Domingo, 19 de novembro de 2017
Ano XXIX - Edição 1484
(55) 3535-1033
jsemanal@jsemanal.com.br
diagramacao@jsemanal.com.br

Sem trégua na chuva, aumenta venda de secadoras de roupas

17/07/2015 - Por Jornal Semanal
Tweet Compartilhar
Porém, produtos sazonais de inverno tem pouca procura, com exceção do fogão a lenha. Entre os motivos, poucos dias de frio e a instabilidade econômica

Umas das principais características do inverno no Rio Grande do Sul - o frio - não tem sido tão rigoroso no mês de julho. Contudo, como consequência do excesso de chuvas, a umidade está incomodando muita gente. Já são pelo menos duas semanas de paredes escorrendo, chão molhado e roupas que não secam no varal.

Muitas pessoas buscam alternativas para combater este problema em casa. E uma das opções para secar as roupas são as máquinas secadoras, nos modelos de parede ou com abertura frontal da tampa.

Nas lojas especializadas no ramo em Três de Maio, embora a crise econômica em todo o país, as vendas das secadoras são consideradas boas. Conforme o gerente de uma delas, Adir Zimmermann, a procura é tão grande que o produto chegou a faltar na semana passada. "Recebemos 10 em um dia e todas foram vendidas", informa, destacando que a maioria das secadoras comercializadas custam em média R$ 1500,00, e que grande parte das vendas são no crediário.

Na loja em que Eliane Schneider gerencia, também há grande procura pelas secadoras com abertura frontal da tampa.
Em outro estabelecimento do ramo, o gerente Jorge Hilgemann revela que os clientes optam pelas secadoras de parede, mais baratas, na faixa de R$ 300. "Existe procura e venda, mas não se percebe crescimento com relação ao mesmo período do ano passado", conta.

A gerente Rose Escher também compara as vendas deste ano com o ano passado. "No inverno passado, vendemos mais aquecedores e fogões a lenha. Este ano a procura é por secadoras, máquinas de lavar e centrífugas", declara.

Nas lojas consultadas,  não há grande procura por aquecedores, lareiras, climatizadores, e outros produtos sazonais de inverno. Contudo, os gerentes afirmam que o tradicional fogão a lenha é unanimidade.

Mais chuva nos próximos dias
A chuvarada entre domingo a terça-feira causou muitos transtornos para a população de vários municípios do Rio Grande do Sul. A precipitação superou a média normal para julho em muitas áreas da Serra, do Planalto e Noroeste do Estado.

Em algumas cidades, entre o fim da tarde e a noite de domingo, houve queda de granizo, como em Santo Ângelo. Já em Independência, o granizo foi registrado na noite de segunda. Em Porto Mauá, a cheia do Rio Uruguai provocou alagamentos na cidade e interrompeu a travessia de balsas na aduana desde terça-feira.

A chuva deu uma trégua na quarta e ontem, com a entrada de uma massa polar, que trouxe temperaturas mais baixas.

Na foto: Secadora de roupas

FOTO: ALINE GEHM

Confira a matéria completa no jornal impresso





Indicar a
um Amigo

Comentários

Deixe a sua opinião

Veja Também

11/08/2017   |
21/07/2017   |
09/06/2017   |
13/06/2016   |
29/04/2016   |
25/09/2015   |




Todos os direitos reservados - Jornal Semanal - Três de Maio - RS