alécio Vidor  observa que a educação exige do indivíduo conheça a si mesmo para desenvolver-se segundo a sua identidade e realizar-se como pessoa.  

Ao tratar de "Como educar crianças de seis a doze anos", a Drª Estela Maria Giordani (Unicamp), observa que os educadores - pais ou professores - devem considerar que são os adulto de maior referência afetiva  às crianças. Tornam-se o filtro de realidade do educando, inclusive, programando o modo de percepção que a criança possui de si e do mundo. Giordani alerta que durante o processo de formação do Eu as crianças irão moldar-se, adaptar-se e, portanto, responder ao adulto de maior referência naquele contexto. Para exemplificar, "se temos um educador agressivo, embora em latência ou não manifeste e externamente aparentando certa tranquilidade, teremos então naquele contexto pedagógico uma maior exposição da agressividade das crianças - tratando-se de  crianças de seis a doze anos. Mas a mesma dinâmica acontece com crianças ou jovens em relação aos pais. São sempre respostas diretas e imediatas das dinâmicas psíquicas conscientes e inconscientes dos adultos que  referenciam a interação. Compreendido isso, fica clara a responsabilidade de educadores - pais e professores.

Entre o ser e o estar falo que estou professora - respeito e busco honrar ao belo ofício que tem o poder de mudar o mundo. Porém, nesta atividade, percebe-se que os desafios dos professores são muitos e faz-se necessário desenvolver a capacidade de transcendê-los para permanecer no ofício. Faço-me três perguntas e desafio você leit@ a refletir com elas:

1) O que falta na sociedade, instituições educacionais e governo para reconhecer a importância do papel do professor e oferecer remuneração adequada ao valor da função?

2) Com que empenho e saúde psíquica estão nossos professores com a escolha da profissão?

3) Sob que condições chegam os educandos às salas de aula?

"As flores e frutos belos e sadios originam-se de plantas e árvores vigorosas e, nos seres humanos,
ser realizado e feliz é requisito para que os filhos aprendam como construir o próprio valor pessoal."

Prof.AlécioVidor**


*Doutor em Filosofia - Universidade São Tomás de Aquino, Roma

**Para saber mais, leia: Uma nova pedagogia para a sociedade futura: princípios práticos. Recanto Maestro, RS: Ontopsicológica Editora Universitária, 2014.

 

 




Indicar a
um Amigo

Comentários

Deixe a sua opinião

Veja Também

15/04/2016   |
08/04/2016   |
01/04/2016   |
24/03/2016   |
18/03/2016   |
11/03/2016   |




Todos os direitos reservados - Jornal Semanal - Três de Maio - RS