Sexta-feira, 18 de agosto de 2017
Ano XXIX - Edição 1470
(55) 3535-1033
jsemanal@jsemanal.com.br
diagramacao@jsemanal.com.br

Uma casa diferente

06/02/2015 - Por Jornal Semanal
Tweet Compartilhar
Uma casa integrada a uma árvore, construída para o filho brincar chama atenção de quem passa pela Rua Padre Cacique em Três de Maio

Casa na árvore é sonho de infância de muita gente e a realidade de poucos. Porém, hoje algumas servem não só como uma brincadeira de criança, mas até como moradia ou hotéis. Raras de encontrar, das mais sofisticadas às mais simples, chamam a atenção desde a escolha da árvore à estrutura da casa com seus detalhes.

Em Três de Maio, uma casa construída integrada a uma árvore, em um belo terreno de esquina, chama atenção de quem passa pela Rua Padre Cacique, próximo as Lojas Quero Quero. 

O projeto é do casal Astor e Jacinta Maria Kolling e do filho Eduardo, 9 anos.  A casa foi construída há cerca de três meses com o objetivo de proporcionar ao filho Eduardo momentos de diversão, longe dos eletrônicos.

Conforme Astor a casa não foi exatamente planejada, mas através da internet, a família  foi procurando por modelos para ter uma base de como fazer a obra. Astor revela que o projeto inicial era de uma casa com três metros quadrados, mas como como a árvore tinha muitos galhos, a casa acabou sendo construída ao lado da árvore. "Conforme o andamento da obra ia acontecendo fomos pensando nos detalhes, como janelas, portas, varanda e até mesmo luz elétrica. Como a casa não era ligada diretamente a árvore surgiu a ideia da pequena varanda ser ampliada", diz o pai.

Uma casa na árvore sempre foi um sonho da infância de Astor, porém, segundo ele,  naquela época quem inventava as brincadeiras eram as próprias crianças, então as casinhas eram feitas com a criatividade de cada um e assim se divertiam. Mas, como agora o terreno da família dispõe de espaço, além de ter uma bela árvore,  surgiu a oportunidade de realizar o sonho de criança de Astor e construir uma casa para  filho. "Desenvolvemos o projeto e hoje ela é utilizada para as brincadeiras do Eduardo e seus amigos, principalmente nas férias e fins de semana", diz o pai orgulhoso.

A segurança das crianças também é zelada com muito cuidado, desde a estrutura da casa, terreno todo cercado, além da presença de adultos que sempre acompanham a brincadeira ou até mesmo entram no ritmo das crianças. "Se for analisar o custo é um valor alto, porém a satisfação que vejo no Eduardo por sempre querer estar aqui não tem dinheiro que pague. Fico feliz por ele aproveitar pois o foco é vir aqui para brincar com os amigos na casinha, jogar bola e andar de bicicleta...  a ideia desde o princípio foi proporcionar a ele essa vivência com a natureza, longe dos eletrônicos", finaliza o pai orgulhoso.


Texto e fotos por Samara Donatti.







Indicar a
um Amigo

Comentários

Deixe a sua opinião

Veja Também

28/07/2017   |
28/07/2017   |
28/07/2017   |
14/07/2017   |
23/06/2017   |
13/04/2017   |




Todos os direitos reservados - Jornal Semanal - Três de Maio - RS