Sábado, 29 de abril de 2017
Ano XXIX - Edição 1454
(55) 3535-1033
jsemanal@jsemanal.com.br
diagramacao@jsemanal.com.br

Maçonaria

14/11/2014 - Por Yara Lampert
Tweet Compartilhar
O tema desta edição e da próxima é Maçonaria. Um tema enigmático, desperta interesse e curiosidade. Mitos e verdades. Afinal o que é Maçonaria? Seita, religião? Como funciona? Como são os maçons? Para tirar estas e outras dúvidas, produzi uma entrevista com o Sr. Rui Silvio Stragliotto, Ex. Grão Mestre da Grande Loja Maçônica do Estado do Rio Grande do Sul, Ex-Vice Presidente da Confederação Maçônica Inter Americana e Membro Efetivo do Supremo Conselho do Grau 33. O Sr. Rui é conhecido por ser um dos grandes maçons da atualidade, requisitado para palestras a nível estadual, nacional e internacional. Além destes feitos, o Sr. Rui possui um exemplar currículo como advogado na cidade de Ijuí.
Confira, está imperdível!

O que é Maçonaria?
Maçonaria, em seu sentido mais amplo e abrangente, é um sistema de moralidade ética e social, é uma filosofia de vida, de caráter simples e fundamental, incorporando um humanitarismo amplo,  e,  embora tratando a vida como uma experiência prática, subordina o material ao espiritual;  é moral, mas não farisaica; exige sanidade invés de santidade;  é tolerante, mas não indiferente;  busca a verdade, mas não define a verdade;  incentiva seus adeptos a pensar, mas não a eles o que pensar;  despreza a ignorância, mas não reprova o ignorante;  promove a educação, mas não propõe nenhum currículo; ela abraça a liberdade política e de dignidade do homem, mas disto não faz plataforma ou propaganda;  acredita na nobreza e na utilidade da vida;  é modesta e não militante;   é moderada, universal e liberal, quanto a permitir que cada indivíduo forme e expresse sua própria opinião, mesmo sobre o que a Maçonaria é ou deveria ser,  e convida-o a melhorá-la, se puder.

Quais são suas origens?
Nossa Ordem foi fundada na remota antiguidade, desejosa de reunir em uma única Fraternidade os súditos de todas as nações.  Que, sem espírito grosseiro e sem ceder à vontade natural de dominar, imaginou um organismo cuja única finalidade fosse a reunião das mentes e corações, para torná-los melhores e formar, na sucessão dos tempos, uma nação espiritual.
Atribuí-se como sendo a origem mais remota da Maçonaria, a Grande Fraternidade Branca, que é uma fraternidade surgida no Antigo Egito, durante o reinado do Faraó Tutmés III. Segundo o resgate das mais antigas informações, ela reuniria em seu quadro os homens mais sábios de todo o Egito, também conhecidos como Hierofantes ou Sacerdotes, que tinham por objetivo estudar os mistérios místicos e esotéricos da vida.  A esta Fraternidade, reservada apenas para iniciados, dá-se o nome de Escola de Mistérios ou Sociedades Secretas. Dentre estas, várias outras sociedades tais como a própria Maçonaria, a Ordem Rosa Cruz e a Sociedade Teosófica, hoje se proclamam descendentes.

Como é o ingresso na Maçonaria? E quem pode fazer parte?
O ingresso na Maçonaria se dá por proposição de um Maçom, que conheça suficientemente o proposto, para abonar-lhe a reputação. Ninguém entra para a Maçonaria porque quer. É recepcionado pela via do convite da Maçonaria.
Podem fazer parte da Maçonaria homens emancipados e capazes civilmente. Que sejam livres pensadores e de costumes inatacáveis. Que não tenham defeitos morais e sejam reconhecidamente de bem, no meio onde vivem.

