Sábado, 27 de maio de 2017
Ano XXIX - Edição 1458
(55) 3535-1033
jsemanal@jsemanal.com.br
diagramacao@jsemanal.com.br

Alerta para a meningite

17/07/2015 - Por Jornal Semanal
Tweet Compartilhar
Casos da doença no RS aumentam os cuidados para os riscos da doença na região. Em Três de Maio, Secretaria Municipal de Saúde teve o registro de um caso de meningite viral em 2015

O Rio Grande do Sul já registrou dez mortes por meningite em 2015, conforme balanço divulgado na terça-feira pela Secretaria Estadual de Saúde. Até agora, o total de casos da doença no Estado chega a 39. No ano passado o RS teve 81 casos e 14 óbitos.

O crescente número de casos, a maioria em Cachoeirinha e em outros municípios da Região Metropolitana do Estado, coloca em alerta sobre os riscos da doença na região Noroeste. Para a coordenadora da Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde de Três de Maio, enfermeira Mirian Rascovetzki,   é possível ocorrer um surto de meningite na região, visto que  a movimentação das pessoas é intensa. "No momento, a principal orientação é estar atento aos sintomas e realizar o diagnóstico precoce da doença", alerta.

Sobre os registros da doença em Três de Maio, Mirian revela que foram casos foram pontuais. "Tivemos um caso de meningite não especificada em 2013, de uma mulher de 40 anos. Em 2014, mais um caso em outra mulher de 31 anos, confirmado meningite por pneumococo. E, em 2015, houve um caso de meningite viral, numa mulher de 28 anos. Todas com boa evolução do caso", informa.

Formas de prevenção
A enfermeira orienta que a prevenção para os diferentes tipos de meningite é por vacinação. "Na rede pública, para a meningite por tuberculose, a criança já recebe a dose da BCG ao nascer, que além de proteger contra a doença tuberculose, previne a meningite por tuberculose".

Mirian também pontua que, sobre a meningite por Haemophilus influenzae, a criança recebe a vacina aos 2, 4 e 6 meses de idade, protegendo-a também contra esta forma de meningite. A prevenção da meningite por pneumococo, a criança recebe a vacina pneumococo 10-valente, aos 2,4, 6 meses e um reforço com 12 meses de idade, também prevenindo-a da doença.
E ainda, ela ressalta que sobre a meningite por meningococo tipo C, a criança recebe a vacina aos  3 e 5 meses e uma dose de reforço aos 15 meses protegendo-a sobre esta forma de meningite.

Tratamento deve ser imediato
De acordo com a enfermeira, todas as formas de meningite tem tratamento. "A detecção dos sintomas e o rápido acesso aos serviços de saúde são primordiais para o medicamento ser instituído o mais precocemente possível, aumentando as chances de boa evolução dos casos e cura", destaca.

Segundo Mirian, a forma de meningite que mais assusta é a meningococcemia. "Ela inicia com mal estar súbito, febre alta, calafrios, prostração acompanhada de manifestações hemorrágicas na pele. A doença se desenvolve de forma fulminante, podendo evoluir para óbito, em poucas horas", alerta.


Na foto: Enfermeira Mirian Rascovetzki

FOTO: ANDERSON BAUER

Confira a matéria completa no jornal impresso





Indicar a
um Amigo

Comentários

Deixe a sua opinião

Veja Também

19/05/2017   |
13/04/2017   |
10/04/2017   |
24/03/2017   |
20/01/2017   |
14/10/2016   |




Todos os direitos reservados - Jornal Semanal - Três de Maio - RS