Sábado, 17 de novembro de 2018
Ano XXX - Edição 1533
(55) 3535-1033
jsemanal@jsemanal.com.br
diagramacao@jsemanal.com.br

NOSSAS HERANÇAS

15/05/2015 - Por Jornal Semanal
Tweet Compartilhar
Lusiane Cristina Ziemann Tolomini

O Dia das Mães passou, mas nos remeteu a muitas reflexões: tanto para os filhos como para os pais. São muitos os acontecimentos que envolvem essa relação que, acima de tudo, exige de ambos, muito amor e principalmente respeito.

Amor, respeito e maturidade encontramos, por exemplo, na matéria sobre a família ampliada formada pelos "Os meus, os teus e o nosso", publicada na última semana. A primeira célula da sociedade apresenta novas estruturas. Hoje, a família é constituída por diferentes realidades, mas uma relação continua a mesma: a relação dos pais com os filhos.

É nessa relação que podemos encontrar o sagrado. Sagrado, na família, é tudo aquilo que nos alimenta como pessoas e nos tornam mais humanos. Reunir-se ao redor da mesa, um abraço prolongado na pessoa amada, uma conversa franca e aberta com os amigos, momentos de oração, envolvimento e comprometimento com a educação dos filhos, enfim, fazer o que se gosta e que faz bem a todos. Aqui, no caso, o sagrado está na condição de ser pai, mãe ou filho/a no sentido mais profundo da palavra e da vocação.

Minha mãe já não está mais comigo, mas a cada pensamento dedicado a ela, lembro das coisas que eram sagradas para nós e agradeço por tudo o que aprendi com isso: amar, respeitar, proteger, compreender, se dedicar às nobres causas, valorizar as pessoas como elas são e fazer o bem sem olhar a quem.

Com isso, descobri que o sagrado na família pode ser a nossa melhor e mais significativa herança. Em uma passagem bíblica do apóstolo Paulo, ele deixa claro a tarefa dos pais: criar, educar, corrigir. Essas ações transcendem os tempos e evidenciam a dignificante arte de ser pai ou ser mãe.

As novas gerações, mais do que nunca, precisam sentir a força e a presença dos pais em suas vidas através do zelo e da educação. Essas são as melhores heranças que os filhos podem ter, pois o testemunho e o exemplo de vida são marcas que não se perdem no tempo e que fazem de nós verdadeiros seres humanos.

  Mestranda do Programa Educação nas Ciências - UNIJUI.
Especialista em Supervisão Educacional e Psicopedagogia Clínica e Institucional.

Graduada em Letras. Professora da Rede Pública. lusitolomini@gmail.com




Indicar a
um Amigo

Comentários

Deixe a sua opinião

Veja Também

09/11/2018   |
19/10/2018   |
11/10/2018   |
05/10/2018   |
28/09/2018   |
21/09/2018   |




Todos os direitos reservados - Jornal Semanal - Três de Maio - RS