Segunda-feira, 15 de julho de 2019
Ano XXXI - Edição 1566
(55) 3535-1033
jsemanal@jsemanal.com.br
diagramacao@jsemanal.com.br

Economia para Consumo

30/10/2014 - Por João Seno
Tweet Compartilhar
À GUISA DE COMENTÁRIO - COMO VOTA O POVO? É difícil saber como o povo vota. Depende muito do segmento da população. Muitos votam olhando para o bolso. Se a administração pública não favorece o bolso e a mesa, o voto é contrário. Outros estão de olho nas vantagens pessoais. Olham cargos, valor dos salários, mudanças no imposto de renda, nas aposentadorias. Há os que olham a economia como um todo. As boas perspectivas de lucros. É, pois, muito complexo saber por onde se ganha ou se perde uma eleição. Muitos gostam dos ataques, das ofensas e da baixaria. Outros, diametralmente opostos, gostam da educação do candidato, das boas maneiras, das falas bonitas e das boas propostas. Mas não me perguntem por que Y ganhou as eleições para o governo do Estado. E também não me perguntem porque X venceu o pleito para presidente da República. Evidentemente, não foi um único o motivo, mas um somatório de motivos em ambos os casos. Os eleitores não devem ser ingênuos e achar que os eleitos vão resolver todos os problemas e transformar esta colcha de retalhos num tapete por onde vai cruzar o sucesso de um futuro grandioso. Vamos ter que sofrer todos juntos.

ESTAMOS SAINDO DO FUNDO DO POÇO E, AOS POUCOS, ESTAMOS VINDO À TONA.

A BAIXARIA PEGOU VALENDO NA CAMPANHA ELEITORAL NO 2° TURNO. PENA AS CRIANÇAS E OS JOVENS QUE APRENDEM DESDE CEDO DE COMO NÃO DEVE SER.

DEU PANO PARA MANGA -
O auxílio-moradia para juízes. Se o salário deles fosse miserável, até dava para entender. No entanto, embora bem remunerados, recebem mensalmente R$ 4,3 mil reais a título de auxílio-moradia. Desse jeito, nunca vai haver dinheiro para atender a educação, a segurança, saúde e infraestrutura precária. São mosca branca os juízes que declinaram do benefício, alegando que têm casa própria.

ANO RUIM - Fazendo um raio-x de Norte a Sul do País, podemos concluir que estamos tendo um ano ruim. No Sul, chuvas em excesso e temporais. No Sudeste, seca e falta de água como nunca na história. Os produtos agrícolas com preços baixos e com comercialização lenta. A inflação acima do teto: 6,62%. O crescimento do PIB baixo: 0,3%. E muita violência por todos os recantos do Brasil. E havia e há sede de mudanças.

ECONOMIZAR - É preciso reaprender a economizar. Até água, vejam só, é preciso economizar. Energia, então, nem se fala. A escassez ensina a economizar. É uma lição não aprendida.

DEU SIMPLICIDADE - No segundo turno deu simplicidade x arrogância no Rio Grande do Sul. O interior ganhou o pleito. O torrão gaúcho, conforme dizem, não precisa de reforma eleitoral, por que por aqui nos pagos, a alternância no poder já é lei consuetudinária. Quer dizer, virou costume ao longo dos anos.

BRASIL DIVIDIDO -
Agora deu para ver como nosso Brasil está dividido entre Sul, Sudeste e Centro Oeste x Norte e Nordeste. O bloco Sul-Sudeste-Centro Oeste quis a mudança e o Norte-Nordeste preferiu manter o superado sistema petista. O Brasil precisa avançar. Buscar novos tempos.




Indicar a
um Amigo

Comentários

Deixe a sua opinião

Veja Também

12/07/2019   |
05/07/2019   |
28/06/2019   |
21/06/2019   |
07/06/2019   |
31/05/2019   |




Todos os direitos reservados - Jornal Semanal - Três de Maio - RS