Quinta-feira, 27 de abril de 2017
Ano XXIX - Edição 1454
(55) 3535-1033
jsemanal@jsemanal.com.br
diagramacao@jsemanal.com.br

Fim do impasse: Urgência/Emergência do HSVP mantém portas abertas

31/07/2015 - Por Jornal Semanal
Tweet Compartilhar
Um esforço conjunto entre os Municípios de Três de Maio, Independência, Alegria, São José do Inhacorá, Boa Vista do Buricá e Nova Candelária, além da renovação do contrato entre o Hospital São Vicente de Paulo e governo do Estado, garante a  continuidade do atendimento do serviço de Urgência/Emergência do HSVP de Três de Maio. Municípios devem repassar R$ 77 mil. Deste valor, R$ 50 mil é de Três de Maio

O rumor do fechamento do setor de Urgência/Emergência do HSVP causou apreensão entre a comunidade. Em média, são realizados dois mil atendimentos mensais

HSVP aceita proposta dos Municípios e irá manter serviço de Urgência
Um esforço conjunto garantirá a continuidade do atendimento do serviço de Urgência/Emergência do Hospital São Vicente de Paulo (HSVP) de Três de Maio. Por meio de um acordo celebrado entre prefeitos e representantes de Três de Maio, Independência, Alegria, São José do Inhacorá, Boa Vista do Buricá e Nova Candelária, a direção do HSVP aceitou a oferta de R$ 77 mil mensais destes Municípios para manter as portas abertas do serviço de Urgência/Emergência.

A reunião entre as partes ocorreu na tarde de 28 de julho, no Auditório do Palácio Municipal Walter Ullmann e contou também com a presença do coordenador regional de Saúde, Jorge Leandro Krechowiecki.

O prefeito de Três de Maio, Olívio José Casali, foi o mediador do encontro e destacou que apesar de não ser uma responsabilidade jurídica dos Municípios, todos os prefeitos se esforçaram para garantir uma solução para o impasse.

Assunto estava gerando polêmica na região
O assunto estava gerando polêmica desde junho passado, quando a direção da instituição de saúde informou, por meio de nota oficial, que não iria renovar o convênio com o governo do Estado e estaria encerrando o serviço a partir de 20 de agosto, diante da falta de recursos da área governamental para custear os mesmos. O impasse começou quando o Município de Três de Maio cancelou a subvenção social mensal no início do ano e o governo do Estado começou a atrasar os repasses pelos atendimentos.

O contrato entre o HSVP e os municípios iniciará no mês de agosto e terá validade de seis meses, podendo ser renovado. Os municípios devem encaminhar o projeto para apreciação do Legislativo para autorizar o Executivo a repassar o auxílio para a instituição.

HSVP deve se adequar para manter o serviço
O diretor executivo do HSVP, Samuel Meoti, destacou a importância da instituição em nível regional, e ressaltou que algumas adequações deverão ser realizadas para que a mesma possa manter os serviços de Urgência e Emergência. "Precisamos ajustar os repasses conforme a demanda, visto que a quantidade produzida nos serviços de urgência é cerca de três vezes maior que a quantidade contratada", enfatiza.

Convênio com o Estado pode ser reajustado
O coordenador da 14ª Coordenadoria Regional de Saúde, Jorge Leandro Krechowiecki, anunciou que o Estado, também, deve reajustar o atual valor repassado por meio do programa Portas Abertas. Atualmente, o governo estadual repassa em torno de R$ 100 mil.

Ele também destacou que a participação do prefeito Casali foi decisiva neste processo. "Por diversas vezes o prefeito Casali esteve em Porto Alegre buscando alternativas para resolver a situação entre a instituição e o Estado", disse.

HSVP terá que bancar com recursos próprios em torno de R$ 35 mil por mês, diz diretor executivo
Em entrevista ao jornal Semanal, o diretor executivo do HSVP, Samuel Meoti avaliou o resultado da reunião. "Para o momento, a minha avaliação é de que o acordo foi bom, devido as circunstâncias. Não é o que o HSVP precisa, mas ameniza os problemas e garante a continuidade do serviço. E, também, este acordo será revisado em seis meses".

Meoti detalhou que o valor a mais proposto é de R$ 68 mil. "Sendo R$ 50 mil de Três de Maio, R$ 6 mil de Boa Vista, R$ 4 mil de Alegria, R$ 2,5 mil de São José do Inhacorá, R$ 2,5 mil de Nova Candelária e mais R$ 3 mil de Independência, totalizando um subsídio dos municípios da microrregião de R$ 77 mil. O déficit apresentado hoje é de R$ 129 mil. Desta forma, o déficit fica próximo a R$ 60 mil mensais", exemplificou.

Meoti informa que a assinatura dos contratos com os Municípios depende da tramitação de cada um destes, mas o acordado é que o período de vigência seja a partir de 1º de agosto. "Já com o Estado, o contrato vence no dia 20, e até lá, se pelos trâmites burocráticos não for possível assinar o novo convênio, terá que ser reativado o atual dos mesmos valores", explica.

FOTO: COMUNICAÇÃO PREFEITURA TRÊS DE MAIO

Prefeitos de Três de Maio, Independência, Alegria, São José do Inhacorá, Boa Vista do
Buricá e Nova Candelária estiveram reunidos com a direção do HSVP

FOTO: ANDERSON BAUER

Confira a matéria completa no jornal impresso

 



Indicar a
um Amigo

Comentários

Deixe a sua opinião

Veja Também

07/04/2017   |
07/04/2017   |
07/04/2017   |
24/03/2017   |
17/03/2017   |
10/03/2017   |




Todos os direitos reservados - Jornal Semanal - Três de Maio - RS