Quarta-feira, 19 de junho de 2019
Ano XXXI - Edição 1562
(55) 3535-1033
jsemanal@jsemanal.com.br
diagramacao@jsemanal.com.br

A Coluna do J

17/04/2015 - Por J Moraes
Tweet Compartilhar
ACESA A LUZ VERMELHA. A economia regional começa a sentir mais fortemente os efeitos da crise. A demissão de mais de 150 trabalhadores da AGCO na última semana acendeu a luz vermelha. O setor metalmecânico é o que mais emprega na região, e o primeiro a sentir os efeitos da  crise. A John Deere que já demitiu no ano passado, está  dando férias escalonadas aos trabalhadores. Mesmo a grande safra, não trouxe tranquilidade ao setor. Outros setores deverão fazer o mesmo. Ninguém garante o emprego de ninguém. Se você disser que está com seu emprego garantido, corre o risco de se decepcionar. A incerteza campeia livre, leve e solta, em todos os segmentos da economia.

REFLEXOS de tempos difíceis chegaram aos municípios. O prefeito Alcides Vicini reuniu seus colaboradores e cobrou redução drástica de gastos e não descartou demissões. Em Tuparendi, o prefeito Pavlack reduziu suas secretarias para cinco. Ele, inclusive, além de prefeito, também responde pela secretaria da Saúde. Em Três de Maio, há algum tempo, o prefeito Casali determinou o enxugamento de gastos. A situação não é diferente nos demais municípios.

PARA COMPLICAR, a presidente Dilma anunciou um corte profundo nos já minguados recursos destinados a estados e municípios. O que já estava ruim tende a piorar. Gestores públicos vão ter que usar e abusar da criatividade e competência. Dizem, que é nos momentos difíceis que os bons se sobressaem. Então, mãos à obra, mostrem a que vieram.  

PIOR NÃO PODE FICAR. Mesmo em tempo de crise, um setor vive a expectativa de melhoras. Trata-se do setor lácteo. Depois dos golpes sofridos com fraude do leite, que colocou o produto gaúcho sob suspeição, com as vendas despencando, a atividade começa a se recuperar. Não sem antes toda a cadeia produtiva sofrer consequências devastadoras.

FALTANDO uma semana para o início da  14ª Expofeira, o município de Três de Maio vive a expectativa de um grande evento. Com uma safra relativamente boa e preços compensadores, a estimativa dos organizadores  é que durante os 9 dias da feira, cerca de 100 mil visitantes passem pelo parque de exposições. É uma previsão extremamente otimista, mas realista.

UMA SUPER estrada, utilizando máquinas pesadas, está sendo construída na Argentina. A obra deverá ter cerca de 60 quilômetros de asfalto de alta qualidade, como são todos no vizinho país. A obra vai chegar até o lado argentino de Porto Santo Antônio. A informação foi dada pelo prefeito Noli Aime de Doutor Maurício Cardoso, em entrevista ao Programa Vera Cruz Repórter. De acordo com o prefeito, o fato causa surpresa pela grandiosidade da obra e, aparentemente, não ter nada que justifique tal investimento. Será?

CALIBRANDO - HOJE será eleita nova diretoria da Associação dos Municípios do Grande Santa Rosa. Alguém já disse: há razão que a própria razão desconhece. Dr. SIXTO deixa lacuna difícil de ser preenchida na saúde de Três de Maio. PROTESTOS de domingo diminuíram em participação, mas a indignação continua grande. A HORIZONTINENSE que conquistou o mundo, se despediu das passarelas. CRISE NA SAUDE: Situação do Hospital Osvaldo Cruz em Horizontina e São Vicente em Três de Maio ainda sem solução.

ÓTIMO FIM DE SEMANA, embalado por Jimmy James and Vagabonds.




Indicar a
um Amigo

Comentários

Deixe a sua opinião

Veja Também

23/12/2016   |
16/12/2016   |
12/12/2016   |
02/12/2016   |
25/11/2016   |
18/11/2016   |




Todos os direitos reservados - Jornal Semanal - Três de Maio - RS