Como é organizada a Maçonaria?
A Maçonaria é uma Instituição Universal, embora não tenha uma estrutura de poder Supranacional. Os Maçons se congregam em unidades que se denominam Lojas, que tem independência administrativa, obedecendo a princípios básicos universais.
As Lojas por sua vez, agregam-se a um Sistema Federativo que se denomina GRANDE LOJA ou GRANDE ORIENTE. É uma federação de Lojas que tem jurisdição territorial em cada unidade ou estado, no caso do Brasil; e que são consideradas OBEDIÊNCIAS em terminologia maçônica. São soberanas e independentes em suas áreas de jurisdição, cada uma delas comandada por um GRÃO MESTRE, que é eleito em sua respectiva jurisdição,  a cada três anos.
Embora não haja um poder que nestas Obediências possa interferir, agregam-se, no caso do Brasil, em CONFEDERAÇÃO de Grandes Lojas ou de Grandes Orientes.  No caso das Grandes Lojas num organismo que se denomina "CONFEDERAÇÃO DA MAÇONARIA SIMBÓLICA DO BRASIL (CMSB)", e no caso dos Grandes Orientes Estaduais Independentes, na "CONFEDERAÇÃO DA MAÇONARIA BRASILEIRA (COMAB)".  Confederações estas que não tem nenhuma ingerência nas Grandes Lojas ou Grandes Orientes a elas confederados.  Tem, porém, a finalidade de aproximar os Maçons brasileiros de Norte a Sul e de Leste a Oeste do território nacional, para troca de experiências esugerir procedimentos que visam uma espécie de uniformização de atitudes do ponto de vista dos interesses da paz e da harmonia na convivência da sociedade brasileira.
Existe, também, uma CONFEDERAÇÃO DA MAÇONARIA INTERAMERICANA (CMI), que congrega as Grandes Lojas e os Grandes Orientes de todas as Obediências das Américas.
Todas as Confederações em sua estrutura têm um presidente e um secretário geral executivo, eleito entre Ex-Grão Mestres das confederadas, que cuidam de sua gestão.  Que, como já mencionado, não tem nenhuma ingerência nas Confederadas, que são geridas por seus respectivos Grãos Mestres.

Existem Graus e Cargos dentro da Maçonaria?
A Maçonaria tem em sua estrutura funcional do ponto de vista esotérico, a prática de diferentes ritos, já consagrados e regulares no mundo inteiro, desde tempos imemoriais. Ritos que são sistemas de Graus, que vão sendo alcançados de acordo com o conhecimento que o Maçom vai adquirindo. Fundamentalmente por seu mérito. Cada rito tem sua série de graus, sendo no Brasil o Rito Escocês Antigo e Aceito, o mais praticado (por 95% das Lojas), e que tem 33 Graus; sendo este o mais alto da série. Mas, o rito não é um fim ou objetivo em sí, mas, um meio para que por seu exercício litúrgico, se obtenha uma harmonização da frequência mental, daqueles que participarem de suas sessões em loja.
Do ponto de vista administrativo, como em qualquer instituição civil, cada um dos entes, quer Lojas ou Grandes Lojas obedecem a um organograma que lhe é peculiar. Assim, as Lojas tem seu presidente, que tem o tratamento de Venerável Mestre que é eleito pelos membros das respectivas Lojas, e este a participação de uma equipe com vices, secretários, tesoureiros, comissões, etc, que o auxiliam na administração.
Na Grande Loja ou Grande Oriente, que é a Federação das Lojas, o governo é exercido por um Grão Mestre que tem o tratamento de Sereníssimo Grão Mestre, e um Grão Mestre Adjunto, que tem o tratamento de Eminente, ambos eleitos pelos Mestres Maçons de todas as Lojas federadas, a cada três anos. Repetem-se nas Grandes Lojas e Grandes Orientes, todos os cargos de administração das Lojas, então, de escolha do Grão Mestre, representando todo o estado.

Confira na próxima edição a continuação da entrevista "Maçonaria".



Indicar a
um Amigo

Comentários

Deixe a sua opinião

Veja Também

20/04/2017   |
13/04/2017   |
07/04/2017   |
31/03/2017   |
24/03/2017   |
17/03/2017   |




Todos os direitos reservados - Jornal Semanal - Três de Maio - RS