Segunda-feira, 22 de julho de 2019
Ano XXXI - Edição 1567
(55) 3535-1033
jsemanal@jsemanal.com.br
diagramacao@jsemanal.com.br

Economia para Consumo

24/04/2015 - Por João Seno
Tweet Compartilhar
À GUISA DE COMENTÁRIO - FIDELIDADE - Esta palavra não foi riscada do dicionário? Há quem diga que sim. Há quem diga que não. Isso significa que a fidelidade está passando por maus momentos. Ser fiel no casamento há muito tempo está sofrendo golpes duros e até fatais. Mas não é somente o casamento que requer fidelidade para sobreviver. Na vida há muitas circunstâncias que exigem fidelidade. A própria amizade para ser duradoura precisa do ingrediente da fidelidade. Do contrário, não há amigo fiel. O trabalhador, o funcionário precisa ser fiel a seu patrão, à sua empresa ou à instituição que lhe dá emprego. O cidadão infiel é inconfiável. Ninguém gosta de quem não tem palavra e age sorrateiramente. E o que dizer da fidelidade político-partidária? É difícil arriscar um palpite. Os políticos - muitos deles - não são franciscanamente fiéis. Qualquer trepidação da canoa e saltam fora. É que eles não olham o interesse da sigla, mas o seu. Então, ninguém estranhe que nos próximos tempos as cores das bandeiras que muitos seres políticos vão levantar serão outras, quiçá para sua decepção, que se acredita fiel. 

É PRECISO DIVERSIFICAR MAIS PARA TER MAIS OPORTUNIDADES. 

O QUE CARACTERIZA TRÊS DE MAIO? O leite, sem dúvida, é atualmente a principal característica do Município. A industrialização do leite. A nova antonomásia só poderia vir daí. 

CAI PREVISÃO - Da inflação de 2015. Cai um nadinha: de 8,20% para 8,13% é a queda prevista no ano. Ainda longe do teto de 6,5% e ainda mais longe da inflação de 4,5%, que vinha sendo o patamar dos últimos anos. Há que lembrar que uma coisa é a inflação oficial e outra a inflação real.

"É um absurdo achar que um governo possa produzir vantagens extraordinárias para todos sem custo absolutamente para ninguém". A frase é do economista Paulo Rabello de Castro. Talvez, a nossa presidente tivesse pensado assim no ano das eleições e agora estamos pagando. 

É PRECISO DAR VALOR À VIDA. E VALORIZAR A SAÚDE FAZ PARTE. 

PROMOVENDO O DESENVOLVIMENTO, IMPULSIONANDO NEGÓCIOS -  Na véspera da abertura da XIV Expofeira do Agronegócio é bom lembrar o lema escolhido pelos organizadores para a presente edição da nossa exposição-feira. Os negócios fazem parte do dia a dia e se desenvolvem na proporção dos interesses e do poder aquisitivo. O desenvolvimento acontece, quando há motivação, preparação profissional, disponibilidade de recursos e oportunidades. É o que se busca em Três de Maio para o bem-estar de todos. A exposição-feira comemora 24 anos. Nasceu em 1991, nas dependências do Clube Buricá e ruas adjacentes com o nome de Expofeira Comercial e Industrial. 

O TRIGO NÃO ESTÁ COM NADA - É muito pequeno o interesse pelo plantio de trigo nesta safra de inverno. Fala-se em até 30% de redução de área a ser plantada. A razão é simples: preços incompatíveis, dificuldade na comercialização. A cultura do trigo não decola. 

GOVERNO DEVE - R$ 172 milhões a 110 municípios gaúchos referente a obras paradas - construção de creches - o que poderá retardar o cumprimento das metas do Plano Nacional de Educação. Três de Maio não está entre os municípios prejudicados. 

SALÁRIO MÍNIMO PODE SUBIR PARA R$ 854,00 EM 2016. QUE FORTUNA! 




Indicar a
um Amigo

Comentários

Deixe a sua opinião

Veja Também

19/07/2019   |
12/07/2019   |
05/07/2019   |
28/06/2019   |
21/06/2019   |
07/06/2019   |




Todos os direitos reservados - Jornal Semanal - Três de Maio - RS