Terça-feira, 22 de agosto de 2017
Ano XXIX - Edição 1471
(55) 3535-1033
jsemanal@jsemanal.com.br
diagramacao@jsemanal.com.br

Depressão Masculina

10/07/2015 - Por Arlete Salante
Tweet Compartilhar
     Em torno da masculinidade ainda existem muitos mitos e preconceitos que condicionam as atitudes e os comportamentos dos homens e das mulheres. Tornamdo assim, os sofrimentos masculinos um tabu. Motivo pelo qual os homens evitam pedir ajuda profissional e por isso, muitos casos de depressão estão sub-diagnosticados. Alguns estudos apresentem diferenças de sintomas de depressão entre homens e mulheres, fato é que em ambos a depressão afeta o físico e o psicológico.
     Os homens, de uma maneira geral, falam menos que as mulheres das suas dores emocionais e dos seus sofrimentos psíquicos. Relutam em expor suas fragilidades e por isso se retraem, escondem de si e dos outros as dificuldades que enfrentam. Tendem a buscar no isolamento ou no comportamento de risco a solução ou a fuga dos problemas.
Culpa, medo ou indecisão, desânimo, pessimismo e sensação de incapacidade são alguns sentimentos que decorrem da desordem psíquica que a depressão apresenta. As disfunções passam ainda pela insônia ou sono exagerado, a perda ou ganho de peso, interesse exagerado por sexo ou desinteresse.
     A agressividade ou irritabilidade dos homens deprimidos traduz-se numa reação de defesa que revela a desordem. A condução de risco ou uso de álcool ou drogas mascaram o problema e colocam a própria vida em risco, as vezes dos familiares também.
     Outra tentativa de saída percebida na depressão masculina é o mergulho no trabalho, mas o exagero e a instabilidade emocional provocam problemas de relacionamento com os colegas. Em casa com os familiares é comum que desenvolvam uma espécie de "mutismo", ou seja, não falam. Os homens, de uma maneira geral, tendem a calar.
     A depressão é recuperável com tratamento psicológico e esforço pessoal. É imprescindível o empenho pessoal para que o tratamento profissional seja efetivo. O não enfrentamento potencializa os sintomas como indecisão, raiva ou hostilidade, ansiedade, estresse e pensamentos suicidas. Também os problemas físicos como fadiga, dores de estomago ou dor nas costas, além da dificuldade de concentração. Resistir caracteriza a rigidez instalada, mas quando esta é rompida uma vida pode ser refeita ou reinventada.
     Pode levar tempo, mas é indispensável o movimento para resgatar a saúde psíquica. Afinal, temos só esta existência para nos realizarmos.
     A vida acontece diante da postura ativa e corajosa frente aos problemas do nosso cotidiano.




Indicar a
um Amigo

Comentários

Deixe a sua opinião

Veja Também

15/04/2016   |
08/04/2016   |
01/04/2016   |
24/03/2016   |
18/03/2016   |
11/03/2016   |




Todos os direitos reservados - Jornal Semanal - Três de Maio - RS