Sábado, 17 de novembro de 2018
Ano XXX - Edição 1533
(55) 3535-1033
jsemanal@jsemanal.com.br
diagramacao@jsemanal.com.br

A Língua Materna e a Matemática

05/12/2014 - Por Jornal Semanal
Tweet Compartilhar
Juliana Klering*

A Língua Materna e a Matemática são disciplinas que convivem no currículo desde os primeiros anos de escolaridade. Apesar desta convivência, os problemas enfrentados no ensino de ambas são tratados frequentemente de forma independente, não possibilitando uma ação conjunta na busca pela superação da dificuldade que os alunos têm em ler, interpretar enunciados e resolver problemas.

A escola precisa estreitar os laços entre a Língua Materna e as demais áreas do conhecimento, se valendo do domínio que o aluno tem sobre aquela para expandir o universo de outros saberes.

Não se deve responsabilizar a Língua Portuguesa pelo sucesso ou insucesso do aluno em Matemática, mas é preciso ter consciência e admitir que a compreensão matemática também se deve a algumas habilidades linguísticas a serem desenvolvidas no aluno.

Por isso, é importante, por meio de uma prática interdisciplinar, usar a leitura e a escrita como fortes aliados para transcender a decodificação de fórmulas, números e enunciados, atingindo um alto nível de compreensão e, consequentemente, de aprendizagem.

O ensino da Matemática não deve ficar limitado a teorias formalizadas. O ensino da Língua Portuguesa não deve ficar fechado nas páginas de uma gramática. O aluno precisa descobrir a relação das duas disciplinas com o seu dia a dia e com as outras áreas pelas quais tem interesse, e pode fazer isso através da leitura.

Por meio da leitura, o aluno pode investigar o objeto de estudo, analisar dados e buscar soluções para resolver problemas de forma significativa para ele. A leitura pode, de fato, aproximar o aluno do conhecimento matemático que ele vê, muitas vezes, como algo inalcançável e descontextualizado, justamente porque não vê sentido no que está estudando.

Assim, fica claro o quanto o estudo da Língua Materna e da Matemática precisam andar juntos. E se isso realmente acontecer, será uma forma eficiente de levar o aluno a pensar, expressar-se, ler e compreender a matemática e a sua aplicabilidade na vida.

*Professora de Língua Portuguesa e Alfabetizadora
no I.E .E. Cardeal Pacelli, participante do PACTO
pela Alfabetização na Idade Certa (PNAIC)




Indicar a
um Amigo

Comentários

Deixe a sua opinião

Veja Também

09/11/2018   |
19/10/2018   |
11/10/2018   |
05/10/2018   |
28/09/2018   |
21/09/2018   |




Todos os direitos reservados - Jornal Semanal - Três de Maio - RS