Segunda-feira, 11 de dezembro de 2017
Ano XXIX - Edição 1486
(55) 3535-1033
jsemanal@jsemanal.com.br
diagramacao@jsemanal.com.br

Sacralização do passado, solidão no presente

20/02/2015 - Por Arlete Salante
Tweet Compartilhar
Sujeitos entram em crise com os papéis que escolheram desempenhar na vida profissional, social e familiar. Alguns conseguem questionar-se para saber onde está o problema que gera insatisfação, outros, mesmo desanimados, protegem-se sacralizando situações e conquistas que, no passado, foram consideradas avançadas. Porém, no tempo presente, na fase atual não mais satisfazem, são memórias de uma época ou apego a falsos valores.

Pelo dinamismo da vida as ações estão destinadas a se rarefazer, ou seja, diminuem a intensidade, são passadas e a vida é sempre no aqui-agora. O aprisionamento no passado ou nas conquistas do passado tornam-se tão sagradas ao ponto de não permitir ao sujeito questionar-se sobre a satisfação do presente.

Incluem-se nesse "mecanismo de sacralização" as relações afetivas. É comum as pessoas lembrarem-se do início do namoro ou do casamento com nostalgia do quanto foi bom, ou ainda de quanto àquela amizade era importante. Quando vazio aparece é preciso ver, embora seja difícil e muitas vezes dolorido, como estas relações estão no presente, qual nível de entrosamento, satisfação e alegria trazem hoje. Assim, é comum, mas não natural, apegar-se as conquistas passadas sacralizando-as.  É um modo de defesa para não ver o que deve ser mudado no presente, é uma busca de segurança no que há de concreto, como se nada fosse mutável, quando na verdade tudo já mudou e a fixação ficou na emoção vivida ou no status social que teve no passado por tal conquista.

A solidão sozinho ou acompanhado se faz no presente porque a vida é contínua, não estática. As escolhas e as conquistas de ontem não podem paralisar a vida hoje, elas não dão as mesmas respostas ou já não satisfazem. São como as pegadas na areia, marcam no presente e com o tempo desaparecem, embora façam parte da caminhada.

A vida pede ação permanente, pede atualização do modo de ser. A vida pede renovação ou renovar a ação conforme o ser aqui e agora.





Indicar a
um Amigo

Comentários

Deixe a sua opinião

Veja Também

15/04/2016   |
08/04/2016   |
01/04/2016   |
24/03/2016   |
18/03/2016   |
11/03/2016   |




Todos os direitos reservados - Jornal Semanal - Três de Maio - RS