Terça-feira, 17 de outubro de 2017
Ano XXIX - Edição 1479
(55) 3535-1033
jsemanal@jsemanal.com.br
diagramacao@jsemanal.com.br

INTELIGÊNCIA EMOCIONAL

31/07/2015 - Por Arlete Salante
Tweet Compartilhar
A palavra INTELIGÊNCIA no latim significa ler dentro a ação, compreender dentro. É uma faculdade psíquica que compreende o interior dos fatos, dos fenômenos, identificando o que é. Compreende as causas a essência das coisas, situações ou contextos.

EMOÇÃO - palavra que também tem origem no latim e representa "a ação me agita" ou "sou agitado". A emoção é uma reação orgânica ou neurorgânica que acontece por variação psíquica, ambiental ou de relação.

INTELIGÊNCIA e EMOÇÃO juntas revelam uma compreensão interna  com a capacidade de processar as informações cognitivas e emocionais, para usá-las de forma útil e funcional.

O primeiro aspecto é conhecer as próprias emoções. Isso implica em reconhecer a emoção que se está sentindo e saber qualificá-la corretamente. Na verdade tudo é processado de modo imediato, muitas vezes, apenas inconscientemente. Faz-se necessário a consciência, mas uma consciência exata para ler a realidade já compreendida pela inteligência e pela reação orgânica/neurorgânica.

Segundo aspecto da inteligência emocional é administrar as emoções, ou seja, aprender a ser capaz de adequar a energia da emoção para entrar em conformidade com o momento.

O autocontrole evita a explosão emocional que pode gerar um conflito ou um rompimento de relações. O autocontrole de emoções não é repressão. Reprimir só faz aumentar o sofrimento e provocar mal estar físico e até pode desenvolver alguma doença. O autocontrole passa antes pela compreensão do que está acontecendo. Assim, é possível saber usar informação processada para agir ou escolher conforme a própria necessidade e possibilidade.

Inteligência emocional passa também por reconhecer seus erros e aprender com eles.

Motivar a si próprio é outra característica da inteligência emocional que permite as pessoas alcançarem seus objetivos e manterem-se confiantes e otimistas,  mesmo frente a situações adversas.

Reconhecer emoções em outras pessoas é um exercício de empatia que facilita as relações e propicia contatos mais assertivos. As mensagens não verbais, como olhar, expressão fácil, tom de voz são indicativos para compreender as pessoas.

A sincronia das emoções determina se uma relação está indo bem ou não. Emoções não só comunicam como também contagiam o estado de humor de outra pessoa. Estes são indicativos da inteligência emocional para saber manejar relacionamentos. Sabemos que quando duas pessoas interagem, a direção do estado de humor de uma passa para a outra pessoa. Logo, compreender a si, ter a consciência exata de si, facilita para não sofrer no contágio de emoções desnecessárias.

O acesso à consciência exata é possível com o autoconhecimento e o amadurecimento que a psicoterapia traz. Assim, é possível ficar livre de expectativas infundadas, dos modelos fixos e dos condicionamentos habituais. A inteligência e a emoção tornam-se aliadas, estão a serviço de quem as compreende e age a partir delas. 



Indicar a
um Amigo

Comentários

Deixe a sua opinião

Veja Também

15/04/2016   |
08/04/2016   |
01/04/2016   |
24/03/2016   |
18/03/2016   |
11/03/2016   |




Todos os direitos reservados - Jornal Semanal - Três de Maio - RS