Quarta-feira, 24 de julho de 2019
Ano XXXI - Edição 1567
(55) 3535-1033
jsemanal@jsemanal.com.br
diagramacao@jsemanal.com.br

Economia para Consumo

21/08/2015 - Por João Seno
Tweet Compartilhar
À GUISA DE COMENTÁRIO - IRRESPONSABILIDADE OU MALANDRAGEM - É uma boa pergunta, quando a água está batendo no nariz. Quando os podres despencam de todos os lados. Assumir compromissos, quando não se sabe a dimensão dos problemas é irresponsabilidade ou malandragem? Advogados há que recusam causas perdidas e outros não as refugam na vil expectativa de obter vantagens pecuniárias. Médicos mandam clientes para outras instâncias, quando preveem a difícil missão de salvar a vida do doente acometido gravemente. E os políticos fazem a mesma coisa, quando assumem compromissos de conduzir a gestão pública? Seria de bom alvitre que conhecessem primeiro a dimensão dos problemas e, depois, assumissem candidaturas, para que, depois de eleitos, não tivessem a desculpa esfarrapada de "eu não sabia". Estes mesmos políticos e eventuais servidores públicos também deveriam olhar-se no espelho, antes de assumir responsabilidades, para conhecer a sua capacidade. Capacidade e conhecimentos são indispensáveis. Ninguém é salvador da pátria por acaso. É questão de capacidade. Mas, infelizmente, a irresponsabilidade e a malandragem tomaram conta.

ONDE ESTÃO -
Os valentes defensores dos Direitos Humanos? Os defensores de ideologias esquerdizantes? Aqueles que mandaram desenterrar mortos, para provar envenenamento, gastando milhões de nosso dinheiro? Os que exaltavam o social? E os que são contrários à privatização? Estão todos desaparecidos e quietinhos.

ISSO DE O PODER PÚBLICO AJUDAR  INSTITUIÇÕES PRIVADAS NÃO FUNCIONA. CADA INSTITUIÇÃO PRECISA CUIDAR DA SUA ECONOMIA. AÍ VÊM OS AGRADOS.

"RIO GRANDE É A GRÉCIA -
Sem países ricos do euro para ajudar". É assim que Aod Cunha, secretário da Fazenda no governo de Yeda Crusius, classifica a difícil situação do Estado.

PEDI E RECEBEREIS - Isso é do catecismo e da crença cristã. No entanto, não se aplica nestes tempos bicudos às instituições públicas e aos cidadãos necessitados.

VEJAM SÓ - Em 1998, a União assumiu as dívidas do Estado, que se comprometeu devolver R$ 9,5 bilhões em 30 anos. Os juros e a correção transformaram o passivo em R$ 50 bilhões. Só neste ano, o Estado terá que pagar à União R$ 3,6 bilhões, quando o nosso déficit previsto é de R$ 5,4 bilhões. Lá se vão cerca de R$ 280 milhões por mês para as burras da União.E não há dinheiro nem para pagar os funcionários. 

DE NOVO - Olha ele aí de novo! O José Dirceu é preso por repetir o mensalão. Caramba! Agora é petrolão. E olha só, a Lava Jato pode estar próxima a Lula, que não sabia de nada.

A presidente Dilma gosta de pedalar. Ela até pedala pelas avenidas de Brasília disfarçada de ciclista. No seu segundo mandato está derrapando.

PERDER OU GANHAR É DA VIDA. Até o futebol nos ensina isso. É preciso saber acolher a vitória e também a derrota. É preciso ter humildade na derrota. E não exaltar-se nas vitórias.

NADA MELHOR - para governantes do que motivos para viajar. É o caso da nossa presidente Dilma, apesar da profunda crise econômica, ela já programou oito viagens ao exterior, até o final do ano, querendo convencer os mercados mundiais que a situação do Brasil não é tão ruim, como parece. E parece que vai anunciar novas concessões, no início de 2016, ano de eleições municipais.





Indicar a
um Amigo

Comentários

Deixe a sua opinião

Veja Também

19/07/2019   |
12/07/2019   |
05/07/2019   |
28/06/2019   |
21/06/2019   |
07/06/2019   |




Todos os direitos reservados - Jornal Semanal - Três de Maio - RS