Sábado, 21 de outubro de 2017
Ano XXIX - Edição 1479
(55) 3535-1033
jsemanal@jsemanal.com.br
diagramacao@jsemanal.com.br

Pesquisas...

03/11/2014 - Por Marcos Salomão
Tweet Compartilhar
 Que vergonha! Nem nas pesquisas, hoje, se pode confiar. Você vem acompanhando uma eleição e quando a urna é aberta, o resultado é totalmente diferente. Será que desaprenderam a fazer pesquisas? Ou existe má fé? Prefiro imaginar que o erro ocorreu sem intenção. Não consigo imaginar que alguém tentava manipular resultados. Afinal, estamos no Brasil, um país sério, sem corrupção, sem malandragem...

    Se olharmos a pesquisa para presidente, a três dias da eleição, perceberemos que o candidato Aécio estava com 22 pontos. A propaganda política estava acabando. Era difícil crescer sem propaganda. Então vem o resultado e a surpresa é que o tucano chegou a 33%. O que houve? Não seria Marina a candidata a disputar o segundo turno com Dilma? Milhões de votos mudaram de endereço na véspera da eleição? Hum...

    Um fato me chamou a atenção no último debate antes da votação. A candidata Dilma, quando tinha a oportunidade de fazer perguntas, escolhia sempre o tucano Aécio. Por que ela escolhia o terceiro colocado? Não deveria escolher a segunda colocada nas pesquisas, Marina, que era sua real oponente? Ou Dilma sabia de algo que nós não sabíamos? Ela escolhia Aécio, e tentava apertá-lo. Tentava esmagar o terceiro colocado, que pelas pesquisas não tinha chances. Curioso. Seria mais fácil, para a petista, enfrentar Marina ou Aécio, no segundo turno? Marina vinha em queda, mas estava em segundo. Por que Dilma se preocupou com Aécio? Será que o tucano já estava no segundo turno e as pesquisas não perceberam?  Por que as pesquisas erraram tanto? Que amadorismo! Com tanta tecnologia e estrutura...

    Curiosamente, no Rio Grande do Sul também houve falha nas pesquisas. Durante praticamente toda a campanha, o candidato Tarso aparecia liderando, crescendo, com Ana Amélia em segundo e, lá atrás, o terceiro colocado Sartori. Na véspera da eleição, surge a notícia de um empate técnico entre Sartori e Ana Amélia. Quando as urnas são abertas, Sartori estava na frente de Tarso, com ampla vantagem. Como explicar?

    Será que Sartori nunca esteve à frente nas pesquisas e na madrugada de sábado para domingo os eleitores resolveram mudar? Ou as pesquisas estavam erradas novamente? Amadorismo ou má fé? Uma das pesquisas alertava que Sartori era o único candidato capaz de derrotar Tarso no segundo turno. Que curioso, para um candidato que estava em terceiro lugar..
    Pesquisas influenciam o voto de parte da população. Sempre foi assim. Antes de votar, olhamos a pesquisa. Se o candidato não possui chance alguma, acabamos observando os outros. Isso é normal.

    Vejamos a eleição ao Senado. A disputa estava entre Olívio e Lasier. As chances de Olívio ganhar eram imensas. Ele tem uma trajetória política invejável. O seu partido é forte, possui militância. Mas foi Lasier que venceu com uma vantagem de 2% . Que diferença foi essa? Eleitores de Lasier? Do seu partido? Não! Uma parcela da população votou contra o PT, do candidato Olívio. Mesmo não gostando de Lasier, muitos preferiram votar no comunicador do que deixar o candidato do PT ganhar. Por que? Pela rejeição do partido em nível nacional. Olívio nada tem com isso. Mas acabou recebendo esta carga negativa. Uma pequena margem de votos lhe tirou a vaga ao senado. Votos baseados em um olhar do eleitor sobre a pesquisa, que neste caso não errou. Para muitos, era preferível votar em Lasier do que deixar o petista vencer.

    Pesquisas mudam votos. Pesquisas erradas, tentam mudar seu voto. Vote com a sua consciência. Vote com o seu coração. Vote sempre, desconfiando das pesquisas, que hoje não são mais as mesmas do passado...




Indicar a
um Amigo

Comentários

Deixe a sua opinião

Veja Também

17/04/2015   |
13/04/2015   |
13/04/2015   |
27/03/2015   |
20/03/2015   |
13/03/2015   |




Todos os direitos reservados - Jornal Semanal - Três de Maio - RS